Carregando...
Ir para o conteúdo principal

Questões de concursos

Confira várias questões de diferentes concursos públicos e responda as perguntas para testar o seu conhecimento.


Minhas questões:

Questões com:

Excluir questões:


Carregando...
Carregando...
Carregando...

Carregando...

Exibindo 1 a 15 de 27 questões.

Salvar em Meus Filtros
Imprimir página - Exibindo 1 a 15
Questões por página:
Q392443

Um avião realiza um voo em uma rota em linha reta que passa pelos biomas Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. A rota desse avião é entre que cidades, das indicadas abaixo?

Carregando...
Q392448

De acordo com a resolução CONAMA número 1, de 23 de janeiro de 1986, os Estudos de Impacto Ambiental (EIA) e os Relatórios de Impacto Ambiental (RIMA) devem ser submetidos ao órgão estadual competente, ou ao IBAMA em caráter supletivo, para execução de atividades modificadoras do meio ambiente, EXCETO em caso de:

Carregando...
Q392450

Na instrução normativa nº 03, de 01 de setembro de 2014, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, estão estabelecidas normas para a utilização do Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade (SISBio). É possível, entre outras atividades, a realização de coleta, captura e marcação de material biológico com finalidade científica ou didática. As atividades com finalidades didáticas restringem-se a:

Carregando...
Q392455

As figuras abaixo representam animais de diferentes grupos.

A respeito dessas figuras, assinale a alternativa correta.

Carregando...
Q392462

A flor é uma novidade evolutiva que aparece no grupo das angiospermas, sendo responsável pela grande diversificação do grupo. Sobre a flor, considere as seguintes afirmativas: 1.O óvulo é o gameta feminino. 2.Possui partes estéreis e férteis. 3.O cálice e a corola são os verticilos estéreis. 4.O ovário origina o fruto após a fecundação. 5.O androceu compreende os grãos de pólen. Assinale a alternativa correta.

Carregando...
Q392347

O texto a seguir é referência para as questões 01 a 03.

Caetano e o 'mal' uso da crase

Na terça-feira, Caetano Veloso postou nas redes sociais um vídeo no qual corrige uma frase escrita pelo pessoal que trabalha

com ele.

O trecho era este: “Homenagem à Bituca". Bituca é o apelido do grande Milton Nascimento. No vídeo, Caetano não se limita

a dizer que o “a" não deve receber o acento grave (ou acento indicador de crase). O Mestre dá a explicação completa (e perfeita)

da questão.

Aproveito o “barulho" que o caso gerou para trocar duas palavras sobre o tema com o caro leitor. Comecemos pela palavra

“crase", que não vem ao mundo como o nome do acento. De origem grega, “crase" significa “fusão, mistura". Ao pé da letra, podese

dizer que Coca-Cola com rum ou leite com groselha são casos de crase, já que são fusões.

Em gramática, crase vem a ser a fusão de duas vogais iguais, o que ocorre, por exemplo, na evolução de muitas palavras do

latim para o português. Quer um exemplo? O verbo “ler". Sim, o verbo “ler". Na evolução do latim para o português, saímos de

“legere" e chegamos a “ler", mas antes passamos por “leer" (que, por sinal, foi a forma que se fixou no espanhol, outra língua

neolatina). Na evolução de “leer" para “ler", as duas vogais se fundiram numa só, o que caracteriza a crase.

Como se vê, pode-se dizer que ocorreu crase na evolução de “legere" para “ler". Esse caso de crase não é marcado com o

acento grave.

Hoje em dia, quando se fala de crase, pensa-se basicamente na fusão da preposição “a" com um segundo “a", que quase

sempre é artigo definido feminino (atenção: “quase sempre" não equivale a “sempre"). Quando se escreve algo como “Você já foi à

Bahia?", por exemplo, emprega-se o acento grave para indicar a crase que de fato ocorre: a preposição “a", regida pelo verbo “ir" (ir

A algum lugar), funde-se com o artigo feminino “a", exigido por “Bahia" (“Gosto muito dA Bahia"; “Ele mora nA Bahia").

No caso da construção corrigida por Caetano (“Homenagem à Bituca"), é óbvio que o acento indicador de crase é mais do

que inadequado, já que no trecho só existe um “a", a preposição “a", regida pelo substantivo “homenagem"; por ser substantivo

masculino, “Bituca" obviamente rejeita o artigo feminino.

Os erros no emprego do acento grave são muitos e frequentes. Quer uma bela lista? Lá vai: “traje à rigor", “Viajou à convite

de...", “carro à álcool/gás", “Vender à prazo", “à 100 metros", “Vem à público", “ir à pé", “sal à gosto", “Vale à pena ir lá", “Parabéns

à você", “Atendimento à clientes" etc., etc., etc.

Alguns gênios sugerem pura e simplesmente a eliminação do acento grave. Lamento informar que a língua portuguesa escrita

não sobrevive sem esse acento. [...]

Em tempo: como nada é tão ruim que não possa piorar, alguém postou no YouTube o depoimento de Caetano com este

título: “Caetano Veloso grava vídeo repreendendo sua própria equipe de internet por mal uso da crase". “Mal uso"? Não seria “mau

uso"? Elaiá! É isso.

(Pasquale Cipro Neto, publicado em http://www1.folha.uol.com.br/colunas/pasquale/2015/06/1647510-caetano-e-o-mal-uso-da-crase.shtml>.

Acesso em: 25/06/2015. Adaptado)

São usadas aspas no título para:

Carregando...
Q392442

Um dos maiores impactos das mudanças recentemente ocorridas no Código Florestal (Lei 12.651/2012) foi a mudança

nos limites das faixas de proteção de áreas de preservação permanente, tais como as margens de rios. Na figura abaixo

está representada uma situação natural, na qual a mata ripária está sujeita às condições do ambiente e a supressão

dessa vegetação, conforme o proposto pelo novo Código Florestal, potencialmente reflete no funcionamento e nos

serviços promovidos pelo ecossistema.

Sobre esse tema, é correto afirmar:

Carregando...
Q392447

O Decreto nº 7.514, de 9 de abril de 2010, sistematiza e regulamenta a atuação de órgãos públicos federais, estabelecendo procedimentos a serem observados para autorizar e realizar estudos de aproveitamento de potenciais de energia hidráulica e sistemas de transmissão e distribuição de energia elétrica no interior de unidades de conservação, bem como autorizar a instalação de sistema de transmissão e distribuição de energia elétrica em unidades de conservação de uso sustentável. Sobre esse tema, considere as seguintes afirmativas: 1.As autorizações para realização dos estudos técnicos sobre potenciais de energia hidráulica serão expedidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). 2.Os custos relativos às medidas de mitigação e restauração, após aprovados pelo Instituto Chico Mendes, correrão às expensas da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). 3.Estudos de viabilidade técnica, social, econômica e ambiental sobre sistemas de transmissão e de distribuição de energia elétrica em unidades de conservação, exceto em APA e RPPN, dependem de prévia autorização do Instituto Chico Mendes. 4.Na realização de estudos sobre potenciais de energia hidráulica, o plano de trabalho deve discriminar estudos de hidrometeorologia, geológicos, cartográficos e socioeconômicos. Assinale a alternativa correta.

Carregando...
Q392454

Invertebrados aquáticos são muito utilizados como bioindicadores em monitoramentos ambientais. De acordo com Callisto et al. (2005), Trichoptera (Odontoceridae), Plecoptera (Perlidae), Ephemeroptera (Oligoneuridae) e Coleoptera (Psephenidae) são indicadores de córregos com boa qualidade ambiental, enquanto Diptera (Chironomidae) e Oligochaeta são indicadores de córregos poluídos. Sobre esses grupos, é correto afirmar:

Carregando...
Q392459

O xilema conjuga as funções de transporte da seiva xilemática, suporte e armazenamento, havendo uma especialização nas funções desempenhadas pelos tipos de células que ocorrem nesse tecido. Com base nos tipos celulares que compõem o xilema, assinale a alternativa correta.

Carregando...
Q392461

Na conquista do ambiente terrestre, a aquisição de várias características estruturais foi fundamental para a sobrevivência dos diferentes grupos de plantas (briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas). Sobre o momento evolutivo em que determinadas características aparecem, é correto afirmar:

Carregando...
Q392346

O texto a seguir é referência para as questões 01 a 03.

Caetano e o 'mal' uso da crase

Na terça-feira, Caetano Veloso postou nas redes sociais um vídeo no qual corrige uma frase escrita pelo pessoal que trabalha

com ele.

O trecho era este: “Homenagem à Bituca". Bituca é o apelido do grande Milton Nascimento. No vídeo, Caetano não se limita

a dizer que o “a" não deve receber o acento grave (ou acento indicador de crase). O Mestre dá a explicação completa (e perfeita)

da questão.

Aproveito o “barulho" que o caso gerou para trocar duas palavras sobre o tema com o caro leitor. Comecemos pela palavra

“crase", que não vem ao mundo como o nome do acento. De origem grega, “crase" significa “fusão, mistura". Ao pé da letra, podese

dizer que Coca-Cola com rum ou leite com groselha são casos de crase, já que são fusões.

Em gramática, crase vem a ser a fusão de duas vogais iguais, o que ocorre, por exemplo, na evolução de muitas palavras do

latim para o português. Quer um exemplo? O verbo “ler". Sim, o verbo “ler". Na evolução do latim para o português, saímos de

“legere" e chegamos a “ler", mas antes passamos por “leer" (que, por sinal, foi a forma que se fixou no espanhol, outra língua

neolatina). Na evolução de “leer" para “ler", as duas vogais se fundiram numa só, o que caracteriza a crase.

Como se vê, pode-se dizer que ocorreu crase na evolução de “legere" para “ler". Esse caso de crase não é marcado com o

acento grave.

Hoje em dia, quando se fala de crase, pensa-se basicamente na fusão da preposição “a" com um segundo “a", que quase

sempre é artigo definido feminino (atenção: “quase sempre" não equivale a “sempre"). Quando se escreve algo como “Você já foi à

Bahia?", por exemplo, emprega-se o acento grave para indicar a crase que de fato ocorre: a preposição “a", regida pelo verbo “ir" (ir

A algum lugar), funde-se com o artigo feminino “a", exigido por “Bahia" (“Gosto muito dA Bahia"; “Ele mora nA Bahia").

No caso da construção corrigida por Caetano (“Homenagem à Bituca"), é óbvio que o acento indicador de crase é mais do

que inadequado, já que no trecho só existe um “a", a preposição “a", regida pelo substantivo “homenagem"; por ser substantivo

masculino, “Bituca" obviamente rejeita o artigo feminino.

Os erros no emprego do acento grave são muitos e frequentes. Quer uma bela lista? Lá vai: “traje à rigor", “Viajou à convite

de...", “carro à álcool/gás", “Vender à prazo", “à 100 metros", “Vem à público", “ir à pé", “sal à gosto", “Vale à pena ir lá", “Parabéns

à você", “Atendimento à clientes" etc., etc., etc.

Alguns gênios sugerem pura e simplesmente a eliminação do acento grave. Lamento informar que a língua portuguesa escrita

não sobrevive sem esse acento. [...]

Em tempo: como nada é tão ruim que não possa piorar, alguém postou no YouTube o depoimento de Caetano com este

título: “Caetano Veloso grava vídeo repreendendo sua própria equipe de internet por mal uso da crase". “Mal uso"? Não seria “mau

uso"? Elaiá! É isso.

(Pasquale Cipro Neto, publicado em http://www1.folha.uol.com.br/colunas/pasquale/2015/06/1647510-caetano-e-o-mal-uso-da-crase.shtml>.

Acesso em: 25/06/2015. Adaptado)

A partir da explicação dada pelo autor, considere o uso do acento indicador de crase nas seguintes afirmativas: 1.Os dois saíram às compras no final da tarde. 2.Nas férias, gostava muito de ir à Pernambuco. 3.Os acidentes de trânsito relacionam-se à grande taxa de imperícia e imprudência dos motoristas. 4.Os refrigerantes serão servidos em copo devido à não devolução dos vasilhames. 5.Os novos casos impeliram os responsáveis à exceções no tratamento das condutas. Está correto o uso do acento indicador de crase em:

Carregando...
Q392441

Considere os dados apresentados na figura abaixo sobre o processo de ocupação de uma clareira aberta em uma

floresta:

Sobre o tema, assinale a alternativa INCORRETA.

Carregando...
Q392446

No processo de licenciamento ambiental de empreendimentos e atividades que causam impactos sobre a fauna silvestre, existem critérios e procedimentos que devem ser adotados pelo profissional biólogo para obtenção de autorização de captura, coleta e transporte desses organismos. Os critérios são apresentados na instrução normativa número 146, de 10 de janeiro de 2007, que estabelece as condições para concessão das autorizações para cada uma das duas etapas de manejo (1.levantamento e monitoramento de fauna; 2. salvamento, resgate e destinação de faun(A). Sobre a etapa de levantamento e monitoramento, considere os seguintes itens: 1.Informação referente ao destino pretendido para o material biológico a ser coletado, com anuência da instituição onde o material será depositado. 2.Detalhamento da captura, da triagem e dos demais procedimentos a serem adotados para os exemplares coletados, vivos ou mortos, informando o tipo de identificação individual. 3.Plano específico de desmatamento, que deverá direcionar o deslocamento da fauna e auxiliar na execução do resgate, utilizando-se dispositivos que limitem a velocidade de desmatamento e favoreçam a fuga espontânea da fauna. 4.Inclusão, na metodologia, do esforço amostral para cada grupo em cada fitofisionomia, contemplando a sazonalidade para cada área amostrada. O plano dessa etapa deverá conter, necessariamente, o(s ) seguinte(s ) item(ns).

Carregando...
Q392453

Na árvore filogenética hipotética ao lado, as

espécies estão representadas por letras, e por

números as características dessas espécies.

Sobre essa árvore, é correto afirmar:

Carregando...
GABARITO:

  • 1) C
  • 2) D
  • 3) C
  • 4) C
  • 5) E
  • 6) B
  • 7) E
  • 8) D
  • 9) E
  • 10) E
  • 11) C
  • 12) C
  • 13) D
  • 14) C
  • 15) A
  •  
© Aprova Concursos - Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1482 - Curitiba, PR - 0800 727 6282