Carregando...
Ir para o conteúdo principal

Questões de concursos

Confira várias questões de diferentes concursos públicos e responda as perguntas para testar o seu conhecimento.


Minhas questões:

Questões com:

Excluir questões:


Carregando...
Carregando...
Carregando...

Carregando...

Exibindo 1 a 5 de 5 questões.

Salvar em Meus Filtros
Imprimir página - Exibindo 1 a 5
Questões por página:
Q228289

A hanseníase é uma doença crônica granulomatosa, proveniente de infecção causada pelo Mycobacterium leprae. Esse bacilo tem a capacidade de infectar grande número de indivíduos, embora poucos adoeçam. O período de incubação da hanseníase é de 2 a 7 anos. Há referências a períodos mais curtos, como, por exemplo, de 7 meses, e também a períodos mais longos, como de 10 anos. O domicílio é apontado como importante espaço de transmissão da doença, embora ainda existam lacunas no conhecimento quanto aos prováveis fatores de risco implicados, especialmente aqueles relacionados ao ambiente social. A melhoria das condições de vida e o avanço do conhecimento científico modificaram significativamente o quadro da doença, que atualmente tem tratamento e cura. No Brasil, cerca de 47 000 casos novos são detectados a cada ano, sendo 8% deles em menores de 15 anos.
Disponível em: . Acesso em: 4 ago. 2013 (adaptado).



Considerando o texto acima e conteúdo correlato, é possível afirmar que

Carregando...
Q228296

Torcedores passam mal e Vigilância Sanitária apreende alimentos no Maracanã



Fim do jogo, Brasil campeão da Copa das Confederações, festa de grande parte do Maracanã. Em uma ambulância, um paramédico atende uma paciente. Ao informar que o caso não era grave, ele revelou a preocupação com a ingestão de alimentos de qualidade duvidosa no estádio. Vários torcedores procuraram o centro médico e as ambulâncias, apresentando mal-estar, vômito e diarreia, ao mesmo tempo em que a Vigilância Sanitária realizava a apreensão de 59 quilos de alimentos. Entre os alimentos apreendidos, alguns apresentavam prazo de validade vencido, outros não apresentavam identificação e ainda havia alguns alimentos que não estavam armazenados em temperatura ideal.



A Vigilância notificou imediatamente as empresas responsáveis pelos produtos, que haviam recebido concessão da Fifa para a venda no estádio. De acordo com a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro, lanches prontos, tais como hambúrger e cachorro-quente, estavam fora da validade; três quilos de salsicha estavam sem identificação; sanduíches com pasta de frango, que seriam distribuídos aos stewards (seguranças), estavam guardados fora da temperatura ideal; o queijo ralado também não tinha procedência, embora embalado. Os relatos dos pacientes apontavam para o cachorro-quente como causador da intoxicação.
Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2013.



Considerando a notícia acima, avalie as asserções a seguir.



I. Vômito e diarreia são sintomas comuns de intoxicação ou toxinfecção alimentar causadas por bactérias como Staphylococus aureus, Clostridium perfringens e Escherichia coli, que podem se desenvolver e produzir toxinas em alimentos estocados por longos períodos de tempo ou em temperatura indevida.



II. A rapidez do surgimento dos sintomas nos consumidores que estavam no estádio sugere a contaminação dos alimentos por Staphylococus aureus, que pode ter ocorrido a partir do contato com as mãos dos manipuladores dos alimentos, provavelmente no momento do preparo.



III. Medidas básicas de higiene, como, por exemplo, lavar as mãos antes do preparo de alimentos e após usar o banheiro, são suficientes para prevenir a contaminação dos alimentos por microrganismos como Escherichia coli e Salmonella spp. e, por isso, são medidas de prevenção aos surtos de intoxicação ou toxinfecção alimentar.



IV. As análises microbiológicas e bromatológicas são ferramentas complementares das boas práticas de fabricação, contribuindo para a garantia da qualidade dos alimentos e para a prevenção de eventos adversos à saúde pública, bem como para a detecção do agente causal dos surtos de toxinfecção alimentar.



É correto apenas o que se afirma em

Carregando...
Q228304

A Lacaziose ou doença de Jorge Lobo é infecção fúngica profunda, crônica, granulomatosa, causada pela implantação traumática do fungo Lacazia loboi (ou Paracoccidioides loboi et Loboa loboi) nos tecidos cutâneo e subcutâneo, que promove o aparecimento de lesões nodulares isoladas e coalescentes, em geral de aspecto queloidiano, conforme ilustrado na figura a seguir.





Até o momento, o patógeno causador da doença não é cultivado em laboratório, o que dificulta os estudos sobre o fungo e a doença. Em alguns casos, o diagnóstico clínico da lesão pode ser complicado, uma vez que existem outros patógenos que provocam lesões cutâneas, como a hanseníase (causada pela bactéria Mycobacterium leprae) e a leishmaniose (causada pelo protozoário Leishmania sp.).



Suponha que você foi contratado como biomédico responsável pelo setor de diagnóstico de uma Unidade de Saúde, localizada em uma área com alta taxa de ocorrência de Lacaziose, hanseníase e leishmaniose, para implantar um teste diagnóstico para essas doenças.



Objetivando rapidez, eficácia e minimização de custos, qual a melhor opção para realização desse diagnóstico diferencial?

Carregando...
Q228290

O controle de qualidade é uma importante ferramenta empregada nos laboratórios clínicos para validar os processos inseridos na fase analítica, garantindo a confiabilidade dos resultados. As atividades de controle de qualidade devem ser realizadas sistematicamente em todos os setores analíticos, por exemplo, na rotina de microbiologia e uroanálise. As infecções urinárias são diagnosticadas por meio de métodos quali-quantitativos e por meio de cultivos, havendo risco de contaminação, o que torna os procedimentos de controle de qualidade imprescindíveis. Uma série de medidas podem ser adotadas para evitar erros analíticos, e elas devem ocorrer com o mais rigoroso acompanhamento profissional. Considerando os procedimentos de controle de qualidade que devem ser adotados nos setores de microbiologia e uroanálise, avalie as afirmações a seguir.



I. Meios de cultivo preparados em laboratório devem ser testados para esterilidade, incubando-se 5% do lote a 35±2°C por 18 a 24 horas e, em seguida, 24 horas em temperatura ambiente. Caso sejam detectados contaminantes como resultado de esterilização inadequada, defeito na autoclave, contaminação do ambiente, contaminação do sangue ou outro complemento adicionado contaminado, o lote deve ser desprezado e novo lote deve ser produzido antes da liberação para uso.



II. Caso os meios de cultivo sólidos que demonstram sinais de ressecamento e os meios de cultivo líquidos que sofreram diminuição do volume original não apresentem nenhum sinal de contaminação, ambos poderão ser utilizados. Contudo, em casos como esses, é necessário que eles estejam dentro do prazo de validade.



III. Amostras de urina não-refrigeradas têm viabilidade curta. Por esse motivo, tais amostras deverão ser analisadas em, no máximo, 4 horas, o que evita prejuízos em relação à análise microbiológica ou citológica.



IV. A habilidade do meio de cultivo de permitir crescimento de microrganismos definidos deve ser determinada pela inoculação com isolado específico da cultura-estoque, de acordo com as características esperadas da cepa teste, diante de cada tipo de meio. Um erro frequente no controle de qualidade é o uso de inóculo muito carregado para esse propósito.



V. Erros sistemáticos podem ocorrer durante os testes de sensibilidade aos antimicrobianos. Entre eles estão a identificação de um único antimicrobiano fora do intervalo para uma determinada cepa ATCC ou a presença de múltiplos tipos de colônias.



É correto apenas o que se afirma em

Carregando...
Q228310

A tuberculose (TB) continua sendo um importante problema de saúde, exigindo o desenvolvimento de estratégias para o seu controle. Em 1993, a Organização Mundial da Saúde declarou a TB uma emergência mundial e passou a recomendar a estratégia DOTs (Directly Observed Treatment-short course) como resposta global para o controle da doença. Essa estratégia pode ser entendida como um conjunto de boas práticas para o controle da TB, entre as quais figura o diagnóstico de casos por meio de exames bacteriológicos de qualidade.
BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Programa Nacional de Controle da Tuberculose. Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil, 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2013 (adaptado).



No que se refere ao diagnóstico laboratorial da tuberculose, é correto afirmar que

Carregando...
GABARITO:

  • 1) E
  • 2) C
  • 3) D
  • 4) A
  • 5) B
© Aprova Concursos - Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1482 - Curitiba, PR - 0800 727 6282