Oi oi oi oi oi concurseiros!

Quem não lembra da novela GABRIELA, CRAVO e CANELA, baseada na obra de Jorge Amado e gravada por duas vezes. Com sua famosa música de refrão: “Eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim…”

Aposto que a maioria de vocês ao ler, lembrou da melodia e quase cantou a linda canção da Gal Costa! hehehe

Ocorre que infelizmente muitos concurseiros teimam em adequar este refrão a sua rotina de estudos.

Isso é o que alguns chamam de SINDROME DE GABRIELA (Eu nasci assim, eu cresci assim, E sou mesmo assim, vou ser sempre assim). Mesmo não atingindo os resultados esperados e almejando resultados diferentes, nada mudam! Chegam, muitas vezes, a culpar: familiares, o governo, os amigos, os professores e até mesmo a(o) namorada(o). Culpam tudo e todos, mas não param para fazer uma análise se estão realmente se preparando da melhor forma.

Claro que muitas vezes podemos ter dificuldades de origem familiar ou pessoal, mas nem sempre é assim.

Meses atrás, uma aluna aplicada me procurou dizendo que estava pensando em desistir da carreira pública, pois o planejamento dela não tinha dado certo. Segundo ela, guardou reservas financeiras para 18 meses de estudo, estava no 17 mês e não poderia seguir.

Conversamos um pouco, falei a ela das 4 bases de estudo e para minha surpresa, ela tirou uma planilha impressa da mochila com uma programação de estudos. Fiquei por alguns segundos fazendo de conta que lia aquilo e pensando em algo para dizer que a animasse, pois sentia em seus olhos (não me perguntem como) que sua aprovação estava muito próxima.

Então comecei a perguntar como era sua rotina de estudos, ela falou diversas coisas e então ouvi: “a maior parte do tempo me dedico as matérias de direito, pois sou bacharel em direito e nessas tenho ido quase sempre bem. Mas as disciplinas de cálculo e gestão estudo pouco, não adianta, não entra em minha cabeça…”ela disse ( Lembrei na hora: Eu nasci assim, eu cresci assim,e sou mesmo assim, vou ser sempre assim…Gabrieeellaaa).

Senti que ali poderia estar o cerne de sua dificuldade e propus um desafio. Sugeri a ela que invertesse o tempo de estudo das disciplinas, ou seja, muito mais tempo de estudo para calculo e gestão e menos tempo para Direito. Pedi a ela que fizesse isso pelo equivalente a preparação de 2 concursos, e caso não melhorasse, ai sim eu entenderia sua desistência.

Mesmo sabendo da dedicação da aluna, fui embora tenso, com mil questionamentos internos: será que fiz o certo? Meu Deus, eu disse a ela que se não der certo assim tudo bem ela desistir! Será que talvez não resolva? E se ela não estiver falando toda a verdade?

Depois de uma noite refletindo sobre isso, acordei e orei a Deus que ajudasse aquela aluna. Coincidência ou não, horas depois eu a encontrei com uma nova planilha de estudos, exatamente conforme havíamos combinado e o mais importante, muito animada!

Menos de 3 meses depois, recebo um email emocionado, de agradecimento, desta ex-aluna, agora servidora pública.

Alminhas, não conto esta história para me vangloriar. Poderia ter sido qualquer outro professor, familiar ou colega de estudo a orienta-la.

O mais importante foi que ela não se conformou, buscou ajuda, foi sincera, mudou o que tinha que mudar e conseguiu!

E você concurseiro, está atingindo os resultados dentro do prazo que estabeleceu? Se sim, meu parabéns por sua dedicação. Caso contrário, já fez uma auto-análise? Uma análise franca para saber onde está errando?

Minha sugestão?

Deixe de culpar terceiros, faça uma auto-crítica e principalmente: NÃO SE CONFORME com nada menor do que sonhou.

A vitória é sua, é apenas uma questão de dedicação e tempo!

Sucesso!

Professor Everson

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *