Primeiramente para entender o estresse é necessário saber mais sobre cortisol, um hormônio essencial para a nossa sobrevivência.

Em resumo, a função principal do cortisol é preparar o corpo para os desafios psicológicos e físicos do dia a dia, mantendo o equilíbrio do organismo diante de situações que causam estresse.

Entendendo o estresse

Antes de mais nada, não é verdade que o cortisol seja um hormônio ruim, como algumas pessoas afirmam. Ele é fundamental para despertar o estado de alerta necessário para lidarmos com os desafios diários.

O cortisol cumpre a função de manter a homeostasia, que é a condição de estabilidade necessária para o organismo realizar suas funções. Só para ilustrar, sem a liberação desse hormônio não teríamos forças para sair da cama de manhã e fazer qualquer atividade.

Assim sendo, a ideia de que o estresse é algo ruim não é necessariamente verdade. Precisamos desse mecanismo de estresse para para ter motivação e disposição no cumprimento de nossas atividades diárias.

Além disso, o cortisol possui ainda outras funções importantes:

  • – auxiliar no controle da pressão arterial;
  • – contribuir para o funcionamento do sistema imune;
  • – ajudar no controle da glicose e do estoque de gordura.

 

Por outro lado, é importante saber que o nível de cortisol varia durante dia e isso é absolutamente normal. De manhã, os níveis são bem altos. E a tendência é a de que ele vá diminuindo até ficar bem baixo à noite.

Por conseqüência no momento em que mais precisamos do cortisol, seja para estudar ou trabalhar, as glândulas suprarrenais estão a todo vapor. Conforme vai chegando a hora de dormir, e reduzimos o ritmo, essa produção vai diminuindo.

Fatores que podem afetar o estresse

Em segundo lugar é importante ressaltar os fatores patológicos que interferem na produção do cortisol, fazendo com que ele apresente níveis baixos demais ou elevados demais na corrente sanguínea.

A produção deve sempre ser a mais harmoniosa possível. Uma vez que essas disfunções podem trazer problemas para o nosso organismo. Alguns sintomas comuns são:

  • – fadiga excessiva;
  • – sensação de fraqueza;
  • – imunidade baixa.

 

Por outro lado, quando os níveis de cortisol estão altos na corrente sanguínea é provável que ocorra:

  • – aumento de peso;
  • – hipertensão;
  • – depressão.

 

No entanto, é importante ressaltar que esses sintomas não são específicas dessa disfunção, sendo comuns também em outras situações). Por isso, é importante consultar um médico.

Nesse sentido, o estresse não é um mal em si. O problema é quando nos mantemos estressados com a cabeça cheia de preocupações e responsabilidades por longos períodos. Trabalhar ou estudar em excesso, não descansar a mente um minuto sequer não faz bem.

Um ritmo de vida tão acelerado faz com que o corpo não dê conta do recado. Você acabe se sentindo sempre cansado, fraco e indisposto. Recomendamos uma mudança no seu estilo de vida: inclua alimentação saudável, atividades físicas e sono regular. Com toda a certeza seu desempenho irá melhorar nas próximas provas!

Com informações do Hipercultura

Veja mais notícias no blog do Aprova Concursos

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE AS NOVIDADES SOBRE O ENEM

Curta no Facebook a página do Aprova! Siga também nosso perfil no Instagram

Publicado em 03/02/2020

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *