Hoje, 27 de janeiro, é o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Assim sendo, a data foi escolhida pelo fato de que em 1945 aconteceu a libertação do campo de concentração de Auschwitz na Polônia.

Com a finalidade de te ajudar a saber mais sobre o Holocausto, trazemos nossa dica de cultural excepcionalmente na segunda-feira nesta semana.

O Zoológico de Varsóvia: baseado em fatos reais

Em 1939 na Polônia, o casal Jan e Antonia Zabinski toma conta de um zoológico na cidade de Varsóvia. Quando o país é invadido pelos nazistas, eles utilizam o local como esconderijo com o propósito de salvar os judeus dos nazistas que invadiram o país. Confira o trailer:

Relato do brasileiro que sobreviveu ao Holocausto

Filho de imigrantes judeus, Andor Stern nasceu no bairro do Bixiga, em São Paulo, em 17 de junho de 1928. Mas aos três anos, mudou-se com a família para a Índia, por conta de uma oferta de emprego ao pai, médico. Depois, em vez de voltar ao Brasil, a família decidiu passar um tempo na Europa, com parentes húngaros.

Na Hungria, com a ocupação nazista, sua família toda (menos o pai, que se separara da mãe e fora embora do país em 1938) foi transportada a Auschwitz em um mesmo trem, em 1944. Foram separados na chegada ao campo de concentração.

O local, cuja libertação ocorreu há 75 anos, pelo Exército soviético, em 27 de janeiro de 1945, é considerado o epicentro do Holocausto: estima-se que 1,1 milhão de pessoas tenham morrido de fome, doenças ou em câmaras de gás no complexo de 40 campos de concentração de Auschwitz, que antes de ser ocupado pelos nazistas era um enorme quartel militar. Além dos judeus, prisioneiros russos, poloneses, ciganos e gays também foram vítimas.

Clique aqui para ler a notícia completa na BBC

Exposição na ONU sobre os 75 anos de Auschwitz

Há 75 anos soldados do exército soviético entraram no campo de concentração e extermínio de Auschwitz, na Polônia, e ficaram “atordoados e silenciados” pelo que viram, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres.

A exposição “75 anos depois de Auschwitz – Educação e Memória do Holocausto para Justiça Global” ressalta a necessidade contínua de ação coletiva para combater o antissemitismo e outras formas de preconceito.

Apontando para o “assustador crescimento de ataques antissemitas” nos últimos anos, Guterres afirmou: “não poderemos nunca baixar nossa guarda”.

Para o secretário-geral da ONU, isso ocorre por conta “de um aumento preocupante de casos de xenofobia, homofobia, discriminação e ódio de todos os tipos”. Ele acrescentou que até o próprio nazismo muitas vezes ameaça ressurgir, “às vezes abertamente, às vezes disfarçado”.

Clique aqui e saiba mais

Veja mais notícias no blog do Aprova Concursos

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE NOVIDADES SOBRE O ENEM

Curta no Facebook a página do Aprova! Siga também nosso perfil no Instagram

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *