Se você tem alguma dúvida sobre o cálculo de honorários do contador, esta postagem é para você. Mas já vamos adiantar, que você não encontrará neste texto uma resposta pronta, como cobrar tantos reais por hora. Afinal, é preciso levar em conta todas as características do seu negócio, levantar custos e calcular a margem de lucro ideal para você. E essa conta nós vamos te ensinar a fazer!

 

PREPARE-SE PARA O EXAME DO CFC COM O APROVA

Para mais informações ligue 0800 606 8889

 

Planejamento dos honorários do contador

Assim como em qualquer outra profissão ou negócio, é preciso planejar para seguir em frente com lucros. Para isso, você precisa definir valores que cubram os custos que a empresa possui e além deles, conseguir tirar uma margem de lucro. É claro, que essa margem precisa ser justa para você e para os clientes que vão procurar por esse serviço.

No mercado de trabalho, há a prática de diversos preços para serviços semelhantes. Por isso, há muitos profissionais que procuram auxílio em tabelas de referência de sindicatos ou conselhos. Mas, na verdade não cabe aos conselhos regionais fixarem valores para a categoria. E infelizmente, muitas vezes, esses valores de referência ficam bem fora da realidade de mercado.

Ou seja, você pode e deve pesquisar valores na concorrência, mas deve criar seu próprio preço. Segundo o Código de Ética Profissional do Contabilista, o profissional deve seguir os seguintes critérios na hora de precificar:

  • A relevância, complexidade, custos e a dificuldade do serviço a executar
  • O tempo que será consumido para a realização do trabalho
  • A possibilidade de ficar impedido da realização de outros serviços
  • O resultado favorável ao contratante
  • A peculiaridade de ser um cliente eventual, habitual ou permanente
  • O local em que o serviço será prestado.

 

Definindo o valor dos honorários do contador

Como você já leu anteriormente, a melhor solução é criar uma tabela própria de valores de honorários do contador. Então, vamos para o primeiro passo: o levantamento de custos. É um tanto quanto lógico, você precisa saber quanto gasta para manter seu negócio em funcionamento. E aqui não entram apenas os gastos financeiros, mas também os recursos humanos e intangíveis. Vamos por partes!

Tempo de execução

Já ou viu falar na expressão “‘tempo é dinheiro”? Então essa é a sua base para a precificação. Suas horas de trabalho são valiosas e devem ser levadas em conta para garantir a sustentabilidade do negócio. Sendo assim, você precisa se organizar, determinar qual o tempo que será dedicado a cada cliente e a cada tarefa e assim conseguir definir preços mais justos, com base não apenas no volume, mas na complexidade das funções.

Para começar, você precisa descobrir quantas horas de trabalho estão disponíveis para “venda”. É só multiplicar os dias úteis do mês pela quantidade de horas trabalhadas. Por exemplo, em um mês com 22 dias úteis e 8 horas diárias, você terá 176 horas mensais disponíveis por funcionário. E é precioso se atentar a todos os detalhes, se o cliente precisa de acompanhamento mais constante, se ocupa mais horas da equipe com telefonemas, visitas e análises, por exemplo.

Custo da equipe

Agora que você já sabe quanto tempo a empresa tem disponível para cada cliente, também precisa calcular o custo por hora dos funcionários. Mas é jogo rápido, é só somar o custo total de cada funcionário (salário, férias, 13º salário, FGTS, INSS, benefícios) e dividir pelo tempo real dedicado ao trabalho, que você já calculou anteriormente.

Vamos ao exemplo, se um funcionário custa R$ 4.000,00 por mês e trabalha 165 horas mensais, o seu valor por hora é de R$ 24,00. Sabendo disso, você poderá calcular a demanda exata de recursos.

Custo do cliente por hora de trabalho

Agora, chegou a hora de juntas os dois aprendizados. Afinal, você já sabe quanto custa a hora do funcionário e já analisou quantas horas estão sendo gastas para cada cliente, assim fecha a conta de custos. Se o funcionário custa R$ 24 por hora e dedica 10 horas por mês para um cliente, significa que o seu cliente custa R$ 240,00 para a empresa. Assim, para que o serviço valha a pena, você precisa colocar a margem de lucro acima desse valor.

Para justificar o valor do serviço ao cliente, é interessante ter um padrão de orçamento. Nele, você precisa incluir as horas de trabalho e o preço por hora (já com a margem de lucro).

Custos e despesas totais

Por fim, na parte de custos, é preciso verificar quais são as despesas fixas e variáveis. Ou seja, os gastos fixos são aqueles que não sofrem alterações constantes no valor como aluguel do escritório, serviços de limpeza e salários. Já os variáveis são afetados pelo nível de produção ou atividades, por exemplo,  materiais de escritório, comissões, alguns impostos e contas de consumo.

Assim que você chegar no resultado dessa conta, é importante dividir o valor entre os clientes de forma proporcional, levando em conta o tempo e a complexidade de serviços oferecidos a cada um deles.

 

Margem de lucro nos honorários do contador

Vamos falar sobre lucros! A margem de lucro é o que você cobra acima dos valores de gastos. Afinal, sua empresa não foi criada só para pagar contas, mas sim para gerar lucro e valor ao mercado.

Parâmetros de mercado

Vamos a forma mais simples de definir sua margem de lucro, ou seja, utilizando os parâmetros de mercado. De acordo com o Sebrae, a margem de lucro de serviços é de, aproximadamente, 20%. Isso enquanto o comércio possui uma remuneração de 4%.

O cálculo básico é:

Margem de lucro = lucro / receita x 100

Então, se você fatura R$ 45.000,00, mas depois de deduzir todos os custos fica com R$ 10.000,00, significa que a sua margem de lucro é de 22%, um excelente resultado. Agora, se o seu índice estiver muito abaixo da porcentagem de referência, talvez você precise rever alguns processos, aumentar os preços ou diminuir os custos.

 

Retorno esperado sobre o investimento

A margem de lucro também pode ser baseada no retorno esperado para o investimento realizado no negócio. Para isso, você pode calcular a rentabilidade do negócio, que é justamente a análise de ROI (Retorno Sobre o Investimento).

Rentabilidade = lucro líquido x 100 / Investimento

Ou seja, se você investiu R$ 50.000,00 para abrir e viabilizar o escritório e teve R$ 5.000,00 de lucro no período, sua rentabilidade foi de 10%. Se seguir dessa forma, você recuperará seu capital em 10 meses. Você pode ajustar essa meta conforme seus objetivos, depois de alcançar o ponto de equilíbrio do negócio.

 

Com informações de: ContaAzul+ Blog

 

Veja mais notícias no blog do Aprova Concursos

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE NOVIDADES

Curta no Facebook a página do Aprova! Siga também nosso perfil no Instagram

Comente

Uma resposta para “Honorários do contador: saiba como calcular e manter a lucratividade”

  1. Silvia Norma Pacha Morocco disse:

    Boa noite agradeço a quem corresponda me ajudar sou aprendiz na aréa contábil muito obrigada por as informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *