Saiba mais sobre departamentalização

A maioria das empresas trabalha com departamentalização, o que acaba gerando vários centros de custos, chamados também de centros de responsabilidade. Isto facilita na transferência das estruturas de custo da parte produtiva ao final do processo.

A departamentalização permite uma organização maior por parte da empresa e um controle melhor da cronologia das operações. Porém, dependendo do tamanho da organização, o trabalho inicial pode ser extenso. Todos os departamentos devem saber as informações e os dias em que as mesmas devem ser disponibilizadas. Caso um deles falhe, o efeito cascata pode atrapalhar o todo da operação.

Inicialmente é importante conhecer dois conceitos:

– Departamentalização: departamento é a unidade administrativa para a Contabilidade de Custos, representada por homens e máquinas desenvolvendo atividades homogêneas.

– Centros de Custos: na maioria das vezes, um departamento é um Centro de Custos, ou seja, nele são acumulados os custos indiretos para posterior alocação aos produtos ou a outros departamentos. Eles podem receber a classificação de produtivos, não produtivos, de serviços, auxiliares, etc.

A técnica de departamentalizar uma empresa em centros acumuladores de custos é o que denominamos de custeamento ou custos por responsabilidade, que serve para identificar responsabilidades, autoridade, custos, objetivos e metas dos centros específicos. Desta maneira é possível controlar os gastos e realizações de cada setor.

E por que departamentalizar? Para uma racional distribuição dos custos indiretos, pois a simples alocação aos produtos, em determinadas empresas, não espelha a correta apropriação dos custos aos produtos. A seguir, veja um resumo de como organizar a departamentalização.

Síntese do Esquema Básico Completo da Departamentalização

1º passo – Separação entre Custos e Despesas.

2º passo – Apropriação dos Custos Diretos aos produtos.

3º passo– Apropriação dos Custos Indiretos que pertencem, visivelmente, aos Departamentos, agrupando, à parte, os comuns.

4º passo – Rateio dos Custos Indiretos comuns e dos da Administração Geral da produção aos diversos Departamentos, quer de produção quer de serviços.

5º passo – Escolha da sequência de rateio dos Custos acumulados nos Departamentos de Serviços e sua distribuição aos demais Departamentos.

6º passo – Atribuição dos Custos Indiretos, que agora só estão nos Departamentos de Produção, aos produtos segundo critérios previamente fixados.

Entenda o que é Departamentalização na Contabilidade de Custos

O professor Michael Dias explica de forma fácil e completa como gerenciar o centro de custos. Assista:

Contabilidade Gerencial x Contabilidade Financeira

Contabilidade Gerencial, ou Contabilidade de Gestão, obtêm dados e os apresenta de maneira específica, bastante minuciosa, servindo principalmente aos gestores e demais cargos superiores. Em outras palavras, eles fazem uso dessa Contabilidade Gerencial para tomarem decisões operacionais em prol da empresa, impactando assim na vida financeira do negócio. Esse método de contabilidade depende muito da previsão de mercados e tendência.

Já a Contabilidade Financeira tem foco externo, sendo apresentada para os agentes que estão fora da empresa. Seu intuito é elaborar demonstrações financeiras para clientes, acionistas, credores, e etc. Ela é utilizada para comprovar como anda a saúde financeira da organização. Só aí percebe-se a principal diferença entre ela e a Contabilidade Gerencial, pois enquanto uma apresenta período passado, a outra foca no futuro.

Para saber mais sobre o assunto, clique aqui.

Saiba tudo sobre a DME

A Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie (DME) é um documento que deve ser feito por todos os contribuintes pessoas físicas e jurídicas que fizerem qualquer operação em espécie em valor igual ou superior a R$ 30 mil.

A regra entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2018 e o prazo de entrega da DME vai até as 23h59min59s (horário de Brasília) do último dia útil do mês subsequente ao mês de recebimento dos valores em espécie.

Clique aqui e saiba mais sobre a DME!

Calendário Fiscal 2019

Confira o Calendário Fiscal para os meses restantes em 2019. Veja as principais obrigações acessórias a serem cumpridas pelos profissionais de ciências contábeis:

Conheça as 5 habilidades de um Contador

Em todas as áreas possuir habilidades e competências são muito importantes para alcance do sucesso profissional. Por isto, criamos uma lista com características muito importantes para atuação na área contábil, confira:

1 – Habilidade com números
2 – Organização
3 – Responsabilidade
4 – Perfil Analítico
5 – Boa comunicação

Clique aqui e leia a matéria na íntegra!

O que é o Exame de Suficiência do CFC

Realizado duas vezes por ano, o Exame de Suficiência do Conselho Federal de Contabilidade é uma avaliação a que se submetem, por força de lei, os bacharéis e técnicos em Ciências Contábeis no Brasil, onde demonstram que possuem capacidade, conhecimentos e práticas necessárias ao exercício da profissão na área contábil.

É necessário passar por esta avaliação para a obtenção de registro profissional como contador. O exame de suficiência é composto por 50 questões objetivas, divididas entre temas de Contabilidade Geral, Contabilidade de Custos, Contabilidade Aplicada ao Setor Público, Contabilidade Gerencial, Controladoria, Noções de Direito e Legislação Aplicada, Matemática Financeira e Estatística, Teoria da Contabilidade, Legislação e Ética Profissional, Princípios de Contabilidade e Normas Brasileiras de Contabilidade, Auditoria Contábil, Perícia Contábil e Língua Portuguesa Aplicada.

Pensando nisso, separamos algumas questões que mais têm chance de aparecer no próximo Exame de Suficiência do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).  Acesse o nosso simulado e comece agora sua preparação para obter o registro profissional na área contábil.

Simulado para o Exame de Suficiência do CFC: clique aqui!

Você também pode se preparar com provas anteriores do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), em nosso site estão disponíveis exames de 2011 a 2018.

Exames de Suficiência de 2019

O Conselho Federal de Contabilidade divulgou hoje o edital do 2.º Exame de Suficiência, o prazo de inscrições vai até 27 de setembro e a prova será realizada em 27/10/2019.

Em abril saiu o edital do 1.º Exame do CFC que teve a prova foi realizada no dia 7 de julho. Veja a análise do documento com o Professor Osmar Pastore:

Depoimentos de alunos aprovados no Exame de Suficiência

Confira também depoimentos de alunos que estudaram com as videoaulas do Aprova e foram aprovados nas últimas edições Exame de Suficiência:

“Quando comprei meu curso pela internet não imaginava que ele me ajudaria e seria tão importante para mim poder conquistar o que tanto precisava. Hoje venho aqui agradecer primeiramente a Deus e a todos os professores do Aprova, que de uma maneira tão simples e didática me ajudaram a passar no Exame de Suficiência do CFC, pretendo prestar outros concursos e não vou ter dúvidas, minha escolha vai ser APROVA novamente. Obrigada pessoal do Aprova e sucesso a todos vocês sempre!!!“ – Sabrina Souza

“O Aprova concursos me ajudou e muito na minha Prova do CFC, para bacharel em Contabilidade. Com ótimos professores, as vídeos aulas são bem explicativas, dinâmicas e ricas em conhecimento. Além é claro do material de apoio como: banco de questões, esclarecimentos via email e apostilas do curso. Obrigado Aprova Concursos.“ – Rogerio Vasques

“Estudei para o Exame de Suficiência do CFC, através dos vídeos do Aprova Concursos passei no teste, foi uma ótima opção pois pra mim que tenho bebê, pois conseguia estudar quando meu bebê dormia e sem ter que sair de casa! Obrigada pela ótima equipe de Professores!” – Geslayne Nonohay

Veja mais notícias no Blog do Aprova Concursos

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE AS NOVIDADES

Curta a página do Aprova e siga nosso perfil no Instagram

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *