Veja como estudar para concursos

Saiba como estudar para concursos públicos! Cada certame terá seus conteúdos e provas específicas, mas há capacidades que os candidatos precisarão desenvolver, como a memória para guardar tanta informação.

Definir uma área

Antes de estudar para concursos, você deve decidir se quer seguir uma carreira na área de formação ou quer procurar novas opções. Para a maioria dos concurseiros, as alternativas são os cargos de formação geral, administrativos, de áreas de controle e outros que não exigem formação específica.

Conheça, pelo menos, a essência de cada carreira para entender por que é interessante escolher uma área, não necessariamente um cargo específico.

Escolher materiais

É preciso ter em mãos as ferramentas certas ao estudar para concursos: livros, aulas presenciais, apostilas em PDF, videoaulas e questões (objetivas e discursivas). Para descobrir o que mais se ajusta ao seu caso, será preciso experimentar cada material e ver do que se gosta mais.

A avaliação final dos materiais é do aluno. O que vai determinar o sucesso é a afinidade com o material e a capacidade de se adaptar a ele. Um bom aluno consegue superar um material ruim, mas nenhum material será bom o suficiente para um candidato fraco que não procure melhorar.

Estudo ativo

Não faça somente a leitura do material com o programa da seleção com atenção. É preciso processar as informações que se estuda. A melhor estratégia para processar os conteúdos estudados é ler, entender o que foi lido, fechar os livros e escrever o que se entendeu com as próprias palavras.

Quando se faz um resumo com o livro aberto ao lado, simplesmente copiando, não há processamento da informação, apenas cópia.

Tempo para estudar

Aproveite cada minuto escondido no dia. Há muitos: esperas em filas, intervalos de reuniões e até sobras do horário do almoço etc. Evite esperar para começar o estudo sempre na hora certa, como 11h ou 13h. Cada minuto é importante.

Áudio de aulas ajuda muito quem tem pouco tempo ou outras atividades. Experimente acordar mais cedo e dormir mais cedo. Durante a madrugada, antes de o dia começar, tudo é mais calmo. Com o tempo, fica mais fácil administrar o sono.

Memória

Para a maioria dos concursos, não são necessárias técnicas de memorização literal de textos e números. Claro que a memória é importante, mas dificilmente uma questão vai pedir a citação de um artigo, por exemplo. O que a questão vai exigir é a compreensão do sentido do conteúdo.

Para isso, será importante revisar aquela matéria que foi processada, compreendida. Do contrário, será esquecida. Para a memória funcionar, o material de revisão deve ser marcante, visualmente interessante e visto repetidamente pelo estudante.

Resumos eficientes

Use as suas próprias palavras (estudo ativo), títulos, subtítulos e cores em seu resumo. Utilizar cores diferentes para assuntos diferentes ajuda a navegar visualmente e a recuperar o que você estuda.

Escreva o mínimo possível e, conforme for resolvendo questões e encontrando dificuldades, complemente o resumo.

Mapa mental

É um diagrama para representar os conteúdos relacionados com palavras-chave ou ideia central. Torna a revisão menos cansativa. Seu mapa deve ter uma imagem central, a partir da qual nascem os demais ramos.

Use uma ou duas palavras por ramo, no máximo. Essa é uma das recomendações mais difíceis de serem seguidas pelos iniciantes. Cada palavra deve ser o maior possível. Causa interesse visual e fica mais fácil de ler.

O tamanho ideal de um mapa é uma folha A4 na horizontal em que se consiga identificar prontamente as palavras.

Frequência

A revisão dos conteúdos estudados na semana deve ser diária por meio de mapas mentais. No caso de resumos, no mínimo uma revisão semanal, pode ser também a revisão geral de todos os mapas mentais. Quanto mais um conteúdo é visto, mais condições o candidato tem de recordá-los.

Simulados

A resolução de questões é fundamental desde o primeiro dia. Questões certas mostram que o treino está bom, e as erradas, alertam para avaliar o estudo. Use sites de questões.

Mantenha um registro de data, disciplina, tópico das questões, tempo para resolução, percentual de acertos. Isso dá noção de quais são os pontos fracos.

Imprevistos e decepções

Nada é certo quanto à previsão de concursos públicos. Razões políticas podem suspender ou adiar provas. O futuro aprovado aproveita momentos de baixa para treinar. Enquanto os outros estiverem começando a correr atrás, ele estará pronto para a prova.

Com informações da Gazeta do Povo

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE AS NOVIDADES SOBRE CONCURSOS PÚBLICOS

Veja mais notícias e dicas de como estudar no Blog do Aprova Concursos

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *