Estudar por conta própria não é fácil, mas a prática pode dar certo quando bem organizada. Com mapas mentais, resumos e controle do tempo, é possível achar métodos de estudo eficazes, que dão conta das várias matérias cobradas nos concursos públicos.

Conheça 5 métodos de estudo que poderão ajudar na sua caminhada!

 

Técnica Pomodoro

Produtividade, foco e equilíbrio fazem toda a diferença nos estudos e servem de impulso para técnicas como a Pomodoro. O método combina trabalho e relaxamento, definindo que períodos de esforço devem ser recompensados com momentos de distração.

Não há tempo definido, mas o convencional é o formato 25/5, que oferece cinco minutos de descanso a cada 25 minutos de concentração nos livros. Usando alarmes para delimitar cada momento, a hora de relaxar pode ser preenchida como cada estudante preferir, desde usar o celular até fazer alongamentos.

 

Método Robinson (EPL2R)

Há 5 passos fundamentais: explorar, perguntar, ler, rememorar e repassar. O primeiro momento é de exploração do material de estudo, com leitura superficial de tópicos, sumários e títulos. Esse contato inicial deve resultar em dúvidas, indagações que levam os alunos ao segundo procedimento, que é fazer perguntas sobre temas que chamam a atenção.

Com as perguntas formuladas, ocorre a primeira leitura aprofundada, objetivando responder cada questão surgida anteriormente. Depois de encontrar a solução para as perguntas, a leitura completa finalmente ocorre. Esse é o momento em que os candidatos leem o material sem pensar em aplicações do conteúdo, ou seja, apenas uma leitura tradicional.

Após aprender e organizar o conhecimento, a etapa final é uma espécie de aula para si mesmo – e que pode ser feita na companhia de amigos – explicando os conceitos mais importantes em voz alta.

 

Mapa mental

Os mapas mentais são ideais para pessoas de mentes mais visuais, exatamente por investirem em imagens, setas e cores. A técnica organiza matérias em um diagrama, elegendo um tema central. Em seguida, é preciso conectar esse assunto principal a tópicos paralelos.

Por exemplo, se a disciplina for a Guerra Fria, os vários acontecimentos relacionados ao tema vão ser ligados ao centro do diagrama, como, por exemplo, a queda do Muro de Berlim e o embargo econômico a Cuba. Isso pode ser feito com balões ou desenhos que remetem aos assuntos.

Com o mapa fica mais fácil revisitar o conteúdo meses depois e lembrar rapidamente da conexão entre os assuntos.

 

Teste Prático

Lembra o formato dos simulados, só que preparado por você mesmo e com base em dúvidas individuais de cada matéria. O segredo é fazer blocos de questões sobre temas que deixaram dúvidas durante a leitura.

Para responder cada pergunta é útil buscar várias fontes de conhecimento até que uma resposta satisfatória seja encontrada. A eficácia da técnica está em economizar tempo e agir diretamente nas áreas em que sentir mais dificuldade.

 

Autoexplicação

Também chamada de elaboração interrogativa, a técnica consiste em duvidar de tudo que se lê, refletindo sobre cada informação. A autoexplicação ocorre quando, a partir de indagações, você tenta explicar os conteúdos para si mesmo. Para levantar (e solucionar) as perguntas, é comum grifar, rasurar, escrever, usar dicionários e até falar sozinho.

Ao duvidar, responder e resumir conteúdos, você estabelece a autoexplicação, considerada uma leitura interativa, que vai além de uma simples olhada nos livros e cadernos. Com fichamentos e anotações, o processo é uma ferramenta útil para afastar a famosa “decoreba” e, de fato, absorver o conhecimento.

 

Com informações do Jornal O Globo

 

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE AS NOVIDADES SOBRE CONCURSOS PÚBLICOS

Veja mais notícias e dicas de como estudar no Blog do Aprova Concursos

 

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *