técnicas de estudo Um estudo publicado pela revista científica Psychological Science in the Public Interest avaliou a eficácia de dez técnicas  de estudo comuns de aprendizagem.

Se você costuma resumir, grifar, utilizar mnemônicos e visualizar imagens, preste atenção no resultado desta pesquisa!

Segundo o estudo, grifar partes importantes da matéria com caneta marca texto foi considerada pouco efetiva. A explicação é que ao fazer um grifo, seu cérebro não está organizando, criando ou conectando conhecimentos.

Outra técnica estudada foi a releitura. Segundo a pesquisa a releitura das matérias só demonstra resultado quando é feita seguidamente, ou seja, sem muito intervalo de tempo entre uma lida e outra. Para o conteúdo ser bem aproveitado, a dica é reler imediatamente, por diversas vezes.

O uso de mnemônicos foi considerado de baixa eficácia no conteúdo geral. Ou seja, as siglas e palavras-chave para memorização de conteúdo extenso dificilmente são absorvidas pela memória.  Então, utilize-os apenas em casos específicos e pouco tempo antes de teste.

A prática conhecida como visualização, ou seja, associar imagens ao conteúdo também não mostrou bons resultados. Os pesquisadores pediram que estudantes imaginassem figuras enquanto liam textos. O resultado positivo foi apenas em relação à memorização de frases. Em relação a textos mais longos, a técnica mostrou-se pouco efetiva.

Uma técnica muito conhecida é o Resumo, que consiste em destacar as principais técnicas de um texto. E para esta forma de estudo, os pesquisadores identificaram que os resumos são úteis apenas para provas escritas, mas não para provas objetivas.

Já o uso da Interrogação elaborativa mostrou uma utilidade moderada. A técnica de interrogação elaborativa consiste em criar explicações que justifiquem o porquê determinados fatos apresentados no texto são realmente verdadeiros. Ao ler um texto, o estudante deve concentrar-se em perguntas do tipo: Por quê? Ao invés de o que? Esse tipo de estudo requer um esforço maior do cérebro, pois, concentra-se em compreender os fatos investigando as origens.

Autoexplicação mostrou-se ser uma técnica útil para aprendizagem de conteúdos mais abstratos. Na prática, trata-se de ler o conteúdo e explicá-lo com suas próprias palavras para você mesmo. O estudo mostrou que a técnica é mais efetiva se utilizada durante o aprendizado, e não após o estudo.

Estudo intercalado esse método é o que chamamos de rotação de matérias.  A pesquisa procurou saber se era mais efetivo estudar tópicos de uma vez ou intercalando diferentes tipos de conteúdos de uma maneira mais aleatória. Os cientistas concluíram que a intercalação tem utilidade maior em aprendizados envolvendo ciências exatas.

As melhores técnicas de estudo segundo Psychological Science:

Realizar testes práticos sobre o que você está estudando é uma das melhores maneiras de aprendizagem. A pesquisa científica mostrou que resolver provas já aplicadas é até, duas vezes mais eficiente, do que qualquer outra técnica. Para concursos públicos, a recomendação é fazer muitos exercícios de provas anteriores, mesmo que não seja a do concurso para o qual você pretende se candidatar.

E por último vamos falar da Prática distribuída que consiste em distribuir o estudo. Ao invés de concentrar em um bloco só, o melhor é dividi-lo em períodos, como por exemplo, uma hora de manhã, uma hora à tarde e outra hora à noite.

 

Veja mais notícias no Blog do Aprova Concursos

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE AS NOVIDADES SOBRE CONCURSOS PÚBLICOS

 

 

 

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *