mentiras sobre concursos públicosÉ só você decidir participar de algum concurso público, para que os conhecidos e familiares se sintam na liberdade de efetuar diversos palpites e comentários.

Os boatos, que nem sempre são verdadeiros, podem gerar uma série de dúvidas e influenciar até mesmo na sua motivação.

Se você está vivenciando uma situação como esta, confira abaixo 8 mentiras sobre concursos públicos muito propagadas pela legião de comentaristas.

Mentiras sobre concursos públicos

Mentira 1 – Marcar a mesma letra em todas as questões aumenta a chance de passar

Normalmente, há um equilíbrio na distribuição das respostas. Supondo que cada questão possua 5 alternativas do tipo “a b c d e”. Caso você marque no gabarito a letra “c” como resposta para todas as perguntas, você deverá acertar algo em torno de 20% da prova – o que é muito pouco para ser aprovado.

Mentira 2 – Estudar somente a partir de provas anteriores é suficiente para um bom resultado

Resolver provas anteriores é fundamental – por meio delas você pode medir o seu grau de conhecimento e se adaptar melhor ao estilo da banca – mas, só isso não basta! É necessário também conhecer a teoria de todas as disciplinas.
Somente por meio do conhecimento teórico é que você irá compreender a fundo o assunto tratado e entender o porquê das respostas de cada uma das questões.

Mentira 3 – Nos concursos municipais é proibida a participação de quem mora fora da cidade

Esse é um boato bastante frequente. No entanto, nenhum órgão público pode impor esse tipo de limitação, pois, ela fere a Constituição.

Mentira 4 – É obrigatório conhecer o Hino Nacional para poder fazer a posse

Embora em alguns órgãos o hino seja cantado no dia da posse dos aprovados, não existe nenhuma norma que os obrigue a conhecer a letra.

Mentira 5 – Gestantes não tomam posse do cargo público

Pela lei, o candidato aprovado nas provas precisa fazer um conjunto de exames admissionais antes da sua nomeação.
A gravidez, no entanto, não caracteriza impedimento para que a gestante tome posse do seu cargo.

Caso a apresentação para a tomada de posse coincida com o período de nascimento da criança, a candidata poderá entrar com recurso na justiça, podendo ter sua posse adiada.

Mentira 6 – Portadores de necessidades especiais não precisam apresentar laudo médico

Embora cada edital tenha suas especificidades no que diz respeito ao processo de seleção de portadores de deficiência, na maioria dos casos, a banca examinadora exige que o candidato envie o laudo médico por Sedex após o ato da inscrição.
Esse laudo será avaliado por uma equipe médica multidisciplinar que irá verificar se ele atende os aspectos mínimos pedidos no edital, como espécie da deficiência, nível, código CID e a provável causa da doença.

Mentira 7 – A carga horária de trabalho pode mudar após o concurso

De acordo com a Lei 8.112 de 1990 que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos, a alteração da carga horária só pode ser realizada se estiver em documento previsto por lei e que traga a aprovação do funcionário com relação a esta mudança.

Mentira 8 – É proibida a realização de concursos públicos em ano eleitoral

Essa é outra dúvida bastante comum entre os concurseiros, mas nada impede que os concursos públicos sejam feitos em ano eleitoral.

Veja mais notícias no Blog do Aprova Concursos

INSCREVA-SE NO CANAL DO APROVA E ACOMPANHE AS NOVIDADES SOBRE CONCURSOS PÚBLICOS

 

 

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *