Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Qual é o seu tipo de memória?

Publicado em 25 de abril de 2017 por - Comentar

Você sabia que existem várias formas de memorização? Vamos mostrar para você quais os tipos de memória existentes e como é possível usá-las para guardar o conteúdo estudado.

Memória visual 

Há pessoas que têm uma memória visual bastante apurada. Ao se lembrarem de um fato ou conteúdo, conseguem visualizar detalhes, como roupas, gestos, rostos e até mesmo as páginas de um livro, por exemplo.

Se você se identifica com essa descrição, procure estudar usando a leitura, os desenhos e os esquemas gráficos para ser bem-sucedido no armazenamento de conteúdo.

Experimente também grifar os textos em vermelho. Isso ajudará você a selecionar e guardar as informações destacadas!

 Memória auditiva 

Se você costuma se lembrar com facilidade de conversas, assuntos ou frases ditas pelas pessoas, é porque, certamente, você possui uma memória auditiva desenvolvida.

Os concurseiros com memória auditiva apurada têm mais facilidade em guardar o que assistem nas videoaulas, por exemplo, arquivando os conteúdos exatamente da forma como foram falados pelo professor.

Se você se encaixa nesse perfil, procure verbalizar os assuntos a serem memorizados. Você pode fazer isso lendo textos em voz alta e discutindo os pontos abordados nas matérias com outras pessoas.

Memória analógica

A memória analógica é a memória alfanumérica. Ela está ligada à capacidade de lembrar nomes e números, separados ou em sequências.

As pessoas que possuem esse tipo de memória tendem a ter maior facilidade com ciências exatas, por exemplo. No entanto, a dificuldade aparece em outras disciplinas, como português, atualidades e outras que envolvam conteúdos mais teóricos.

Se você se encaixa nesse perfil, a dica é separar o conteúdo escrito por tópicos, enumerando e criando listagens com palavras-chaves. As sequências vão parecer mais familiares e, consequentemente, serão arquivadas de forma natural pelo seu cérebro.

Memória sinestésica

Estima-se que a memória sinestésica seja preponderante em apenas 4% da população mundial. Pessoas com essa capacidade têm muita facilidade para arquivar informações, pois o cérebro armazena o conteúdo com outras referências de memória.

Mas mesmo que não se encaixe nesse perfil, você pode aprender a fazer essas associações para memorizar com facilidade. Para isso, crie um sistema de conexões associando cores, gestos ou sons que possam ajudar a relembrar os conteúdos estudados.

Memória volátil

E seja qual for seu tipo de memória, o armazenamento de informações está ligado a uma boa noite de sono. Sabe por quê?

A chamada “memória volátil” é aquela que usamos para lembrar coisas corriqueiras. Enquanto estamos dormindo, ela seleciona tudo aquilo que é mais importante e transfere para a “memória permanente”.

Por esse motivo, pessoas que têm distúrbios do sono, como insônia, sonambulismo e apneia, possuem maior dificuldade de concentração e problemas de esquecimento. Nesses casos, a ajuda médica é indispensável.


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *