Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Auditores-Fiscais do Trabalho podem entrar em greve amanhã

Publicado em 1 de agosto de 2016 por - Comentar

Com o fim do prazo apresentado pelo governo federal, na última sexta-feira (29), para envio ao Congresso Nacional do projeto de lei que reestrutura a carreira e reajusta os salários dos Auditores-Fiscais do Trabalho, a categoria deve dar início a uma greve, a partir de amanhã, 2 de agosto, em todo o país, sem previsão de retorno ao trabalho.

De acordo com informações do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) ao longo da última semana, a categoria realizou operação padrão em 12 estados (Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Mato Grosso e São Paulo). As ações fiscais combateram o excesso de jornada dos trabalhadores, a falta de equipamentos de proteção, entre outras medidas de segurança.

Concurso previsto com 847 vagas
O Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), criado pela fusão dos Ministérios do Trabalho e Emprego (MTE) e da Previdência Social, reapresentou em março o pedido para a abertura de concurso com 847 vagas de Auditor Fiscal do Trabalho.

Para participar do certame os candidatos deverão possuir nível superior completo em qualquer área. A remuneração inicial deve ser R$ 15.743,64 acrescida ainda de auxílio-alimentação (R$ 458,00).

PREPARE-SE PARA O CONCURSO DO MTE COM O APROVA CONCURSOS!
Para mais informações ligue: 0800 606 8889

Atualmente há mais de 1.100 cargos vagos na carreira de Auditor, porém, a carência é de mais de 5 mil servidores, considerando-se os parâmetros estabelecidos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Segundo o Sinait o efetivo atual é o menor em 20 anos, o que prejudica a atuação do órgão no combate a mazelas como o trabalho infantil, escravo, entre outros.

O último concurso aconteceu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB, com oferta de 100 vagas no cargo de Auditor. Na época o salário era de R$ 14.280,00 para jornada de trabalho de 40 horas semanais. Houve reserva de 5 vagas para candidatos com deficiência. A taxa de inscrição custava R$ 130,00 e as provas foram realizadas em setembro daquele ano.

O certame foi realizado em cinco fases, com duas provas objetivas, duas avaliações discursivas e sindicância de vida pregressa. As provas objetivas possuíam 100 questões de conhecimentos básicos e 120 de específicos, já as avaliações discursivas traziam 6 questões, uma dissertação e um parecer técnico nas áreas de Direitos Humanos; Economia do Trabalho; Direito Constitucional; Direito Administrativo; Gestão de Projetos; Direito do Trabalho e/ou Segurança e Saúde no Trabalho.

Resolva aqui as questões cobradas nas provas anteriores dos concursos do MTE!


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *