Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

De concurseiro obstinado a Agente de Polícia Federal. Conheça a trajetória de Wendell Moura.

Publicado em 16 de fevereiro de 2016 por - 62 Comentários

wendellMeu nome é Wendell Moura, tenho 33 anos, sou de Uberlândia/MG;

No ano de 2001, aos 18 anos de idade, prestei meu primeiro concurso público e fui aprovado para o cargo de Soldado da Polícia Militar de Minas Gerais. Embora o imaginário popular vislumbre o contrário, o acesso ao cargo de Policial Militar é difícil e carregado de etapas (provas objetivas, redação, exames médicos, exames psicológicos, TAF e CFP). O CFP (Curso de Formação de Praças), por exemplo, durou 18 meses ao longo dos anos de 2002 e 2003;

No ano de 2007, fiz inscrição no concurso da Polícia Rodoviária Federal. Aquele famigerado último concurso em que o ingresso permitia ensino médio. Me inscrevi em um cursinho presencial em Uberlândia/MG e dividi meu tempo, trabalhava na PM  de dia e estudava de noite. Começou aí minha jornada de concurseiro obstinado. Resumindo, o concurso foi suspenso, demorou mais de ano para se aplicar as provas e “tomei pau”;

Ciente de que seria difícil conseguir um bom cargo na União sem possuir Ensino Superior, corri atrás e fui aprovado, no ano de 2008, no vestibular (ainda não existia ENEM) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Cursei Bacharelado em Geografia (tema que sou fascinado) entre 2008 e 2011. Do mesmo modo, trabalhava na PM durante o dia e estudava durante a noite;

Diploma na mão, começou, de fato, uma batalha implacável com a CESPE. Em meados de 2012, prestei o concurso do MPOG, para Analista de Infraestrutura. As vagas se dividiam em 07 áreas temáticas, escolhi Analista de Infraestrutura de Transportes. Fiz 50 pontos, o corte foi 51. Em qualquer outra das 06 áreas passaria no corte, nos transportes não deu. Mas fiquei animado, de forma geral fui até bem! Aqui quase não estudei, aproveitei conteúdo da faculdade;

Ainda em 2012, prestei o concurso do IBAMA. Na minha área seria fácil, né? “Deu ruim”, acredito que tenha sido a minha pior prova até hoje, fiz 36 pontos! Aqui não estudei, acreditei que só a faculdade me bastaria;

Ainda em 2012, prestei o concurso de Agente da Polícia Federal. “Tomei pau”. A CESPE estava batendo forte. kkk! Aqui estudei por uma apostila, comprada em banca de jornal;

2013, viria concurso da PRF de novo, me animei! Contudo, cometi um tremendo engano (“fiz cagada”)! A Polícia Civil de Minas Gerais abriu concurso para perito e resolvi me aventurar! Logo, perdi o foco e “tomei pau”! Com essa aventura na PCMG, perdi quase todo tempo de estudo para o cargo que realmente me interessava;

Na PRF 2013, pela primeira vez, investi em um cursinho ead! Com pouco tempo (um mês aproximadamente), “abandonei a vida” para estudar, trabalhava até as 18h  e estudava até de madrugada, dormia 04, 05 horas no máximo e ia trabalhar novamente, em finais de semana chegava a estudar 16 horas por dia! Esse método não funcionou, “tomei pau”! Fiz 59, o corte foi 63 (salvo engano). A essa altura do campeonato me desesperei, achei que não daria mais, perdi o ânimo e até parei de estudar;

Mas, no início de 2014, veio a notícia de que o ICMBIO abriria concurso. Por ser concurso da área ambiental, resolvi fazer a prova. Pesquisando sobre cursos preparatórios na internet descobri o Aprova Concursos. Comprei um pacote e resolvi apenas assistir aulas on line. “Tomei pau”, fiz 63, o corte foi 64! Entretanto, a equipe do Aprova, sobremaneira os professores Odilei França, Antônio Kozikoski e Ricardo Beck, me fizeram acreditar novamente na possibilidade de vitória! O intensivão do Aprova me ajudou não só com conteúdo programático, mas com esperança, decidi que dentro das áreas policial ou ambiental iria passar em um concurso, “nem que fosse a porrete”;

Ainda em 2014, começaram os boatos de que viria o concurso para Agente PF de novo! Foquei, passei a me dedicar exclusivamente para esse concurso, comprei o pacote Aprova, iniciei os estudos antes da publicação do edital. Mudei a estratégia (assistia as aulas e resolvia questões no banco do Aprova, também assinei outro sítio de questões, estudava 2h de manhãzinha, 1h no almoço e 2h à noite, treinava para o TAF e, ainda, trabalhava 8h por dia), criei um mantra pessoal (toda vez que “as coisas complicavam”, entoava para mim mesmo Alfa Papa Fox)! Loucura né, mas ajudou bastante, inclusive mais tarde no CFP, kkk. Prova corrigida, 67 no gabarito, expectativa total! Quando saiu o resultado, estava dentro das 600 vagas previstas no edital, contudo, não estava dentro das vagas, pois 120 eram exclusivas para cotistas e 30 para portadores de necessidades especiais. Pior, estava de férias na praia e não consegui recorrer da redação (apesar de ter ido muito bem) ato que me garantiria, provavelmente, mais 0,5 ponto e me colocaria de vez dentro das vagas. Em resumo, estava em 498 e teria que atingir a posição 450 para entrar, porém teríamos várias etapas pela frente (no dialeto mineiro: “muita água para passar debaixo da ponte”). Força, foco e fé (muita fé mesmo)! Exames físicos, a temida natação! Exames psicológicos! Exames médicos (me pediram exames complementares)! Força, foco e fé (muita fé mesmo)! A cada etapa um deslocamento para Goiânia/GO, e uns R$ 500,00 em média (essa brincadeira em orçamento de pobre, complica, kkk)! Força, foco e fé (muita fé mesmo)! “Deu bom”! Resultado final e convocação para o CFP, eu era o 427 (dentro das vagas, finalmente);

03 ago 2015, início do CFP. Eu já tinha enfrentado CFP antes, tinha uma noção, mas foi uma experiência ímpar! Muita correria, várias disciplinas, várias provas teóricas, várias provas práticas, exigiu bastante condicionamento físico e psicológico, até mesmo porque o curso se deu em regime de internato (seg à sab). Destaco aqui a competência da PF nesse quesito, muita gente, muito conteúdo e pouco tempo!

18 dez 2015, formatura, festa e sensação de quase lá! A classificação no curso foi critério para escolha de vagas, fiquei no “meião” (fui o 193 em 714 formandos) e escolhi a região Sul (São Borja/RS);

31 dez 2015, último dia do ano, saiu a tão esperada nomeação, ver o nome naquele PDF “não teve preço” (nesse dia eu chorei);

Início de 2016, dei baixa na Gloriosa e Bicentenária Polícia Militar de Minas Gerais, onde ocupava o posto de Cabo (Cabo Infante, está escrito na reservista, kkk), e assumi o cargo de Agente de Polícia Federal (um sonho);

Agora, distante de casa, na fronteira Oeste, mas feliz, muito feliz, “mais feliz do que pinto no lixo”, kkk! Espero ajudar a construir um Brasil digno, combater a corrupção, combater o crime organizado, atender bem o cidadão ordeiro;

Àqueles que buscam uma vaga em concurso público, especialmente, para a galera que sonha com a carreira policial, digo que vale a pena, cada segundo de estudo, cada noite, final de semana, feriado, etc., deixado de lado em prol de estudar, me valeu muito! Sei que as realidades são diferentes (alguns dispõem de bons recursos e mais tempo, outros não dispõem sequer de orçamento para pagar o cursinho), mas não tem outro caminho! Todo mundo vai ter que estudar! Para mim, o que resolveu o problema foi buscar um preparatório em que me identifiquei com a linguagem dos professores! Outro ponto foi a resolução de questões (você vai encontrar na prova da CESPE questões idênticas àquelas que você resolveu, aconteceu comigo, a questão que me tirou do ICMBIO – redação oficial – caiu na PF, até comemorei quando a vi). Sem demagogia, no meu caso, o Aprova Concursos foi o diferencial, sobretudo, os professores citados, os “caras” falavam e eu entendia, e veja que sou Bacharel em Geografia, não entendia nada de microeconomia, administração financeira e orçamentária, contabilidade, etc. E por fim, parceiro, é fé! Deposite sua crença naquilo que você quiser, mas tenha fé! Acredite em você, não desista! Avesso a qualquer apelo vitimista, digo que se deu certo para mim (estudante de escola pública, que sempre trabalhou e estudou ao mesmo tempo) dá pra todo mundo! Seja em qualquer concurso, seja para qualquer cargo (desde os mais sofisticados ao exemplo da magistratura ou mais concorridos como as carreiras policiais, tributárias) você vai passar! Pode até levar um tempo (como aconteceu comigo)! Mas, se realmente estiver disposto a lutar por isso, você vai passar! Àqueles que vierem para Federal, nos veremos pelo Brasil!

Abraço e boa sorte a todos!
Wendell Luiz de Moura


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

62 comentários

  • Santcleirdasilvaquaresma

    Meus parabens . Estou focado na anvisa e tre e trf espero quem sabe um dia . lhe da os parabens pessoalmente .abraco sucesso.sempre.

  • Santcleirdasilvaquaresma

    Meus parabens . Estou focado na anvisa e tre e trf espero quem sabe um dia . lhe da os parabens pessoalmente .abraco sucesso.sempre.(fe e persistencia)…

  • jorgesiva-@hotmail.com

    Caramba!!! Meu Brother que depoimento fantástico… Meus parabéns irmão você merece.

  • MICHEL DE LIMA

    Parabéns Wendell Moura! Sucesso sempre! O seu depoimento é motivador para todos nós, obrigado. Mais uma vez, parabéns pela conquista.

  • Fabio Lopes

    Meus parabéns luz e proteção divina irmão

  • Victor Hugo

    Sensacional, depoimento revigorante, ainda estou na luta pela aprovação no primeiro concurso, ansioso pelo gabarito da pmsp 2017.

  • Pablo Oliveira

    Sensacional, depoimento revigorante, esse ano faço PRF, e com esse depoimento com certeza irei conseguir…

    Parabéns Agente da Policia Federal, Wendell..

  • Josilene Souza

    Parabéns!!! Brilhante e merecida vitória!! Força, foco e fé sempre!! Deus sempre no comando!!

    Sou mineira e determinada igual a vc, creio que um dia chegará a minha vez.

    Parabéns Wendell. Boa sorte, lindo depoimento!!

  • Leandro

    Cara, bastante motivante seu comentário. Também estou na luta, depois de alguns insucessos em alguns concursos, e de dois quase sucesso, como nos últimos dois da P.M, onde eu bati na trave, passando na prova objetiva e ficando na redaçao, eu segui em frente, batalhei e no próximo passei. O segredo é nunca desistir, ter fé e persistência. Pois o bom guerreiro nunca deve-se dar por vencido e combate o bom combate, pois uma batalha perdida nao significará que você perdeu a guerra. Mantenha a confiança, e acredite na vitoria, que assim você persevera.

  • Paulo Maciel

    Wendel, seu depoimento foi fantástico cara, você foi muito preciso nas sua observações e isso pode motivar muitas pessoas, inclusive eu, que já realizei alguns concursos federais e levei “pau”. De toda forma parabéns pelo brilhante trabalho que realiza e pelo esforço desprendido para conquistá-lo.

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *