Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Dilma Rousseff, uma senhora bem educada ou bem-educada; qual é o certo?

Publicado em 20 de setembro de 2015 por - 24 Comentários

Na manhã da última quarta-feira (16), a presidenta interrompeu a habitual pedalada para ajudar um ciclista acidentado. Mais do que ser uma mulher bem-educada, exerceu um gesto fraterno de solidariedade, e, sobretudo, de humanidade.

Após essa atitude amável, convidemos a nossa língua-padrão para um passeio ciclístico.

Em primeiro lugar, vale revisar a diferença. O termo “bem” é advérbio e antônimo de “mal”, como, por exemplo, em “A presidenta, ao discursar, parece se sentir bem. Enquanto isso, o vocábulo “bom” é adjetivo e antônimo de “mau”, como, por exemplo, em “A presidenta proferiu um bom discurso”.

Aqui, a pergunta essencial é: a presidenta continuará a ser “bem educada” ou “bem-educada”; afinal, com ou sem hífen?

A palavra “bem-educada” faz alusão à pessoa que tem boas maneiras; gentil, cortês; de família bem-educada. Trata-se, pois, de uma unidade semântica, isto é, poderá desempenhar o papel tanto de adjetivo quanto de substantivo composto.

Já a forma “bem educada” (sem a utilização de hífen) é uma expressão que não forma uma unidade semântica e que se usa, acima de tudo, apenas na voz passiva, quando o sujeito sofre a ação do verbo.

Vejamos que,  em “Dilma foi bem educada pelos pais”, não há hífen. O que temos é o advérbio “bem” modificando a forma verbal “educada”.

Analisando o espetáculo aprazível da presidenta, percebemos a necessidade de reiterar que dificilmente se vê o adjetivo “bem-educado” empregado no mundo de hoje. Se o ser humano é “bem-educado”, não hesite. Use o hífen!

Agora com a ideia de passividade – se notar que o ser humano foi bem educado por alguém –, retire o hífen, neste caso, com delicadeza.

 

Forte abraço e até o próximo texto! Siga-me pelo Facebook.

Prof. Lucas Gonçalves.


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

24 comentários

  • CLAUDIA LANDA

    Que legal esse texto! Valeu pelos esclarecimentos. Esse tipo de construção sempre gera dúvidas em mim!

  • CLAUDIA LANDA

    Que legal esse texto! Valeu pelos esclarecimentos. Esse tipo de construção sempre gera dúvidas em mim!

    • Prof. Lucas Gonçalves Lemos - Língua Portuguesa

      Que bacana! Continue acompanhando os próximos textos aqui no Blog, Claudia. E, sempre que surgir a dúvida, sinta-se à vontade para escrever.

      Até a próxima!

  • Francisco

    A dica foi excelente, mas a cena deve ter sido marketing, na situação em que ela se encontra, só bancando a boa samaritana.

    • Prof. Lucas Gonçalves Lemos - Língua Portuguesa

      Kkkkk.. Se é um golpe de marketing ou não, isso não podemos afirmar. De qualquer forma, a verdade é que – a julgar pelos ciclistas – o golpe parece ter dado certo.

      Forte abraço, Francisco!
      Lucas Gonçalves.

  • Marcus Pinheiro

    Prezado professor

    Em que pese seu texto do ponto de vista didático ser muito bom, sugiro que não utilize como base artigos ou colocações que são claramente propagandas do governo federal e que fazem apologia de uma governante cuja popularidade é de parcos 7% (Dilma Roussef, uma senhora bem educada ou bem-educada; qual é o certo?). Sugiro que utilize temas neutros do ponto de vista político partidário, sobretudo em uma época tão conturbada e de crise política, econômica e moral.
    Atenciosamente,
    Marcus.

    • Prof. Lucas Gonçalves Lemos - Língua Portuguesa

      Olá, caro Marcus!

      Em primeiro lugar, agradeço o elogio; sinto-me honrado ao ler um comentário tão positivo em relação ao assunto central do artigo com uma propriedade linguística impecável.

      Quanto à sua colocação, concordo parcialmente; porque – apesar de eu discorrer sobre a atual presidenta – neste texto não aludo às competências da petista, tampouco tento persuadir o leitor sobre determinado posicionamento político. O que temos aqui é a análise da atitude isolada de uma mulher – fora de suas atribuições profissionais.

      Um abraço!
      Lucas Gonçalves.

  • Fabrício

    Desculpa mas tem que rir… o inconformado não pode nem ler o nome da Dilma atrelado a uma atitude positiva num exemplo de língua portuguesa? Valeu pela dica professor Lucas!

    • Prof. Lucas Gonçalves Lemos - Língua Portuguesa

      kkk.. Obrigado, meu amigo!

    • Gino Sérgio dantas Xavier

      Eu ia fazer um comentário sobre o texto de um outro inconformado com a democracia, mas, pensando bem, é melhor dar os parabéns para o seu comentário do que “fazer marqueting” para tendências obscurantistas reacionárias.

  • Jéssica

    Nossa! Excelente texto.
    “Nunca subestime o poder de um vocabulário descente”.👌👏👏👏

  • Claudemir

    bom dia Prof., que legal o comentário, mas e com relação a presidentA, o que o senhor nos esclarece com o uso dessa palavra.

    • Prof. Lucas Gonçalves Lemos - Língua Portuguesa

      Olá, Claudemir! Irei publicar, nos próximos dias, um artigo abordando este assunto. Diante mão, deixo claro para você que a forma “presidenta” está grafada no VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), se não me falha a memória, na página número 643.

      Até mais!

  • Eliane lobato

    A pergunta correta sera: presidenta?!!!!! Fica aí a grande questão.

    • Blog Aprova Concursos

      Olá, Eliane!
      O professor Lucas irá publicar, nos próximos dias, um artigo abordando este assunto.
      Diante mão, ele deixa claro para você que a forma “presidenta” está grafada no VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa).
      Abraços,

  • Oseas Monteiro

    Obrigado pelas boas dicas professor.
    Só queria ressaltar uma coisinha que me deixou meio na dúvida: é correto o uso da palavra “Presidenta”, não poderia ser “Presidente”, de acordo com a professora do aprova Lúcia Markiv, quem em suas aulas de Redação Oficial, enfatizou, não existir “presidenta”, “estudanta”, “adolescenta”.
    Desde já agradeço pela atenção, um forte abraço, que Deus abençoe!!!

    • Prof. Lucas Gonçalves Lemos - Língua Portuguesa

      Olá, meu caro! Como vai?

      Quanto às palavras “estudanta” e “adolescenta”, tais vocábulos, de fato, não são reconhecidos.

      Agora, em relação ao termo “presidenta”, o VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa) já registra esta forma.

      Irei escrever um artigo nos próximos dias explicando de forma minuciosa este assunto.

      Até mais! Fique com Deus!

  • Ana Maria

    Caro professor Lucas,
    Independente de ser a favor ou contra
    um ou outro político, é positiva a abordagem sob o vies (com acento) dos acontecimentos tanto político quanto do quotidiano. Muito bom!

  • Francisco

    Alô, Alô Professor! Você sobrestimou a educação da presidente. Que tal demitir um ministro pelo telefone?

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *