Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Bife a cavalo ou bife à cavalo?

Publicado em 8 de junho de 2015 por - 28 Comentários

Saudações, queridos alunos e alunas do Aprova Concursos!

Com este post, estreio meu espaço no Blog do Aprova, com dicas, lições, curiosidades e piadinhas didáticas, tudo para que você aprenda cada vez mais a tão linda Língua Portuguesa e alcance seu objetivo de passar e ser nomeado no concurso dos seus sonhos.

Bife

Quem estuda sabe que existe aquela expressão À MODA ou À MODA DE, que, explícita ou subentendida, deve receber acento indicativo de crase. É o caso, por exemplo, de “Saímos à francesa” ou “Vou querer um bife à milanesa, por favor”.

Por conta dessa regra, alguns entendem que a expressão “Bife a cavalo” deveria receber o acento de crase, o que claramente não faz sentido, queridos alunos e alunas.

O cronista Luiz Edmundo, ao se referir aos restaurantes e casas de pasto da cidade do Rio de Janeiro, na passagem do século XIX e nas primeiras décadas do século XX, diz que:“É uma gíria de restaurante que ainda não se perdeu de todo. Chama-se, ainda hoje, ao bacalhau, espinha, e chinês, ao arroz. Um bife com ovo em cima é um ‘bife com um ovo-a-cavalo’ (essa expressão de gíria passou aos restaurantes de certa categoria, e também ficou)”.

Luiz Edmundo – O Rio de Janeiro do Meu Tempo – Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2003.

 

Portanto, não se trata de um “bife à moda cavalo”, até porque, se algo estiver “a cavalo” ali, não será o bife, mas sim os ovos! Há outra versão da origem da expressão que conta o fato de o prato, com fritas, ser denominado “bife a pé”, por ser de mais lenta preparação, ao passo que, sem fritas, ser chamado de “bife a cavalo”, por ser servido mais rapidamente.

 

Fato é que esta expressão não possui crase, pois esta não pode ocorrer antes de expressões masculinas, como é o caso de “cavalo”, e isso já foi matéria de questão de concurso:

 

(FGV/2011-SEFAZ/RJ – Analista de Controle Interno) Ratifica-se, assim, o conceito de que a conscientização tributária pode representar um ponto de partida para a formação cidadã como uma das formas eficazes de atender às demandas sociais, com maior controle sobre a coisa pública.

ProvaNo período acima, empregou-se corretamente o acento grave para indicar o fenômeno da crase. Assinale a alternativa em que o acento grave tenha sido empregado corretamente.

(A) Em visita ao Rio, fomos à Copacabana da Bossa Nova.

(B) Esta prova vai de 13h às 18h.

(C) Finalmente fiquei face à face com a tão esperada prova.

(D) Os candidatos somente podem deixar o local de prova à partir das 15h.

(E) Pedimos um bife à cavalo.

RESPOSTA CORRETA: A

 

Deu água na boca? Corra a preparar um bife a cavalo para você… SEM CRASE!

Um grande abraço e até a próxima.

 

Prof. Pólux Martins


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

28 comentários

  • Selma Martins Melo

    Muito bom.

  • Rita de Cássia

    Gostei do esclarecimento….eu achava que tinha crase devido à expressão subentendida ” a moda de”.
    Isso fez-me lembrar da seguinte piada (que de repente pode ajudar a lembrar que não há crase): A senhora chegou ao restaurante e pediu um Bife a Cavalo. O garçom serviu-a e se afastou. A senhora olhava, olhava e olhava. O garçom se aproximou novamente e perguntou: “Algum problema, senhora, está errado seu pedido?” Ela respondeu: “Não, eu pedi o bife a cavalo, mas eu não queria ninguém na garupa!” Havia uma mosca grudada nos ovos!!!

  • Alex Lopes

    Desculpe, mas não entendi porque a alternativa B está errada. Não se usa sinal de crase antes de hora?

    • Prof. Pólux Martins

      Olá, Alex.
      Sim, usa-se, em geral, crase antes de horas determinadas, mas perceba que a frase diz “Esta prova vai DE 13h às 18h”, e não DAS. Como não foi usado artigo antes de “13h”, também não o poderá ser antes de “18h”, por uma questão de paralelismo. Assim, em não havendo artigo, também não há crase.
      Um abraço e bons estudos.

      • Lays Macedo

        Fiquei com a mesma dúvida do colega Alex. E, quanto à alternativa A, o fato de “eu voltar DE Copacabana”, também excluindo o artigo depois da preposição, não repercute em “ir a Copacabana”?

      • Prof. Pólux Martins

        Olá, Lays, Edvandro, Rodrigo e Alessandra.
        Para verificar se há crase antes de uma expressão, primeiramente é necessário sempre contextualizá-la. Se analisarmos somente “Fomos a Copacabana”, não haverá crase, pois ficaria, com o uso do macete, “Voltamos de Copacabana”. No entanto, no contexto, há uma especificação quanto à expressão “Copacabana”:
        “fomos à Copacabana DA BOSSA NOVA”.
        Nesse caso, ao usar o macete, ficaria assim:
        “voltamos da Copacabana da Bossa Nova” (até porque ela está determinada, é única, portanto é necessário usar o artigo).

        Essa regra serve para quaisquer contextos de topônimos determinados.
        Aproveitando o ensejo, por ser um apreciador do Jazz e da Bossa Nova, deixo para vocês uma canção que podem ouvir enquanto estudam (Frank Sinatra e Tom Jobim): https://www.youtube.com/watch?v=j8FYdZQn790

        Bons estudos e um grande abraço.

      • Alex lopes

        Professor, obrigado pelo esclarecimento. Inclusive já pesquisei sobre esse tal de paralelismo sintático…haha

        abs

  • Ana

    Excelente esclarecimento, professor. Acredito que, com a ajuda da Rita, vou demorar a esquecer que bife a cavalo não leva crase… excelente piada… rsrsrsrs

  • Edvandro

    porque na letra a não cabe a regra ” voltei da” e sim voltei de Copacabana, não seria sem crase.

  • Rodrigo

    Mesma dúvida que o Evandro. Porque na letra a não cabe a regra ” voltei da” e sim voltei de Copacabana, não seria sem crase?

  • Alessandra

    Também gostaria de esclarecer essa dúvida. Seria “voltei da Copacabana da Bossa Nova”?

    • Prof. Pólux Martins

      Olá, Lays, Edvandro, Rodrigo e Alessandra.
      Para verificar se há crase antes de uma expressão, primeiramente é necessário sempre contextualizá-la. Se analisarmos somente “Fomos a Copacabana”, não haverá crase, pois ficaria, com o uso do macete, “Voltamos de Copacabana”. No entanto, no contexto, há uma especificação quanto à expressão “Copacabana”:
      “fomos à Copacabana DA BOSSA NOVA”.
      Nesse caso, ao usar o macete, ficaria assim:
      “voltamos da Copacabana da Bossa Nova” (até porque ela está determinada, é única, portanto é necessário usar o artigo).

      Essa regra serve para quaisquer contextos de topônimos determinados.
      Aproveitando o ensejo, por ser um apreciador do Jazz e da Bossa Nova, deixo para vocês uma canção que podem ouvir enquanto estudam (Frank Sinatra e Tom Jobim): https://www.youtube.com/watch?v=j8FYdZQn790

      Bons estudos e um grande abraço.

  • janaina

    Ótimo post professor, a questão também foi ótima, pois apresenta várias pegadinhas que com certeza nós concurseiros nos deparamos nas provas….obrigado pelo esclarecimento e a dica é: ficar sempre alerta!!!!

  • Francieli

    Deixo recado só para elogiar um dos melhores professores de Português.Agora também no aprova.

  • Carla

    Olá! Também sou fã do Prof. Pólux! Obrigada pela explicação!

  • Virgílio Guimarães de Paula

    Discordar (respitosamente) é possível (e necessário). Prefiro (para escrever e comer) BIFE À CAVALO. Nessa iguaria, o bife é colocado no prato como se cavalo fosse, com dois ovos nele montados (sela e garupa).Portanto, o bife vai À MODA DE CAVALO! (Quem sabe não se altera para “ovo à cavaleiro”?). Com todo respeito, Virgílio.

    • Pólux Martins

      É uma boa tese, Virgílio. Por se tratar de área humana, pode mesmo haver mais de uma posição acerca do mesmo assunto.
      Obrigado por sua colaboração.
      Um abraço.

  • Virgílio Guimarães de Paula

    Obrigado, Professor, pela (inesperada, confesso) atenção. Por teimosia reafirmo: “bife à cavalo”, “ovos à cavaleiro”, ou , para espancar dúvidas, “bife montado”. Abraço Virgílio

  • mariana lima

    Por que da letra D está errada????????????
    OBG professor, tinha muita dúvida nisso, pois só decorei as proibições de crase e lá não tinha. Ontem fui ao shopping comer um Bife a cavalo e não tinha crase!! obgggggggggg

  • aldaires castanheira rodrigues

    Gostei muito dessa explanação;

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *