Meus caros amigo (a)s do APROVA Concursos, firmes e fortes?

Recentemente fui questionado por um candidato sobre qual seria o local mais adequado para um estudo eficiente. Tal indagação mexeu um pouco com a minha imaginação, pois há inúmeros pontos de vista sobre o tema, cabendo a nós filtrá-los adequadamente.

Nesse sentido, gostaria de apresentar a vocês a nossa conclusão acerca do tema. Para tanto, levamos em consideração a doutrina sobre técnicas de estudos e, principalmente, a nossa experiência na preparação para concursos públicos, ora como candidato, ora como professor.

Caberá a você avaliar os pontos em questão e, de acordo com a sua experiência, concluir se o seu estudo pode render mais ao virar adepto de uma ou outra prática.

ESTUDO EM CASA

super-303-como-estudar-1

Pontos fortes:

1- Comodidade

O conforto do seu lar é algo impagável, não é mesmo?

2- Redução de custos:

Em épocas de aumento de impostos, violência e problemas no transporte público e infraestrutura de trânsito, o estudo domiciliar pode contribuir para a menor exposição a riscos e à economia de tempo e dinheiro.

3- Os intervalos no estudo podem ser mais bem aproveitados:

À medida que o estudo vai evoluindo, é natural e aconselhável que façamos pausas para descanso de 10 a 20 minutos. É o momento de ouvir uma música relaxante, ir à geladeira ou fazer qualquer coisa que te faça descansar o corpo e a mente. Certamente o conforto do seu lar trará maior aproveitamento desse quesito.

Pontos fracos:

1: Aumento de distrações:

Internet, TV, visitas inesperadas e incômodos provocados por vizinhos.

2: Ausência de outras pessoas motivadas ao seu redor:

Na maioria das vezes, o estudo domiciliar é solitário, individual. A ausência de pessoas com as mesmas convicções ao seu redor pode reduzir drasticamente a produção de interesse pela atividade. (Acreditamos que o rendimento pode cair 30% quando ausente o efeito psicológico causado pelo ambiente).

Nesse ponto, vale a máxima: Diga com quem tu andas, que direi quem tu és. rsrs

3: Forte trabalho de convencimento:

O estudante necessita do apoio incondicional da família. A aprovação exige a sinergia de esforços dos familiares ao compreender que você não pode ser incomodado, exceto em situações críticas; que quanto menos preocupação, melhor.

Talvez esse convencimento seja fácil para você, mas para a maioria ainda não é, o que o torna um fator negativo no processo de aprendizagem.

ESTUDO EM BIBLIOTECAS

timthumb

Pontos fortes:

1: Fortalecimento do fator “motivação”:

Ao redor de pessoas motivadas e fortemente inclinadas ao estudo, tendemos a produzir mais, estudando horas a fio e compreendendo, pelo exemplo dos outros, certos hábitos e técnicas que podem agregar valor na busca do objetivo.

2: Ambiente “livre” de interferências externas:

Naturalmente, as bibliotecas anulam a maior parte das distrações do dia a dia. Infelizmente, algumas pessoas insistem em bater papo nesses locais, mas isso pode facilmente ser atacado com um pedido solene de silêncio ou comunicação a algum funcionário do estabelecimento que deverá solucionar a interferência.

3: Ambiente feito para “aquilo”:

Na maior parte das bibliotecas, há equipamentos adequados à tarefa de aprender (Cadeiras e mesas confortáveis, cabines de estudo individual, salas para estudo coletivo, ambiente arejado e com temperatura agradável). Tal fator gera menor dispêndio de recursos financeiros alocados para a criação desse ambiente em sua casa.

4: Mais fontes de consulta:

A depender do seu objetivo (Se concurso público, vestibular ou apenas leitura), haverá espaços com enorme manancial bibliográfico para consultas e empréstimos, podendo tornar o seu estudo bem mais completo e dinâmico.

5: Horários flexíveis:

Nos grandes centros, há espaços que estão disponíveis para utilização durante toda a semana. Exemplo: A biblioteca central da Universidade de Brasília (UNB) simplesmente não fecha. Salvo raras exceções, funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 23h, e nos finais de semanas e feriados, quando encerra as atividades às 17h45 (Estou escrevendo este texto na BCE da UNB às 17h do Domingo de páscoa kkkk).

6: Mais adequado para pessoas naturalmente dispersas:

Há indivíduos com grande inclinação à dispersão. Isso é natural. Ao menor ruído ou movimentação, perdem a concentração e os vácuos no estudo são inevitáveis. Como já afirmamos, os frequentadores dos “paraísos do estudo” geralmente têm consciência desse aspecto e evitam quebrar o silêncio e a calma do ambiente, evitando a dispersão dos usuários.

Pontos fracos:

1: Menor privacidade:

Ao compartilhar um ambiente com várias pessoas, há inevitável perda de privacidade. Você não usará “aquela” roupa mais confortável; Pensará duas vezes antes de fazer leituras em voz alta etc.

2: Tempo com deslocamento:

O tempo decorrido entre a sua residência e a biblioteca e vice versa pode ser muito grande, causando perda de horas preciosas de estudo.

Entre outros…

Sendo assim, meus amigos e amigas, são evidentes as vantagens do estudo em bibliotecas. Logicamente que muitos discordarão dessa conclusão, mas a experiência demonstra que a maior parte dos concurseiros que fazem uso desses espaços reduzem e muito o tempo para aprovação.

Se você tem o privilégio de estudar em alto nível no conforto do seu lar, PARABÉNS! Caso não, procure mesmo uma biblioteca.

Até a próxima oportunidade.

Um forte abraço!

Prof. Aristócrates Carvalho

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *