Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Gabarito comentado TRF4 – Técnico Judiciário – Área Administrativa

Publicado em 30 de julho de 2014 por - 4 Comentários

Confira o gabarito do concurso do TRF4 – cargo de Técnico Judiciário – comentado pelos professores do Aprova Concursos e aproveite para elaborar seus recursos.

A prova abaixo é a de tipo 2. Confira o enunciado das questões AQUI.

PORTUGUÊS – aguardando comentários

RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO – Prof. Fabiano Vieira

15. Considere verdadeiras as afirmativas:

P1: Se não fui ao mercado, então não fiz compras.

P2: Comprei creme e sabonete.

P3: Ou comprei queijo ou comprei iogurte.

P4: Comprei cereal ou comprei pão.

A partir dessas afirmações, pode-se concluir que

(A) não comprei nem queijo nem iogurte.

Errado, pois a P3 diz que comprou um destes

(B) não fui ao mercado.

(C) só comprei creme.

Errado, pois a P2 diz que comprou creme e sabonete

(D) fui ao mercado e comprei sabonete.

(E) não comprei cereal nem pão

Errado, pois a P4 diz que comprou um destes

Análise Geral:

Da P2 temos que o indivíduo COMPROU CREME e COMPROU SABONETE. Então já concluímos que

FEZ COMPRAS, então “não fiz compras” é falso.

Da P1, como não fiz compras é Falso, então obriga que “não fui ao mercado” seja falso para deixar

verdadeira a premissa. Desta forma FOI AO MERCADO.

Nas premissas P3 e P4 não podemos precisar ao certo o que foi comprado.

Desta forma, analisando as alternativas, a única possível é a alternativa D, pois FOI AO MERCADO e

COMPROU SABONETE.

 

16. O número que corresponde ao resultado da expressão numérica

trf4

Teremos 1/6 + 7/12 + 1/4 . Como o mmc será 12…

2/12 + 7/12 + 3/12 = 12/12 = 1

alternativa E

 

17. Um investidor inicia seus negócios com um valor x. Após um mês, faz a 1a apuração e verifica que

perdeu 20% de seu valor inicial. Após outro mês, faz a 2a operação e verifica que perdeu 30% do valor

da 1a apuração. Após o 3o mês, faz a 3a apuração e verifica que havia recuperado 10% do valor que

tinha no momento da 2a apuração. Após esses três meses, no momento da 3a apuração, esse investidor

verificou que já perdera, em relação ao valor inicial x, uma parte correspondente, em %, a

(A) 60.

(B) 40.

(C) 56.

(D) 61,6.

(E) 38,4.

Valor base = 100

1a apuração) Perde 20% …. 100 – 20 = 80

2a apuração) Perde 30% em relação a 1a … 80 – 24 = 56

3a apuração) Recuperou 10% do valor da 2a … 56 x 1,1 = 61,6

Ficou com 61,6, então perdeu 100 – 61,6 = 38,4, ou seja, 38,4%

Alternativa E

 

18. A idade do irmão mais novo está para 3, assim como a idade do irmão mais velho está para 4. A idade

do irmão mais velho está para 2, assim como a idade do pai está para 11. O pai tinha 36 anos quando

nasceu o filho mais velho. Dessa maneira a diferença de idade entre esses dois irmãos é, em anos, igual a

(A) 1.

(B) 5.

(C) 3.

(D) 2.

(E) 4.

N/3 = V/4, ,então N=3V/4 V/2=P/11, então P=11V/2

Como P – V = 36 anos, então

11V/2 – V = 36

11V/2 – 2V/2 = 36

9V/2 = 36, então V = 8 anos

O mais novo tem N = 3 x 8/4 = 6 anos.

A diferença é de 2 anos.

Alternativa D

 

19. O primeiro múltiplo de 7 que é maior que 1000 é também múltiplo de

1000/7 = 142 e mais resto.

Então 143 x 7 = 1001

1001/11 = 91

1001/19 = 52 e sobra resto. Não é múltiplo de 19

1001/13 = 77

É múltiplo de 11 e 13.

Alternativa C

(A) 11 e de 19.

(B) 19 e de 13.

(C) 11 e de 13.

(D) 19 e de 23.

(E) 23 e de 11.

 

20. “Se vou ao shopping, então faço compras”.

Supondo verdadeira a afirmação anterior, e a partir dela, pode-se concluir que

S C

Na lógica prática já entendemos que sempre que vou ao shopping, compro alguma coisa. Alternativa B.

(A) só posso fazer compras em um lugar específico.

S C

Se fizer compras, ou seja, C verdadeiro, esta implicação já será verdadeira, independentemente de S ser

verdadeiro ou falso, ou seja, de comprar no shopping ou não. Afirmação Errada.

(B) sempre que vou ao shopping compro alguma coisa.

S C

Se S é verdadeiro, para que a implicação seja verdadeira, há obrigação de que C seja verdadeiro. Ou

seja, foi ao shopping, comprou. Afirmação correta.

(C) para fazer compras, preciso ir ao shopping.

Afirmação errada, mesma justificativa da letra A

(D) posso ir ao shopping e não fazer compras.

Impossível, pois se vai ao shopping, compra.

(E) somente vou ao shopping.

Afirmação errada, pois nem faz menção a compras.

 

NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO – professora Daiane Soares

Salve, Salve Guerreiros !!!!!!!
E mais uma Batalha foi Superada.
A prova , como esperávamos apresentou grau de dificuldade ABSOLUTAMENTE dentro do que se é pedido em provas de TRIBUNAIS.
Questões muito bem elaboradas, onde o questionamento além de explorar o conhecimento da literalidade da lei abrangia também doutrina.
Prova absolutamente contextual e dentro do que o edital especificava, e como alertei a todos, itens que seriam abordados de formas distintas e interligados.
NENHUMA QUESTÃO É PASSÍVEL DE RECURSO.
Com FORÇA, FÉ e FOCO estamos juntos!!!
Abraços
Professora Daiane

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL – Professor Akihito Allan Hirata

Olá, galera, seguem as primeiras impressões de Direito Constitucional na prova Técnico TRF4.

Primeiramente, não vejo recurso nesta prova. Irei comentar a prova 2, Tipo 2, blz.

A questão está perguntando qual item é incompatível com a CF.

  1. o item está correto, conforme demonstra o art. 95, I, da CF.
  2. o item está correto, consoante apresenta art, 93, V, da CF.
  3. Este está incorreto, conforme art. 37,XI da CF.

Desta forma, a questão correta é a letra E.

 

28.

a) item errado, visto que os integrantes dos órgãos internos tem que dar ciência ao TCU, conforme art.74, parágrafo primeiro da CF.

b) o item está errado, pois, o controle interno tem atribuição de avaliação dos atos e contratos, conforme art.74, II, da CF.

c) item errado, pois, os integrantes devem dar ciência ao TCU de irregularidades.

d) Resposta correta, art. 71, parágrafo primeiro da CF.

e) item errado, conforme já mencionado, o TCU não tem competência para determinar de imediato a sustação de Contrato.

29.

a) item errado, o quórum apresentado é para EC, e, não para LC. O quórum de aprovação de LC é maioria absoluta.

b) item errado, EC não pode ser apresentado na mesma sessão legislativa.

c) o item está correto, conforme art. 60 da CF.

d) item errado, a sessão não será conjunta.

e) item errado, não é sessão secreta, conforme EC 76.

 

30.

a) errado, não extradita por crime político ou de opinião.

b) errado, não há ordem judicial para prisão em flagrante.

c) errado, não é aceita a prova obtida por meio ilícito.

d) errado, prestar socorro não é a única possibilidade para entrar na casa sem o consentimento do morador, conforme art. 5, XI, da CF.

e) correta. Art. 5, XII, da CF.

Estas eram as primeiras impressões da prova de Técnico do TRF 4.

Espero que tenham ido bem. Sucesso e tudo de bom.

Akihito Allan Hirata

 

NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL – aguardando comentários

NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL PENAL – aguardando comentários

NOÇÕES DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO – Professor Milvio Braga

43) Gabarito letra “C” – Justificativa: Art. 15, II c/c §§ 1º e 2º, da Lei nº 8.213/91. Situação de desemprego combinada com 120 contribuições mensais sem perda da qualidade de segurado, depois de cessadas as contribuições. O Segurado mantêm a qualidade de segurado por 36 meses.
Comentário: Acho questionável o gabarito, pois na minha opinião a questão foi mal formulada, já que o § 4º do mesmo art. 15, da lei nº 8.213/91, prorroga em mais 45 dias a manutenção da qualidade de segurado, para qualquer dos prazos de período de graça, e desta forma as afirmativas feitas nas assertivas não comportam a resposta correta à questão proposta. Ainda, não fica claro na questão que está tratando do Regime Geral de Previdência Social, poderia ser, por exemplo, de um Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), pois a questão trata de forma genérica Previdência Social, e como disciplina a CF/88, possuímos 03 Regimes de Previdência Social e a questão não deixa claro que está tratando do Regime Geral. Em resumo, o gabarito é possível, mas a questão está muito mal formulada.
44) Gabarito letra “E” – Justificativa: Art. 24, § único, da Lei nº 8.213/91 – Situação de perda da qualidade de segurado e de retomada do histórico contributivo para o cumprimento da carência exigida para a concessão do benefício.
ComentárioA meu ver aqui cabe recurso, pois de todas foi a questão mais mal formulada, uma vez que o §2º do art. 42, da Lei nº 8.213/91, assim determina: “§ 2º – A doença ou lesão de que o segurado já era portador ao filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social não lhe conferirá direito à aposentadoria por invalidez, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão”. Desta forma, não é possível chegar a resposta, pois as alternativas deveriam trazer informação de que as 04 contribuições exigíveis para cumprir com 1/3 da carência deveriam ser recolhidas anteriores à constatação da incapacidade, ou que o benefício seria devido apenas em caso de agravamento ou progressão da doença.
45) Gabarito letra “A” – Justificativas:
Afirmativa I – VERDADEIRA – Justificativa: Copia e Cola do texto do art. 19, §2º, da Lei nº 8.213/91;
Afirmativa II – VERDADEIRA – Justificativa: Copia e Cola do texto do art. 194, caput + inciso III do § único, da CF/88 – Olha o princípio Constitucional aí!!!;
Afirmativa III – VERDADEIRA – Justificativa: Copia e Cola do texto do art. 25-A, da Lei nº 8.212/91;
Afirmativa IV – VERDADEIRA – Justificativa: Copia e Cola do texto do art. 93, da Lei nº 8.213/91;
Afirmativa V – FALSA – Justificativa: Alteração do texto do art. 118, da Lei nº 8.213/91, trocaram a palavra mínimo, por máximo, antes do prazo de manutenção do contrato de trabalho. A questão fala em máximo e o texto da lei fala em mínimo
Comentário: Quando a banca fez o que sabe não decepcionou, questão sem retoques, apenas copia e cola do texto da lei e com as maldades típicas da FCC, como trocar a palavra mínimo por máximo, não avalia ninguém, enfim!!!
46) Gabarito letra “E” – Justificativa: art. 19, caput, da Lei nº 8.213/91 – A cuidadora de crianças (babá) é empregada doméstica, portanto, não tem direito a receber benefício acidentário.
ComentárioA meu ver aqui cabe recurso. Dois motivos para questionar a banca e pedir cancelamento/anulação da questão:
1º) A Questão fala: ” O motorista e a cuidadora de crianças requerem à autarquia previdenciária, o benefício do acidente de trabalho“. ESTE BENEFÍCIO NÃO EXISTE!!! Veja o rol taxativo de benefícios contido no art. 18, da Lei nº 8.213/91.
2º) A Emenda Constitucional nº 72/2013, concedeu ao Empregado Doméstico o direito ao SAT (Seguro contra Acidente de Trabalho), embora a EC não tenha alterado o texto do art. 19, da Lei nº 8.213/91, o cabeçalho da questão não foi explícito em dizer que a resposta deveria seguir a legislação vigente, ou o texto da Lei nº 8.213/91. Ainda que a EC não esteja no Edital, a CF está, e com ela todas as alterações ocorridas antes da publicação do edital, dentre elas a EC nº 72/2013.
Comentário Final: A Banca mudou seu estilo de prova trazendo situações-problema, mas como não sabe fazer isso, pecou e cometeu uma série de erros que a meu ver invalidam 02 questões e deixam questionável uma terceira, é 3/4 de erro, muito para uma banca tão respeitada. Quando fizeram seu feijão-com-arroz, ou seja, copia e cola, foram impecáveis, embora maldosos, pois alteração de palavra do texto da lei por antônimo para invalidar afirmativa não avalia ninguém, ainda mais quando este tipo de alteração não altera o sentido da afirmativa, pois no próprio texto da lei a palavra mínimo ou máximo não faz muita diferença. Emfim, a meu ver em Direito Previdenciário, uma das provas mais mal elaboradas.
São estes os comentários que eu tenho a enviar aos alunos, aqueles que quiserem recorrer, aí estão os fundamentos.
Abs,
Boa sorte a todos.

Profº Milvio

NOÇÕES DE DIREITO TRIBUTÁRIO – Professor Sérgio Karkache

A prova de múltipla escolha aplicou questões de noções de direito tributário das questões 47 até a 50. Em geral foram questões de bom nível técnico, não tão difíceis e nem tão fáceis, que exigiram dos candidatos conhecimentos médios da matéria tributária.
Na questão 47, o gabarito está correto (letra E), porque erradas as assertivas II e V. Na assertiva II, o erro é que a Constituição é fonte de competência, e não instituidora. Quem institui, em regra, tributos, são as leis ordinárias (salvo exceções), dentro da competência definida pela CF. Já a assertiva V está errada porque a CF veda a instituição de impostos, e não de tributos, na imunidade recíproca.
Quanto a questão 48, sobre o IPI, a melhor resposta é a alternativa C. A alternativa A está errada, porque o IPI não é exceção a anterioridade nonagesimal e nem à irretroatividade, mas somente à legalidade e anterioridade anual. Na alternativa B, está errado afirmar que pode ser instituído por ato do Poder Executivo. Pode apenas ter suas alíquotas fixadas por esta espécie de ato, o que é diferente de instituir. A alternativa D é o contrário (aplica a noventena, e não aplica a anual). E a alternativa E também errada, porque não é exceção à nonagesimal (noventena).
Quanto a questão 49, a melhor alternativa é a letra D. O erro da A é que cláusulas contratuais não definem a capacidade passiva; na B, o erro é que os co-proprietários são solidários por interesse comum, e não por expressa definição de Lei; Na C, o erro é que a isenção individual concedida a um co-proprietário atinge apenas ele, continuando devido o saldo quanto aos demais; e na E a sociedade comum (ou de fato) possui capacidade passiva tributária, em que pese não tenha regularidade de registros.
Por último, a questão 50 tem como melhor resposta a letra A. Esta letra A está correta porque sendo ou não sócio, o representante de sociedade responde se presentes os requisitos do CTN, art. 135, a que se refere a questão. O erro na letra B é que o arrematante não responde por tributos anteriores à arrematação. Na letra C, o erro é que a aquisição em falência exclui a responsabilidade do comprador, exceto nas hipóteses e exceções do artigo 133, que não são citadas na questão. A letra D é errada porque a denúncia espontânea só exclui a multa, e não os juros e o tributo. E a letra E é errada porque a empresa resultante de fusão (etc) é responsável pessoalmente, e não subsidiariamente, sendo irrelevante se o patrimônio é ou não suficiente.
Em síntese, não vislumbro motivos viáveis para recurso desta questão. Prova razoavelmente bem elaborada e acessível, dentro dos tópicos exigidos no edital.

PROVA DE REDAÇÃO – aguardando comentários

 

 

aprovaconcursos_TJ-SP_728x90


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

4 comentários

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *