Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Gabarito Comentado – Concurso IBGE Técnico – Raciocínio Lógico

Publicado em 3 de dezembro de 2013 por - 27 Comentários

Confira o gabarito comentado da prova de Raciocínio Lógico do concurso do IBGE 2013 para Técnico, comentada pelo Professor Fabiano Vieira do Aprova Concursos.

11

Certo dia, João afirmou:

Se eu tivesse ido ao banco ontem, eu não precisaria ir ao banco amanhã.

No dia seguinte, não tendo ido ao banco ainda, João diria algo logicamente equivalente ao que dissera no dia anterior, se tivesse dito:

(A) Como não fui ao banco hoje, fui ao banco anteontem.

(B) Como não fui ao banco ontem, irei ao banco hoje.

(C) Como não fui ao banco hoje, fui ao banco ontem.

(D) Como preciso ir ao banco hoje, não fui ao banco anteontem.

(E) Como preciso ir ao banco hoje, eu fui ao banco ontem.

Resposta correta: D

 Comentário:

No dia seguinte o “ontem” virou “anteontem” e o “amanhã” virou “hoje”.

Se A à ~B

O equivalente poderá ser

Se B à ~A

Se preciso ir ao banco hoje, então não fui ao banco anteontem

  

12

Sabe-se que:

Se João anda de navio ou não anda de trem, então João se perde.

Se João anda de trem, então João é paulista.

Se João não poupa, então João anda de navio.

Assim, se João não se perde, então João

A: João anda de navio

B: João anda de trem

C: João se perde

D: João é paulista

E: João poupa

P1: (A ou ~B) à C     (V)

P2: B à D                    (V)

P3: ~E à A                (V)

P4: ~C                        (V)

 

Comentário:

P4 é verdadeira, então ~C é verdadeiro, C é falso.

Com C falso, em P1 teremos (A ou ~B) falso. Para isto, ambos serão falsos, assim teremos A falso e ~B falso, ou seja, A falso e B verdadeiro.

Com B verdadeiro, na P2, teremos D verdadeiro

Com A falso, na P3 teremos ~E falso, ou seja, E verdadeiro.

Desta forma

A: João anda de navio (F) – João não anda de navio

B: João anda de trem (V) – João anda de trem

C: João se perde (F) – João não se perde

D: João é paulista (V) – João é Paulista

E: João poupa (V) – João poupa.

Vendo as alternativas

(A) é paulista e poupa. = V e V = V –  alternativa correta

(B) é paulista, mas não poupa. V e F = F

(C) não é paulista e não poupa. F e… = F

(D) não é paulista, mas poupa. F e … = F

(E) ou não é paulista, ou não poupa.  Ou F ou F = F

 Resposta correta: A

 

13

Considere a afirmação feita sobre o setor de uma empresa no qual há funcionários lotados:

“No setor de uma empresa, há algum funcionário com, no mínimo, 32 anos de idade.”

A fim de se negar logicamente essa afirmação, argumenta-se que

Comentário

Quando negamos que existe algum, recaimos no todo não

Todo funcionário não possui no mínimo 32 anos de idade

Como dizer no mínimo 32 anos significa 32 anos ou mais, então negar isto que dizer que é menos de 32 anos. Assim:

Todo funcionário possui menos de 32 anos de idade. Isto corresponde à letra E.

(A) nenhum funcionário do setor tem 32 anos.

(B) há apenas um funcionário do setor com 32 anos.

(C) todos os funcionários do setor têm, no mínimo, 33 anos.

(D) todos os funcionários do setor têm, no máximo, 32 anos.

(E) todos os funcionários do setor têm, no máximo, 31 anos.

 Resposta correta: E

14

Um professor escolheu três alunos de sua turma para fazerem seminários sobre medidas de tendência central:

João, Carlos e Maria. A média aritmética, a mediana e a moda foram as medidas escolhidas pelo professor para serem os temas dos seminários. Cada um dos alunos abordou apenas uma das três medidas de tendência central, sendo que, ao final, cada uma delas foi tema de algum seminário.

Sabe-se que:

• Sobre a mediana, falou João ou Maria;

• Sobre a moda, falou Maria ou Carlos;

• Sobre a média aritmética, falou Carlos ou Maria;

• Ou João falou sobre a média aritmética, ou Carlos falou sobre a moda.

A média aritmética, a mediana e a moda foram, respectivamente, os temas dos seminários de

Comentário:

Como cada um dos alunos abordou apenas um tema, assim teremos que, tendo João abordado sobre mediana, por exemplo, não abordou outros assuntos.

Esta é a única forma que o “ou” possui a forma de “ou…ou”, pois é exclusivo.

Vejamos que Carlos e Maria se repetem na segunda e na terceira frases, logo se um falou sobre moda, o outro falou sobre média.

Assim Maria tem de ter falado sobre moda ou média, não falando sobre mediana.

Assim quem falou sobre mediana, pela primeira afirmação, foi João.

Com isto, pela última, Carlos falou sobre moda, pois João não falou sobre moda

Desta forma resta somente Maria ter falado sobre média aritmética

João: mediana

Carlos: moda

Maria: média aritmética

A média aritmética, a mediana e a moda foram, respectivamente, os temas dos seminários de

(A) Carlos, João e Maria

(B) Carlos, Maria e João

(C) Maria, João e Carlos

(D) Maria, Carlos e João

(E) João, Maria e Carlos

 Resposta correta: C

 

15

Considere verdadeiras as seguintes premissas:

Todas as pessoas que andam de trem moram longe do centro.

Todas as pessoas que andam de carro não andam de ônibus.

Algumas pessoas andam de ônibus e de trem.

Comentário:

15

Os conjuntos de “carro” acima são as possibilidades de localização desse grupo, sendo que todos ficam afastados do conjunto ônibus e não podemos garantir quaisquer destes com certeza. 

O conjunto de “carro” só não pode se misturar com ônibus e, como há pessoas que andam de trem e ônibus, então podemos concluir que há pessoas que andam de trem que não andam de carro. Quais? Aquelas que andam de ônibus, pois se anda de ônibus não anda de carro.

Como todos os que andam de trem moram longe, então também podemos concluir que algumas pessoas que moram longe não andam de carro. Quais? Aquelas que andam de trem e ônibus, pois todos os que andam de ônibus não andam de carro.

Portanto,

(A) algumas pessoas que moram próximo do centro andam de carro ou de ônibus.

(B) algumas pessoas que moram longe do centro não andam de carro.

(C) todas as pessoas que moram próximo do centro andam de trem.

(D) algumas pessoas que andam de carro moram longe do centro.

(E) todas as pessoas que andam de carro moram longe do centro.

 Resposta correta: B

 

 16

O carpinteiro José teve de dividir (sem sobras) uma placa retangular de dimensões 7 dm por 6 dm, em quadrados de lados expressos por um número inteiro de decímetros, de modo a obter o menor número de quadrados possível. Depois de vários ensaios, ele conseguiu resolver o problema, obtendo apenas 5 quadrados, cuja solução está indicada na Figura abaixo, com as medidas em decímetros.

16A

Agora José tem de resolver o mesmo problema, porém no caso do retângulo de dimensões 6 dm por 5 dm. Nesse caso, o menor número de quadrados obtidos será

Comentário:

Questão de percepção mesmo. Raciocínio lógico puro.

Segue desenho

16B

(A) 12

(B) 9

(C) 6

(D) 5

(E) 4

Resposta correta: D

 

 17

O agente secreto 0,7 resolve criar um sistema de códigos secretos que consiste em fazer cada letra do alfabeto corresponder a um número e, em seguida, tomar uma palavra, ou uma disposição qualquer de letras (tendo ou não significado), e multiplicar os valores de suas letras, obtendo, dessa forma, o código. O valor atribuído a uma letra será sempre o mesmo, onde quer que ela apareça.

Assim, ele encontrou os códigos para as seguintes palavras:

GEOGRAFIA = 56 e AGORA = 24.

Sabendo-se que o número que corresponde à letra F é o dobro do número atribuído à letra B, o código de IBGE é

Comentário:

O código está em MULTIPLICAÇÃO. 

GEOGRAFIA é AGORA x IFGE

24 x IFGE = 56

IFGE = 56/24, dividindo por 8 ambos os termos…

IFGE = 7/3

Mas F é o dobro de B, então teremos que

Ix 2B xGE = 7/3

Então IBGE = 7/6

(A) 7/6

(B) 7/4

(C) 7/2

(D) 8/3

(E) 8/5

Resposta correta: A

 

18

Três homens, Ari, Beto e Ciro, e três mulheres, Laura, Marília e Patrícia, formam três casais (marido e mulher). Dentre as mulheres, há uma médica, uma professora e uma advogada. A mulher de Ari não se chama Patrícia e não é professora. Beto é casado com a advogada, e Ciro é casado com Laura.

Comentário:

A mulher de Ari não se chama Patrícia e não é professora

A mulher de Ari será ou Laura ou Marília/ ou médica ou advogada

Beto é casado com a Advogada, logo Ari é casado com a médica.

Ciro é casado com Laura, logo Ari é casado com Marília. 

Então a esposa de Ari é Marília e ela é médica.

Ciro é casado com Laura, então Beto é casado com Patrícia. Logo Patrícia é Advogada

Assim resta a Laura ser professora.

As profissões de Laura, Marília e Patrícia são, respectivamente

(A) advogada, médica e professora

(B) advogada, professora e médica

(C) professora, médica e advogada

(D) professora, advogada e médica

(E) médica, professora e advogada

 Resposta correta: C

  

19

Ariovaldo escolheu um número natural de 5 algarismos e retirou dele um de seus algarismos, obtendo assim um número de 4 algarismos (por exemplo, se o número escolhido é 56.787 e o algarismo retirado é o 8, então o número obtido é 5.677).

A soma do número inicial de 5 algarismos, escolhido por Ariovaldo, com o de 4 algarismos, obtido retirando-se um dos algarismos do número escolhido, é 81.937. O algarismo retirado do número inicial de 5 algarismos foi o algarismo das

Comentário:

Como a soma 81.937 é um número ímpar e para termos soma ímpar temos de ter Par + ímpar ou ìmpar + par, só nos resta retirar o algarismo das unidades, pois se não o retirarmos, a unidade ficará a mesma. Se a unidade for par, continuará par no número de 4 algarismos e a soma será par. Assim também no caso de ímpar.

Desta forma, teremos de retirar o algarismo das unidades.

(A) dezenas de milhares

(B) unidades de milhares

(C) centenas

(D) dezenas

(E) unidades

 Resposta correta: E

20

Renato vai preencher cada quadrado da fila abaixo com um número, de forma que a soma de quaisquer três números consecutivos na fila (vizinhos) sempre seja 2.014.

20

 

Comentário:

suponha soma 10 em três consecutivos.

5, 2, 3, 5, 2, 3. Veja que o “trio” se repete.

Veja que o 745 está no lugar do 5 no exemplo e o 287 está no lugar do 2 no exemplo. 

Logo o trio é 745 + 287 + X = 2014

X = 2014 – 745 – 287

X = 982 

Tendo como base o exemplo dado, teremos

745, 287, 982, 745, 287, 982…

O N está na 11ª posição.

O 745 assume a 1ª, 4ª, 7ª, 10ª posição

287 assume a 2ª, 5ª, 8ª, 11ª posição. Será 287.

O número que Renato terá de colocar no lugar de N é

(A) 287

(B) 745

(C) 982

(D) 1.012

(E) 1.032

Resposta correta: A


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

27 comentários

  • Tiago

    A questão 15 não caberiam duas respostas não? as letras B e D ?

    • José

      Faço a mesma pergunta. Fiz essa questão de novo e não entendi porque D não pode ser uma resposta

      • Lucas

        Acho que entendi, errei essa também, escolhi a letra D. Pelo que percebi, todas as situações envolvendo os carros não são certas, pois existem várias possibilidades, já na letra B há o sentido, indiretamente, pois é certo que aqueles que andam de trem e ônibus não andam de carro.

      • Paulo

        Entendi sua dúvida, mas o problema na letra D, é que você não tem certeza absoluta que “algumas pessoas que andam de carro moram longe do centro.”Já a letra B ” algumas pessoas que moram longe do centro não andam de carro.”, você pode concluir tranquilamente que EXISTEM pelo menos 1 pessoa que mora longe do centro e não anda de carro , essa/s pessoa/s são as que andam de ônibus,mas não andam de trem.Consegue observar esse ponto ?

        Eu também quase marquei ela, mas quando tava passando para o gabarito, resolvi dá uma olhada nela de novo, ai consegui encontrar o erro dela, pois estava em dúvida nela(A) e na B.Mas quando consegui ver esse raciocínio percebi o erro.

      • Kamila

        As pessoas que andam de trem são longe do centro mais se tem algumas que andam de trem e de ônibus então o ônibus também fica longe do centro, mais se as pessoas que andam de carro NÃO andam de ônibus é porque o ônibus é afastado do centro então as que andam de carro ficam próximas ao centro. POR ISSO NÃO PODE SER A “D”. PORQUE QUEM ANDA DE CARRO NÃO FICA LONGE DO CENTRO.

    • israel santana lisboa

      Também acho que caberia 2 respostas.

  • Luana

    Essa prova é considerada fácil para nível médio?

  • Augusto

    Como desenvolver a questão 19? É apenas com teoria? Como se pode encontrar o dois numeros?
    Grato

    • Paulo

      na 19, se a soma fosse par, nao dava pra responder

    • Concurseira

      Para encontrar os dois números fiz o cálculo diminuindo do valor da soma até encontrar uma das parcelas, fiz várias tentativas, pois não encontrei uma forma mais fácil na hora da prova. Encontrei o número inicial 74.489 e retirando o valor da unidade (9) e somando dá 74.489+7.448 = 81.937.

  • Ualace Souza

    Concordo quando dizem que a questão 15 possui mais de uma resposta.

  • Raphael

    Ei galera! postem as notas! fiz 63,5 🙁

  • carlos

    Fechei raciocinio lógico, mas informática e conhecimentos específicos foram complicadas.
    Fiquei com 72,5, será que dá pra mudar pra Guanhães, MG?

  • Carlos Alberto

    Boa noite!

    Também me chamo Carlos fiz para Itaporanga PB

    Eu não fui tão bem em raciocínio lógico e concordo a prova de informática estava complicada a minha pontuação foi baixa fiz 53,00 pontos queria ver se alguém posta aqui sobre as notas lá do polo que fiz na PB.

    Abs

  • concurso

    REALMENTE A PROVA ESTAVA COMPLICADA; AS PROVAS DA CESGRANRIO É ISSO: ENUNCIADOS CURTOS,
    PORÉM REQUER BASTANTE ATENÇÃO.

  • Concurseira

    Olá, fiz 84,00 pontos e fiz para Areia – PB, alguém mais daqui fez para a minha cidade??? Postem as notas, por favor.

  • Aline Soares

    QUal a pontuação maxima, e quanto que é aprovado (com quantos pontos?)

    • Blog Aprova Concursos

      Olá Aline,
      Para não ser eliminado, o candidato deveria ter acertado 40% da prova que valia 100 pontos.
      A aprovação depende do desempenho dos candidatos.
      Abs.

  • Aline Santos Alves Soares

    qual a pontuação maxima para passar, qual o valor da prova. é muito complicado a de geografia?

    • Blog Aprova Concursos

      Olá Aline,
      A pontuação máxima é de 100 pontos.
      Você pode verificar o peso das questões e conteúdo programático no edital do concurso, no site http://www.cesgranrio.org.br/concursos/evento.aspx?id=ibge0213
      Abs.

  • Janaina

    Nao entendi resolução das questões 15 e 19. Alguem me ajude!

  • Flávia Cavalcante

    Obrigada pela contribuição, me ajudou bastante.
    Flávia Cavalcante.

  • Wanderlei

    O gabarito dá como resposta certa para a questão 13 a letra B, mas me parece que está equivocado, devido a um problema linguístico (que persiste no comentário do professor).
    Veja-se: o pronome indefinido “algum” assume um sentido negativo apenas quando posposto ao substantivo. Estando anteposto ao substantivo assume um sentido afirmativo.
    Exemplos – algum:
    “Motivo algum foi apresentado para a desistência da candidatura.” (sentido negativo)
    “Algum motivo foi apresentado para a desistência da candidatura?” (sentido afirmativo)

    Na frase da questão, “há algum funcionário” (algum anteposto ao substantivo), o sentido é afirmativo: não significa “Não há nenhum funcionário com no mínimo 32 anos” e sim “Há algum funcionário com no mínimo 32 anos”. Por outro lado, “há algum” é neutro com relação ao número, isto é, pode haver 1 ou mais de 1 funcionário com mais de 32 anos. Portanto, há PELO MENOS UM funcionário com, no mínimo, 32 anos de idade. E não há opção correta para a questão, que deveria ter sido anulada.

    • Anônimo

      Concordo, na verdade eu fui mais leiga ainda nessa questão, pois quando diz que todos os funcionários são menores que 32 anos, então, nenhum funcionário do setor possui 32 anos, ou seja, a negação de ‘algum funcionário tem, no mínimo, 32 anos no setor” , e se a resposta correta é:
      (E) todos os funcionários do setor têm, no máximo, 31 anos.
      logo eu entendo que ”Nenhum tem 32″ 😀 ..rsrsrs e a resposta (A) nenhum funcionário do setor tem 32 anos. Nossa que confuso!!! Realmente!!!!

    • Anônimo

      Acabei de entender pq não é a A..:D:D:D
      Qdo diz ‘Nenhum com 32’ pressupõe que pode existir algum com 33 ou 34, e na verdade a preposição já trouxe que é no minimo 32, ou seja, não vai existir maior!
      Mas não é do bem essa questão, não mesmo!

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *