Confira a segunda parte do gabarito comentado da prova de Bacharel do Exame de Suficência do Conselho Federal de Contabilidade

 

Professora Tatiane Antonovz

26. Uma Sociedade elaborou o orçamento para o ano de 2013 com base em dados históricos do ano de 2012 e com base nas estimativas estabelecidas por seus gestores.

–  Os seguintes dados históricos foram apresentados:

Custo das mercadorias vendidas no ano de 2012 R$1.050.000,00
Estoque médio do ano de 2012    R$175.000,00

–  Dados estimados para o ano de 2013:

Estoque médio R$200.000,00
Fator de multiplicação Markup                 1,80
Tributos incidentes sobre a receita                 20%

 

Considera-se que a empresa estima que o giro do estoque será igual ao de 2012 e que o preço de venda é estabelecido, multiplicando-se o custo estimado da mercadoria. De acordo com o giro do estoque, pelo Markup, o Lucro Bruto orçado para o ano de 2013 será de:

a) R$462.000,00;
b) R$492.800,00;
c) R$528.000,00;
d) R$678.000,00.

Resposta: Resposta não encontrada

27. A fórmula que calcula o índice de liquidez Geral é:

a) Ativo Circulante + Ativo Realizável a Longo Prazo
            Passivo Circulante + Passivo Não Circulante

b)  Ativo Circulante   
Passivo Circulante

c)  Ativo Circulante – Estoques
            Passivo Circulante

d)   Disponibilidades
     Passivo Circulante

Resposta: A
Simples aplicação da fórmula.

28. Uma sociedade empresária contabilizou seus lucros e prejuízos (em milhares de reais) durante os oito primeiros meses do ano de 2012, apresentando esses resultados mensais por meio do gráfico a seguir:

cfc

Com base nos resultados mensais apresentados no gráfico acima, assinale a opção INCORRETA:

a) Nos meses de abril e julho, a sociedade empresária não obteve lucro e nem prejuízo;
b) Nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril, a sociedade empresária apurou prejuízos;
c) Nos meses de janeiro, fevereiro, março e agosto, isto é, antes de abril e depois de julho, a sociedade empresária apurou lucro;
d) Nos meses de maio e junho, a sociedade empresária apurou prejuízos.

Resposta: B
Entre janeiro e abril, a sociedade apresentou lucro ou resultado nulo.

 

Professor Guilherme


29.
Uma sociedade aprovou a aquisição da Companhia “A” em sua Assembleia, realizada na forma da Lei nº 6.404/76, e as atas foram disponibilizadas aos acionistas nos termos das normas da Comissão de Valores Mobiliários – CVM. Na referida assembleia, foi aprovada a deliberação sobre a aquisição integral das ações da Companhia “A”, que seria na sequência absorvida, integralmente, pela Sociedade compradora, cumprindo-se todos os procedimentos estabelecidos na Lei Societária.

A operação que se seguiu após a aquisição integral das ações é nominada pela Lei nº 6.404/76 como:

a) Cisão;
b) Fusão;
c) Incorporação;
d) Transformação.

Resposta: B, conforme art. 223, da Lei 6.404/76 e Art. 1.116 do Código Civil – Assunto trabalhado amplamente em aula


Professor Sérgio Karkache

 

30. De acordo com o Código Tributário Nacional, no que diz respeito ao parcelamento de débitos tributários, assinale a opção CORRETA.

a) O parcelamento constitui uma das modalidades de extinção dos créditos tributários prescritas pelo Código Tributário Nacional;
b) O parcelamento constitui uma das modalidades de remissão dos créditos tributários prescritas pelo Código Tributário Nacional;
c) O parcelamento dispensa o cumprimento das obrigações acessórias a partir da data de sua concessão;
d) O parcelamento é uma modalidade de suspensão da exigibilidade do crédito tributário.

Resposta: D

O CTN, no artigo 151 estabelece a lista de hipóteses de suspensão do crédito tributário, sendo uma delas o parcelamento. Trata com mais detalhes desta espécie o artigo 155-A do mesmo Código. A letra C, por sua vez, não é correta, pois segundo o CTN, as hipóteses de suspensão (dentre elas o parcelamento) e de exclusão não dispensam o cumprimento das obrigações acessórias, que são as obrigações impostas pela legislação quanto a declarações, notas fiscais e outras obrigações de fazer (ou de não fazer).
Tratamos desta matéria em nossa aula número 7, e também resolvemos um exercício parecido na revisão de véspera. Se tiver mais dúvidas, consulte novamente nossas aulas.

 

31. Uma Lei Ordinária Municipal, publicada em 1º de setembro de 2013, aumentou:

– à alíquota do Imposto sobre Transmissão de Bens Intervivos – ITBI; e
– o valor venal dos imóveis para fins de cálculo do Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU.

De acordo com a legislação tributária, o município poderá cobrar os tributos com base na lei aprovada, em setembro de 2013, a partir de:

a) 1º de janeiro de 2014;
b) 1º de dezembro de 2013;
c) 1º de outubro de 2013;
d) 1º de setembro de 2013.

Resposta: A

A questão trata do PRINCÍPIO DA ANTERIODADE, que vimos no tema LIMITAÇÕES AO PODER DE TRIBUTAR (aula 2). No aulão de véspera, resolvemos exercício parecido, porém versando sobre o IPI. A regra é que a majoração deve correr no exercício seguinte ao da publicação, no mínimo noventa dias após. As exceções se encontram, principalmente, na CF, art. 150, §1º, dentre outros.
O ITBI não é exceção. Por isso, se a lei orgânica aumentou, e foi publicada em 1º/09/2013, o aumento pode ser exigido somente a partir de 1/1/2014, pois esta data, ao mesmo tempo:
a) ocorreno exercício seguinte ao da publicação, ou seja, 2014;
b) ocorre mais de noventa dias após à publicação, na verdade, 122 dias.
Já o valor venal do IPTU é situação excepcional, pois neste caso só se aplica a anterioridade de exercício (não é necessário aguardar os noventa dias mínimos entre a publicação e o início da exigência). Todavia, nesta questão, não faz diferença, pois a data também terá que ser 1º de janeiro de 2014, uma vez que as leis que majoram a base de cálculo do IPTU só são exigíveis a partir do primeiro dia do exercício seguinte, independente de ter ou não observado o mínimo de 90 dias.
Por fim, importante lembrar que o valor venal é o nome que se dá à base de cálculo do IPTU, segundo o CTN e conforme mostrei na aula n. 12, onde falamos sobre o IPTU.

Observação: As questões 48 e 49, de interpretação de texto, tem por pano de fundo matéria econômica e tributária. Farei alguns comentários sobre elas, embora oficialmente não integrem a disciplina de DIREITO TRIBUTÁRIO. Por isso, compare meus comentários com o professor(a) responsável por este tópico.

 

Professor Ricardo Alves

 

32. Uma sociedade empresária investirá o valor de R$100.000,00 em um projeto que se espera gerar um retorno de R$400.000,00 ao final de dois anos.

Considerando uma taxa de juros de 3% a.a., o valor presente líquido desse investimento é de:

a) R$266.666,67;
b) R$276.928,93;
c) R$277.038,36;
d) R$282.778,77.

Resposta: C
Resolução
Periodo: 2 anos
Taxa 3 % a.a
VPL = -100.000,00 + 400.000/(1,03)2 = -100.000 + 377.038,36 = 277.038,36

33. Uma sociedade empresária apresentou as seguintes estimativas de vendas de computadores:

Quantidade a ser vendida no mês

Percentual de probabilidade

120 unidades

10%

140 unidades

40%

180 unidades

35%

220 unidades

15%

A quantidade esperada de unidades a serem vendidas no mês é de:

a) 140 unidades;
b) 164 unidades;
c) 165 unidades;
d) 660 unidades.

Aplicando o conceito de valor esperado temos:

V = 10% x 120 + 40% x 140 + 35% x 180 + 15% x 220

V = 12 + 56 + 63 + 33

V = 164 unidades

34. Em 31.12.2012, uma Unidade Geradora de Caixa apresentava as seguintes estimativas a respeito das entradas e saídas de caixa, ao final de cada ano de sua vida útil:

Ano

Entradas

Saídas

Fluxo de Caixa Líquido

2013

R$320.000,00

R$78.000,00

R$242.000,00

2014

R$346.200,00

R$80.000,00

R$266.200,00

2015

R$632.400,00

R$100.000,00

R$532.400,00


Considerando juros compostos de 10% a.a., o valor presente dos fluxos de caixa futuros, em 31.12.2012 era de:

a) R$781.818,18;
b) R$800.461,54;
c) R$840.000,00;
d) R$946.000,00.

Resposta: C
Resolução
TAXA 10% a.a
ATUALIZAR OS VALORES PARA DATA FOCAL 2012
VPL = 242.000/1,1 + 266.200/1,21 + 532.400/1,3310 = 220.000 + 220.000 + 400.000 = 840.000

Professora Tatiane Antonovz

 

35. Com base na Resolução NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL – Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro, julgue os itens sobre Manutenção de Capital como Verdadeiros (V) ou Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

  • 1. De acordo com o conceito de capital financeiro, tal como dinheiro investido ou o seu poder de compra investido, o capital é sinônimo de ativos líquidos ou patrimônio líquido da entidade;
  • 2. De acordo com o conceito de manutenção do capital físico, o lucro é considerado auferido somente se a capacidade física produtiva da entidade no fim do período exceder a capacidade física produtiva no início do período, depois de excluídas quaisquer distribuições aos proprietários e seus aportes de capital durante o período.
  • 3.
  • Todas as mudanças de preços, afetando ativos e passivos da entidade, são vistas, no conceito de manutenção de capital físico, como mudanças na mensuração da capacidade financeira da entidade, devendo ser tratadas como lucro.

A sequência CORRETA é:

a)
F, F, V;
b) F, V, F;
c) V, F, V;
d) V, V, F.

Resposta: D
Texto literal do pronunciamento. Não devem ser tratadas como lucro.

 

Questão 36 sem correção

 

36. Para determinar a quantidade de contratos que terão seus cálculos revisados, em um procedimento de auditoria, o auditor utiliza a seguinte fórmula:Onde:n = tamanho da amostra aleatória simples a ser selecionada da população;

Z = abscissa da distribuição normal padrão, fixado um nível de (1 – a)% de  confiança para construção do intervalo de confiança para a média;
a = desvio padrão da população;
N = tamanho da população;
d = erro amostral admitido.

Em relação à quantidade de contratos a serem selecionados para revisão de cálculos, mantidos constantes os valores dos demais componentes da fórmula, é CORRETO afirmar que:

a)quanto maior for o desvio padrão da população e maior for o tamanho da população, menor será a amostra de contratos;
b)quanto maior for o desvio padrão da população, maior será a amostra de contratos;
c)quanto maior for o erro amostral admitido e menor for o desvio padrão da população, maior será a amostra de contratos;
d)quanto menor for o erro amostral admitido, menor será a amostra de contratos;

 

Professora Tatiane Antonovz

37. Ao examinar as demonstrações contábeis do ano de 2012 da Companhia “A”, os auditores verificaram que não foram observadas as determinações e orientações das seguintes normas:

– NBC TG 01 – Redução ao Valor Recuperável de Ativos;
– NBC TG 06 – Operações de Arrendamento Mercantil;
– NBC TG 16 – Estoques; e
– NBC TG 30 – Receitas.

Ao obterem evidência de auditoria apropriada e suficiente, concluíram que as distorções, quando consideradas em conjunto, são relevantes e generalizadas.

Assinale a opção que apresenta o parágrafo de opinião apropriado para a situação descrita.

a)
Em nossa opinião, devido à importância do assunto discutido no parágrafo Base para Opinião Adversa, as demonstrações contáveis não apresentam, adequadamente, a posição patrimonial e financeira da Companhia “A”, em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil;
b) Em nossa opinião, devido à relevância do assunto descrito no parágrafo Base para Abstenção de Opinião, não nos foi possível fundamentar nossa opinião de auditoria. Consequentemente, não expressamos uma opinião sobre as demonstrações contábeis acima referidas;
c) Em nossa opinião, exceto pelos efeitos do assunto descrito no parágrafo Base para opinião com Ressalva, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam, adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Companhia “A”, em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil;
d) Em nossa opinião, exceto pelos efeitos do assunto descrito no Parágrafo de Ênfase, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam, adequadamente, a posição patrimonial e financeira da Companhia “A”, em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil.

Resposta: A
Parecer com opinião adversa, pois não forma seguidos 4 normas obrigatórias.


38.
Uma sociedade empresária, com filiais em todo o território brasileiro, contratou uma auditoria externa para levantamento de seus produtos entre as filiais. O procedimento que garante confirmar a quantidade dos produtos existentes em suas filiais será:

a) Circularização;
b) Indagação;
c) Inventário físico;
d) Revisão analítica.

Resposta: D

 

39. De acordo com a NBC TP 01 – Perícia Contábil, o Termo Diligência é:


a)
O instrumento por meio do qual o perito apresenta o seu trabalho pericial através do laudo pericial, que poderá
conter anexos, apêndices e documentos que o profissional julgar necessário;

b) O instrumento por meio do qual o perito apresenta sua proposta de honorários, devidamente fundamentada, ao juízo, podendo conter o orçamento ou este constituir-se em um documento anexo;

c) O instrumento por meio do qual o perito requerer a liberação parcial dos honorários quando julgar necessário para o custeio de despesas durante a realização dos trabalhos;
d) O instrumento por meio do qual o perito solicita documentos, coisas, dados, bem como quaisquer informações necessárias à elaboração do laudo pericial contábil.

Resposta: D


40.
De acordo com a NBC PP 01 – Perito Contábil, relacione os  tipos de impedimentos apresentados na primeira coluna com as situações descritas na segunda coluna e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

1 – Impedimento legal                                                 (   ) Ser herdeiro presuntivo ou donatário de alguma das partes ou dos seus cônjuges;

2 – Impedimento técnico-científico                       (   ) Tiver mantido, nos últimos dois anos, ou mantenha com alguma das                                                                                                      partes ou seus procuradores relação de trabalho como empregado;

3 – Suspeição                                                                   (    ) A matéria em litígio não ser de sua especialidade.

A sequência CORRETA é:

a) 3, 2, 1;
b) 2, 3, 1;
c) 3, 1, 2;
d) 1, 3, 2.

Resposta: C

 

41. A NBC TG 38 – Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração fundamentada que “se a transferência não resultar em desreconhecimento porque a entidade reteve, substancialmente, todos os riscos e benefícios da propriedade do ativo transferido, a entidade deve continuar a reconhecer o ativo transferido na sua totalidade e deve reconhecer um passivo financeiro na sua totalidade e deve reconhecer um passivo financeiro pela retribuição recebida. Em períodos posteriores, a entidade deve reconhecer qualquer rendimento do ativo transferido e qualquer gasto incorrido como passivo financeiro.”

Essa fundamentação teórica se aplica aos casos de:

a) Depreciação Acumulada;
b) Duplicatas Descontadas;
c) Estoques de Mercadorias;
d) Impostos a Recuperar.

Resposta: B
As duplicatas descontadas podem ou não transferir os direitos integralmente a quem as toma para empréstimo de dinheiro.


42.
de acordo com a ITG 1000 – Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte, a afirmação “…tem por objetivo salvaguardar o profissional da Contabilidade no que se refere a sua responsabilidade pela realização da escrituração contábil do período-base encerrado, segregando-a e distinguindo-a das responsabilidades de administração da entidade, sobretudo no que se refere à manutenção dos controles internos e ao acesso às informações.” refere-se a:

a) Carta de Responsabilidade da Administração;
b) Nota Fiscal de Prestação de Serviços;
c) Proposta de Prestação de Serviços de Contabilidade;
d) Termo de Transferência de Responsabilidade Técnica.

Resposta: A
A Carta de Responsabilidade tem por objetivo salvaguardar o profissional da Contabilidade no que se refere a sua responsabilidade pela realização da escrituração contábil do período-base encerrado, segregando-a e distinguindo-a das responsabilidades da administração da entidade, sobretudo no que se refere à manutenção dos controles internos e ao acesso às informações.

 

43. Uma sociedade empresária contratou um seguro anual, em 1º de agosto de 2013, para cobertura de incêndio, avaliado no valor de R$180.000,00, com vigência a partir da assinatura do contrato.

O prêmio cobrado pela seguradora é equivalente a 10% do valor da cobertura e foi pago em 31 de agosto de 2013. O saldo da conta Prêmios de Seguros pagos Antecipadamente, em 31 de dezembro de 2013, de acordo com o princípio da competência, será de:

a) R$7.500,00;
b) R$10.500,00;
c) R$75.000,00;
d) R$105.000,00.

Resposta: B

Prêmio – 18.000 total, ou seja, despesa mensal de 1.500
Despesa com seguro Seguros após 5 meses 7500.
Saldo na Conta 10.500


44.
De acordo com a NBC TG 46 – Mensuração do Valor Justo, assinale a opção INCORRETA.

a) O valor eem uso utilizado no teste de recuperabilidade de um ativo imobilizado desconsidera na sua mensuração o Valor Justo;
b) O valor justo caracteriza-se pelo reconhecimento de perdas estimadas nos estoques avaliados pelo valor realizável líquido;
c) O valor justo é o preço que seria recebido pela venda de um ativo ou que seria pago pela transferência de um passivo em uma transação não forçada entre participantes do mercado na data de mensuração;
d) O valor justo é uma mensuração baseada em mercado.

Resposta: A
Nem sempre é desconsiderado. (PROVISÓRIO)

45. De acordo com a Resolução CFC nº 803/96 – Código de Ética Profissional do Contador e suas alterações, NÃO é norma de conduta a ser observada, obrigatoriamente, pelo profissional da Contabilidade, com relação à classe:

a) acatar as resoluções votadas pela classe contábil, inclusive quanto a honorários profissionais;
b) prestar seu concurso moral, intelectual e material, salvo circunstâncias especiais que justifiquem a sua recusa;
c) valer-se de agenciador de serviços, mediante participação desse nos honorários a receber;
d) zelar pelo prestígio da classe, pela dignidade profissional e pelo aperfeiçoamento de suas instituições.

Resposta: C

 

46. De acordo com o que determina o Código de Ética Profissional do Contador, julgue as situações hipotéticas abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

1. Um contador adota como estratégia de marketing publicar anúncios em jornal. Nos anúncios, ele faz indicação de títulos, especializações, serviços oferecidos, trabalhos realizados, além da relação dos clientes que autorizavam a publicação de seu nome;

2. Um auditor, atento ao programa de educação continuada, mantém-se atualizado, participando de cursos de extensão, seminários e outros eventos;

3. Um profissional da Contabilidade que atua como consultor tributário orienta os seus clientes a manterem escrituração contábil regular, independentemente do regime tributário escolhido.

Os profissionais citados nas situações acima agiram em conformidade com o que determina o Código de Ética Profissional do Contador nos itens:

a) I e II, apenas;
b) I e III, apenas;
c) I, II e III;
d) II e III, apenas.

Resposta: C


47.
De acordo com o que determina o Código de Ética Profissional do Contador, julgue as situações hipotéticas abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

1. Um contador assinou as demonstrações contábeis preparadas por seu primo, recém-formado e ainda não registrado no CRC local por não ter sido aprovado no Exame de Suficiência, cujo trabalho não orientou nem supervisionou;

2. Um perito contador, indicado para atuar em um caso de apuração de haveres, recusou sua indicação por não se achar capacitado para a tarefa requerida;

3. Um técnico em contabilidade, cursando o último ano da graduação em Ciências Contábeis, apresenta-se como contador, e já fez constar esta informação também no seu cartão de visitas e no site da empresa prestadora de serviços contábeis do qual é proprietário.

Agiram em desacordo com o que determina o Código de Ética Profissional do Contador, os profissionais citados nas situações:

a) I e II;
b) I e III;
c) I, II e III;
d) II e III.

Resposta: B
Leia o texto a seguir para responder às próximas perguntas.

 

 Professora Daniela Tatarin

Acabou o imposto invisível

As notas fiscais vão exibir o valor dos tributos pagos na compra de mercadorias e serviços. A mudança vai dar susto em muita gente que se achava livre desses encargos.

As contas pagas pelos brasileiros ficarão, a partir do próximo ano, mais justas. Isso não quer dizer que as pessoas pagarão por produtos e serviços o antigo “preço justo”, um dos conceitos básicos do sistema econômico que precedeu o capitalismo, o mercantilismo, em que o monarca, desconsiderando a lei de oferta e procura, arbitrava um preço fixo ao pão, à cerveja e à carne.

As contas ficarão mais justas no Brasil porque elas vão conter o valor dos impostos pagos pelos consumidores, que, por enquanto, é embutido no preço final das mercadorias e serviços. É o imposto invisível. Isso vai acabar. Depois de mais de vinte anos, o Congresso finalmente regulamentou a lei que obriga à discriminação do valor dos impostos incidentes sobre cada produto e serviço listado nas notas e cupons fiscais. Sancionada pela presidente Dilma Rousseff na semana passada, a obrigatoriedade entra em vigor em junho.

Parte dos 63 impostos, taxas, contribuições e tributos existentes no país é paga diretamente. É o caso, por exemplo, do imposto sobre a propriedade de veículos automotores, o IPVA, e do imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana, o IPTU. Mas muitos tributos são cobrados indiretamente. Eles se escondem no preço final. Entre os invisíveis estão o imposto sobre produtos industrializados, o IPI, e o imposto sobre a circulação de mercadorias, o ICMS. As notas trarão o valor estimado de um total de sete desses tributos que antes ficavam invisíveis. […]

Alguns especialistas em tributação foram contrários à aprovação da lei, pela impossibilidade de calcular exatamente o montante de cada imposto. Os valores exibidos nas notas não serão os efetivamente pagos, mas uma aproximação, sujeita a pequenas distorções. Os defensores da norma reconhecem suas limitações, mas acreditam que ela deverá contribuir para inibir o ímpeto de criação de tributos. A simplificação do sistema tributário brasileiro, que mais uma vez está em fase de discussão entre o governo federal e os estados, é a esperança mais real e imediata para os consumidores.

Bianca Alvarenga. Economia. VEJA. Editora Abril. Ed. 2.300, ano 45, nº 51. 19 de
dezembro de 2012. p. 80-83.

48. O texto permite inferir que:

a) Haverá mais justiça no pagamento de contas pelos brasileiros a partir de 2013;
b) Está prevista a volta do antigo conceito do “preço justo” na discriminação de impostos da nova nota fiscal;
c) O IPVA e o IPTU integram parte dos 63 impostos pagos indiretamente pelos brasileiros;
d) Os impostos pagos diretamente estarão identificados exatamente na nova nota fiscal.

Professora Daniela Tatarin

Resposta: A

Letra B – errada, pois nas linhas 2 e 3 fica clara a informação de que não é a volta do antigo conceito.
Letra C – errada, pois IPVA e IPTU são impostos cujo pagamento é direto.
Letra D – errada, pois os impostos a serem identificados são os indiretos.

Professor Sérgio Karkache

Resposta: A

A assertiva está dita nas linhas 1 e 2 do texto. Os demais itens são incorretos, por dizerem o contrário do afirmado pelo texto. O IPVA e o IPTU são tributos diretos, e não indiretos, sendo que a nova lei manda discriminar os impostos indiretos (como o ICMS, o ISS, etc.).

49. Com base no texto, identifique o item INCORRETO.

a) O capitalismo sucedeu o sistema econômico mercantilista;
b) O “preço justo” era o preço fixo arbitrado pelo monarca, desconsiderando a lei da oferta e da procura dos produtos;
c) Impostos como o ICMS e o IPI estão embutidos hoje no valor final dos serviços e das mercadorias;
d) A presidenta da República  regulamentou a lei que obriga a supressão dos impostos invisíveis que o Congresso sancionou.

Professora Daniela Datarin

Resposta: A.

Foi o mercantilismo que precedeu algo.

Professor: Sérgio Karkache

Resposta: D

A lei obriga à discriminação do valor dos impostos incidentes sobre cada produto e serviço listado nas notas e cupons fiscais e não a supressão deles. Supressão entende-se como o fim da cobrança destes impostos. Eles continuarão sendo exigidos, só que de forma transparente ao cidadão e consumidor.

50. Julgue os itens referentes à descrição gramatical, identificando-os como CERTOS ou ERRADOS.

  • 1. Na linha 1, empregam-se vírgulas para indicar o deslocamento por intercalação de um termo na chamada ordem direta da oração;
    2.
  • O emprego de “porque”, na linha 6, indica a relação de causa e efeito entre, respectivamente, os enunciados consequente e antecedente;
    3.
  • Na linha 9, o emprego do acento grave indicativo de crase é facultativo, pois sua ausência não implica alteração do sentido do enunciado;
    4.
  • Na linha 17, flexiona-se a forma “estão” na 3ª pessoa do plural por causa da concordância com o sujeito composto.

O resultado é:

a) E, C, C, E;
b) C, E, C, C;
c) C, C, E, C;
d) E, E, C, C.

Professora Daniela Tatarin

Resposta: C
Apenas a afirmação III está errada. O uso do acento grave, neste caso, não é opcional e retirá-lo implica alteração de sentido.

 

CFC

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *