Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Prova MTE 2013 – Gabarito extraoficial de Língua Portuguesa

Publicado em 8 de setembro de 2013 por - 34 Comentários

ATENÇÃO: houve alteração no gabarito abaixo,
já que a correção não correspondia a ordem das questões. Confira!

Confira o gabarito extraoficial da prova de Língua Portuguesa corrigida pela professora Daniela Tatarin, do concurso do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) realizada neste domingo (08/09/2013).

Texto para os itens de 1 a 13

 

Embora as conquistas obtidas a partir da Revolução

Francesa tenham possibilitado a consolidação da concepção de

cidadania, elas não foram suficientes para que essa condição se

verificasse na prática. A mera declaração formal das liberdades

nos documentos e nas legislações esboroava diante da

inexorável exclusão econômica da maioria da população. Em

vista disso, já no século XIX, buscaram-se os direitos sociais,

com ações estatais que compensassem tais desigualdades,

municiando os desvalidos com direitos implantados e

construídos de forma coletiva em prol da saúde, da educação,

da moradia, do trabalho, do lazer e da cultura para todos.

No entanto, foi somente depois da Segunda Guerra

Mundial que a afirmação da cidadania se completou, haja vista

que só então se percebeu a necessidade de se valorizar a

vontade da maioria, respeitando-se, sobretudo, as minorias, em

suas necessidades e peculiaridades. Em outras palavras,

verificou-se claramente que a maioria pode ser opressiva, a

ponto de conduzir legitimamente ao poder o nazismo ou o

facismo. Para que fatos como esse não se repetissem, fez-se

premente a criação de salvaguardas em prol de todas as

minorias, uma vez que a soma destas empresa legitimidade e

autenticidade à vontade da maioria.

Eis aí o fundamento primeiro das políticas em favor de

quaisquer minorias. No que toca às pessoas com deficiência, é

possível afirmar que o viés assistencialista e caridosamente

excludente que orientava as ações governamentais tem sido

substituído por programas de efetiva inclusão, que visam

formar cidadãos sujeitos do próprio destino, e não mais meros

beneficiários de políticas de assistência social. O direito de ir

e vir, de trabalhar e de estudar é a mola mestra da inclusão de

qualquer cidadão e, para que se concretize em face das pessoas

com deficiência, há que se exigir do Estado a construção de

uma sociedade livre, justa e solidária (como prevê o artigo 3º

da Constituição Federal), por meio da implementação de

políticas públicas compensatórias e eficazes.

A obrigação, porém, não se esgota nas ações estatais.

Todos nós somos igualmente responsáveis pela efetiva

Compensação de que se cuida. As empresas, por sua vez,

Devem primar pelo respeito ao princípio constitucional do

Valos social do trabalho e da livre iniciativa, para que se

implementem a cidadania plena e a dignidade do trabalhador

Com ou sem deficiência (previstas nos artigos 1º e 170 da

Constituição Federal). Nesse diapasão, a contratação de

pessoas com deficiência deve ser vista como qualquer outra.

Desses trabalhadores, espera-se profissionalismo, dedicação,

Assiduidade, enfim, atributos ínsitos a qualquer empregado.

Não se quer assistencialismo, e sim oportunidades.

 

Julgue os itens seguintes, relativos às ideias apresentadas no texto.

1 De acordo com o texto, ações governamentais de assistencialismo às pessoas com deficiência constituem salvaguarda eficaz no processo de inclusão desses indivíduos.

Resposta: Errada

2 Segundo o autor do texto, a construção de uma sociedade livre, justa e solidária só é possível mediante a inclusão, na sociedade, das pessoas com deficiência.

Resposta: Errada

3 Infere-se da leitura do texto que a contratação de pessoas com deficiência por empresas privadas vai de encontro ao princípio constitucional do valor social do trabalho e da livre iniciativa.

Resposta: Certa

4 Da leitura dos dois primeiros parágrafos conclui-se que as conquistas sociais verificadas após a Segunda Guerra Mundial foram mais efetivas que as percebidas após a Revolução Francesa.

Resposta: Certa

5 Depreende-se do texto que a necessidade de busca de direitos sociais que compensassem as desigualdades econômicas foi a razão maior da Segunda Guerra Mundial.

Resposta: Errada

 

Com base na estrutura linguística do texto, julgue os itens que se seguem.

6 A inserção de vírgulas imediatamente antes e depois da oração “que orientava as ações governamentais” (l.26) manteria a correção gramatical, mas alteraria o sentido do período.

Resposta: Certa

7 Dada a relação de concessão estabelecida entre as duas primeiras orações do texto, a palavra “Embora” (l.1) poderia, sem prejuízo do sentido ou da correção gramatical do texto, ser substituída por Conquanto.

Resposta: Certa

8 A expressão “tais desigualdades” (l.8), empregada, no período em que ocorre, sem um referente explícito, está associada à “inexorável exclusão econômica da maioria da população” (l.6).

Resposta: Certa

9 No trecho “o nazismo ou o facismo” (l.19-19), a conjunção “ou” evidencia a relação de sinonímia existente entre os nomes “nazismo” e “facismo”.

Resposta: Certa

 

Cada um dos itens abaixo apresenta uma proposta de reescrita de trecho do texto – indicado entre aspas –, que deve ser julgada certa se estiver gramaticalmente correta e mantiver o sentido original do texto, ou errada, em caso contrário.

10 “No entanto (…) completou” (l.12-13): Mas, apenas depois da Segunda Guerra Mundial é que a cidadania solidificou-se.

Resposta: Errada

11 “O direito (…) cidadão” (l45-46): O direito de ir e vir, o de trabalhar e o de estudar são a mola mestra da inclusão de qualquer cidadão.

Resposta: Certa

12 “Desses (…) empregado” (l45-46): Esperam-se desses trabalhadores profissionalismo, dedicação, assiduidade, enfim, atributos imanentes a qualquer empregado.

Resposta: Errada

13 “A mera (…) população” (l.4-6): A simples declaração formal das liberdades nos documentos e nas legislações ruíam frente à fatal exclusão econômica da maior parte da população.

Resposta: Errada

 

Texto para os itens de 14 a 20

 

Existe no mercado uma tendência de crescimento da

taxa de atividade feminina e de melhoria para as mulheres na

disputa por postos de trabalho. De fato, desde meados dos anos

oitenta do século XX, a taxa anual de emprego das mulheres

mostra-se mais elevada que a masculina, o que representa um

forte aumento de pessoas do sexo feminino entre a população

ocupada.

Muitas razões podem explicar esse comportamento

mais favorável às mulheres do que aos homens, no que se

refere à expansão do nível de ocupação. Uma delas decorre da

amplitude do processo de reestruturação produtiva iniciada na

década de noventa do século passado, que afeta principalmente

o emprego industrial, cuja redação massiva tem rebatimentos

negativos e incide mais sobre os homens do que sobre as

mulheres, pouco representadas no setor.

Outro fator que estimula a inserção produtiva das

mulheres diz respeito à expansão da economia de serviços.

Entretanto, há de se considerar que esse fenômeno pouco tem

alterado a predominância de um ou outro sexo em

determinados setores, dado o perfil da segregação ocupacional

de gênero: as mulheres permanecem majoritárias –

representam mais de 70% do total – nas atividades de saúde

e de ensino, na administração pública e nos serviços pessoais.

O terceiro fator que favorece o aumento do emprego

feminino nos anos recentes é a maior flexibilização do mercado

de trabalho, juntamente com a “precarização” das relações de

trabalho, dada a falta de regulamentação de certas garantias de

trabalho e de seguridade social, as formas de contrato sem

carteira assinada, a diminuição dos níveis salariais, o aumento

das formas de trabalho em domicílio e por conta da própria e o

aumento da informalidade, de forma geral.

Esse enfoque explica o aumento maior de

oportunidades de emprego para as mulheres, em razão,

sobretudo, das características da atual divisão do trabalho por

sexo: o emprego em atividades de tempo parcial atrairia

prioritariamente as mulheres, pois permitiria compatibilizar

trabalho doméstico e trabalho remunerado; como mão de obra

secundária, as mulheres aceitariam salários inferiores, o que

atenderia mais imediatamente à demanda dos setores público

e privado, até porque, em face do aumento do desemprego,

seriam provavelmente as primeiras a serem dispensadas.

Em outras palavras, existe uma oposição entre

elevação da taxa de emprego feminina – ou “feminização” do

emprego – e a “precarização” das relações de trabalho, e isso

explica vantagens comparativas da mão de obra feminina sobre

a masculina.

 

Julgue os itens a seguir com base nas ideias do texto.

14 Conclui-se da leitura do texto que, comparado ao número de homens contratados para trabalhar no setor industrial, o número de mulheres que trabalham nesse setor é pequeno.

Resposta: Certa

15 Depreende-se da leitura do texto que o aumento do número de mulheres no mercado de trabalho deve-se, em parte, ao fato de as mulheres serem menos ambiciosas do que os homens e, por essa razão, aceitarem salários mais baixos e condições menos satisfatórias de emprego.

Resposta: Errada

16 De acordo com o texto, o setor de serviços tem-se expandido, no Brasil, desde a década de noventa do século passado, assim como a presença feminina nesse setor.

Resposta: Errada

17 De acordo com as informações apresentadas no texto, a reestruturação produtiva iniciada na década de noventa do século XX, a expansão da economia de serviços e a maior flexibilização do mercado de trabalho, somada à precarização das relações de trabalho, são fatores que explicam o aumento do contingente feminino no mercado de trabalho.

Resposta: Certa

 

Com base na estrutura linguística do texto, julgue os itens que se seguem.

18 As formas verbais “tem”(l.13) e “incide” (l.14) estão flexionadas no singular porque concordam com o termo “redução massiva” (l.13).

Resposta: Certa

19 A substituição do trecho “o que atenderia” (l.38-39) por que atendem manteria a correção gramatical e a coerência do texto.

Resposta: Errada

20 Não haveria prejuízo para a correção gramatical ou para o sentido original do texto caso o primeiro período fosse assim reescrito: Muitos são os motivos que podem explicar esse comportamento mais favorável a mulher do que os homens, quanto à explicação do nível de ocupação.

Resposta: Errada

 

 

Confira também as respostas do gabarito pelo professor Odilei França:

  • Questão 1 -ERRADA

  • Questão 2 – ERRADA

  • Questão 3 – ERRADA – POIS VAI AO ENCONTRO DE

  • Questão 4 – CERTA

  • Questão 5 – ERRADA

  • Questão 6 – CORRETA -POIS A ORAÇÃO DEIXARIA DE SER RESTRITIVA E PASSARIA A EXPLICATIVA.

  • Questão 7 – CORRETA

  • Questão 8 – CERTA

  • Questão 9 – CERTA

  • Questão 10 – ERRADA – POIS O TERMO CIRCUNSTANCIAL “apenas depois da Segunda Guerra Mundial” DEVERIA FICAR ENTRE VÍRGULAS.

  • Questão 11 – ERRADA – POIS O NÚCLEO DO SUJEITO É O SUBSTANTIVO “DIREITO” O QUE EXIGE VERBO NO SINGULAR.

  • Questão 12 – CORRETA – POIS SUJEITO É profissionalismo, dedicação, assiduidade, SUJEITO COMPOSTO POSPOSTO AO VERBO. O VERBO FICA NO PLURAL OU CONCORDA COM O NÚCLEO MAIS PRÓXIMO.

  • Questão 13 – ERRADA – POIS O NÚCLEO DO SUJEITO É O SUBSTANTIVO “DECLARAÇÃO” O QUE REQUER VERBO NO SINGULAR.

  • Questão 14 – ERRADA

  • Questão 15 – ERRADA

  • Questão 16 – CERTA

  • Questão 17 – CERTA


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

34 comentários

  • Julio

    Fiz e meu gabarito diverge nas questões: 4,6,7,14,15,17. E a de vcx galera?

  • Cristina

    Eu achei esse gabarito muito estranho, tem questões que estão muito divergentes, eles deveriam reavaliar, No da PFR tinham 4 ou 5 questões divergentes do gabarito oficial.

  • Paulo

    Se a necessidade de busca de direitos sociais foi a razão maior da Segunda Guerra Mundial, eu volto para o primário

  • Licia Ramalho

    Diverge apenas duas do meu gabarito – 10 e 15,ambas corretas no meu ver.

    • KARLA DIAS

      Pois eu, por exemplo, sou mulher e não sou menos ambiciosa que qualquer homem… A questão 15 atribui juízo de valor à um tema subjetivo o que a torna errada…

      • gil

        Não se trata da nossa opinião pessoal ou mesmo a do autor do texto, mas o que se pode concluir ao se ler o texto.
        Flexibilização do mercado e precarização das relações de trabalho favoreceram a parcela feminina da mão de obra… Uma das explicações ou conclusões possiveis é a menor ambição desta parcela.
        Eu marquei como correta (apesar de não concordar com a ideia).

  • Gente, questões que eu tinha certeza que estavam certas eles marcaram como erradas e vice-versa. Não é a primeira vez que isso acontece. Da última vez, meu gabarito estava certo e o do Aprova errado. Acho que estou mais apto a corrigir as provas do que eles. kkkkk. Olha que isso não aconteceu só na prova de Português. Realmente deveriam reavaliar.

  • JONAS

    Galera, fica ligado que as questões estão fora de ordem. confira pelo texto, e nao pelo numero.

  • Elismar

    Comecei a conferir o gabarito, mas quando cheguei na 4) parei.
    Com todo o respeito, não tem como considerar essa questão como CERTA.

  • KARLA DIAS

    Ou eu desaprendi o português ou esse gabarito está, em grande parte, equivocado…

  • Alexandra R. Muniz

    Descordo fortemente do gabarito das questoes 4,6,7,14,15 e 17. Modestia a parte, Portugues e uma materia que geralmente acerto bastante…Melhor esperar ate sair o da cespe par comparar..

  • Alexandre

    Não descarto a possibilidade de o “ou” indicar sinonímia, como se ambas as ideologias se equivalessem, mas, para mim, a conjunção “ou” indica exclusão, uma vez que, segundo a leitura que fiz do texto, a maioria pode conduzir ao poder ou uma ideologia (nazismo) ou outra (fascismo).

  • Luizin

    Esse gabarito não tem nada com nada.

  • Laine

    A 17 não pode estar correta! onde no texto fala década de noventa ??? o meu texto fala meados dos anos oitenta do seculo XX

  • Ana Reuma Peixoto

    Ah, não!!!! Pelo amor de Deus… A correção da questão 3 está completamente equivocada. O item assevera que a contratação de pessoas com deficiência VAI DE ENCONTRO aos ditames constitucionais da livre iniciativa. Está ERRADO!!! Ir de encontro é ir na direção contrária. Vocês estão confundindo com IR AO ENCONTRO, que significa ir na mesma direção. Item ERRADO!!!!

  • aliny

    Concordo com o Jonas…fiquem ligados no conteudo da questao…pois o site nao considerou a questao da princioal causa da segunda guerra como correta. Ela esta errada.

  • Nossa! Estou até com medo de continuar estudando por esse site. É muito erro – pelo menos posso falar de Português por ser professor de português. Gente, vamos ter mais cuidado nas correções. Se todas as áreas for assim, estamos perdido. Ainda bem que nem assisto as aulas de português!

  • Denis

    Gente, calma! Hoje, com a divulgação do gabarito oficial, teremos um norte sobre a competência do Aprova em corrigir questões ou não. Sabemos que tudo pode acontecer. O Gabarito preliminar será o juiz. Mas, não podemos esquecer que ele tb poderá ter erros. Mesmo tendo respondido em desacordo com o gabarito aqui apresentado, me sentiria muito mal se as respostas aqui apresentadas estivessem erradas. Pois, levaria à dúvida sobre a competência de quem ensina > o Aprova.

  • Douglas Ribeiro

    questão 3 – “de encontro”, está correto mesmo? não seria “ao encontro”?

  • O TEXTO CONTEM ERROS GROSSEIROS, MAS HÁ PARTE NA QUESTÃO EM QUE SE PEDE “CONFORME O TEXTO” (HÁ O QUE SER AVALIADO, CUIDADO COM AS ARMADILHAS DA BANCA).
    NA QUESTÃO 16 (DA PROVA OU 17 DESTE GABARITO CONFUSO), POR EXEMPLO, ESTE GABARITO ESTÁ ESTRANHO. PORQUE A PERGUNTA ESPECIFICA “NA DÉCADA DE 90 DO SECULO XX (ABSURDO-MAS É O TEXTO)…..E O TEXTO NO PRIMEIRO PARAGRAFO DESCREVE ” DOS ANOS 80 DO SECULO XX….ESTA QUESTÃO NEM PRECISA SER TODA LIDA, O ENUNCIADO DA QUESTÃO DIVERGE DO TEXTO.
    PORTANTO, NA QUESTÃO 16 A RESPOSTA É ERRADA, DIFERENTE DO GABARITO QUE SUGERE CERTO.

    • gil

      O terceiro paragrafo do texto informa que o setor de serviços já era predominantemente feminino (mais de 70%) e assim continua apesar da expansão verificada. Correta a assertiva da questão 16.

  • Laine, é isto mesmo, está correto o que vc disse

  • maria aparecida

    gente, vamos entrar num acordo; ñ deve haver dois gabaritos p/ a mesma prova. Prova única e gabarito deve ser padrão único, q confuso! um professor apresenta um gabarito, depois vem outro da mesma disciplina e apresenta outro. Todos estão tentando interpor recursos, c apoiar no sistema d ensino e precisamos d ajuda; por favor ñ nos confundam, o tempo é escasso e temos q enfrentar uma banca tradicionalmente renomado. com argumentos procedentes.
    Espero poder contar com a coordenadoria dos cursos p/ resolvermos isso. obrigada

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *