Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Polícia Federal Prova PF 2013 Perito – Gabarito extra-oficial de Língua Portuguesa

Publicado em 22 de julho de 2013 por - 7 Comentários

Gabarito extra-oficial das questões de Língua Portuguesa da prova da Polícia Federal

O que tanta gente foi fazer do lado de fora do tribunal
onde foi julgado um dos mais famosos casais acursados de
assassinato no país? Torcer pela justiça, sim: as evidências
permitiam uma forte convicção sobe os culpados, muito antes
do encerramento das investigações. Contudo, para torcer pela
justiça, não era necessário acampar na porta do tribunal, de
onde ninguém podia pressionar os jurados. Bastava fazer
abaixo-assinados via Internet pela condenação do pai e da
madrasta da vítima. O que foram fazer lá, ao vivo? Penso que
as pessoas não torceram apenas pela condenação dos principais
suspeitos. Torceram também para que a versão que inculpou
o pai e a madrasta fosse verdadeira.
O relativo alívio que se sente ao saber que um
assassinato se explica a partir do círculo de relações pessoais
da vítima talvez tenha duas explicações. Primeiro, a fantasia de
que em nossas famílias isso nunca há de acontecer. Em geral
temos mais controle sobre nossas relações íntimas que sobre o
acaso dos maus encontros que podem nos vitimar em uma
cidade grande. Segundo, porque o crime familiar permite o
lenitivo da construção de uma narrativa. Se toda morte
violenta, ou súbita, nos deixa frente a frente com o retal
traumático, busca-se a possibilidade de inscrever o acontecido
em uma narrativa, ainda que terrível, capaz de produzir sentido
para o que não tem tamanho nem nunca terá, o que não tem
conserto nem nunca terá, o que não faz sentido.

Maria Rita Khel. A morte do sentido. Internet:
<www.mariaritakhel.psc.br>  (com adaptações)

 

Com base no texto acima, julgue os itens de 8.

1 – O trecho “o que não tem tamanho nem nunca terá, o que não tem conserto nem nunca terá, o que não faz sentido” (l24-25) evoca o sentimento de revolta das famílias de violência urbana.

Resposta: Certo
Gabarito Cespe: Errado

Comentário da professora sobre a divergência:

Confirmado o gabarito. Não há sentimento de revolta, embora a circunstância abordada pelo texto seja revoltante. Além disso, o texto não se refere apenas às famílias que passaram por uma situação traumática de violência mas de maneia geral a todos que, direta ou indiretamente, convive com isso.

 

QUESTÃO ANULADA PELA CESPE

2 – Sem prejuízo das relações sintático-semânticas do texto, os dois últimos períodos do primeiro parágrafo do texto poderiam ser corretamente reescritos da seguinte forma: Penso que as pessoas não torceram apenas pela condenação dos principais suspeitos, tendo torcido também – e principalmente – para que a versão que inculpou o pai e a madrasta fosse verdadeira.

Resposta: Errado
Gabarito Cespe: Certo

Comentário da professora sobre a divergência:

Confirmo o gabarito. Passou despercebido o fato de a questão se referir ao texto como um todo e não ao fragmento, portanto, o uso do termo principalmente não altera o sentido global do texto, mesmo dando ênfase ao fato de ser verdadeira a versão que atribuiu culpa aos pais.

3 – De natureza indagativa, o texto coteja o comportamento do povo diante de determinados julgamentos. Em relação a uns, o povo se mobiliza ruidosamente; a outros, manifesta completo desinteresse.

Resposta: Errado

4 – Sem prejuízo do sentido original do textos, os dois-pontos empregados logo após “sim” (l.3) poderiam ser substituídos por vírgula, seguida de dado que ou uma vez que.

Resposta: Certo

5 – As expressões nominais “os culpados” (l.4), “os jurados” (l.7), “principais suspeitos” (l.10-11) e o “o pai e a madrasta” (l.12) formam uma cadeia coesiva, referindo-se a “um dos mais famosos casais acusados de assassinato no país” (l.2-3).

Resposta: Errado

Com relação à função e à linguagem das correspondências oficiais, julgue os itens seguintes.

6 – Para comunicação entre unidades de um mesmo órgão, emprega-se o memorando, expediente cuja tramitação apresenta como principais características a rapidez e a simplicidade.

Resposta: Certo

7 – A formalidade de tratamento empregada para se dirigir ao destinatário de uma comunicação oficial varia de acordo com a relação existente entre quem a expede e quem a recebe. Isso equivale a dizer que a hierarquia presente entre os interlocutores é determinante para a escolha adequada dos pronomes de tratamento adotados no texto.

Resposta: Errado

 

Julgue o intem a seguir, conforme a adequação da linguagem dos excertos a um texto de correspondência oficial, o qual, segundo o Manual de Redação da Presidência da República, deve caracterizar-se por impessoalidade, uso do padrão culto de linguagem, clareza, concisão, formalidade e uniformidade.

22 –  Senhor Corregedor,
A ação rigorosa da Polícia Federal no sentido de extirpar os crimes de tráfico das comunidades menos favorecidas foi determinante para que a operação fosse considerada bem-sucedida até a presente fase. Faz-se necessário, agora, que se acompanhem regularmente as atividades dos cidadãos residentes nos locais envolvidos. Visa-se, com isso, a não reincidência de crime nas etapas subsequentes do projeto e em período posterior ao seu término.

Resposta: Certo

Confira os comentários da professora Daniela Tatarin!
Obs. Algumas questões comentadas no vídeo foram cobradas apenas na prova de escrivão.

 


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

7 comentários

  • MARCOS CRISTINO

    Qual a resposta da questão 05?

  • DAC

    Na questão 22, será que não teria uma crase em… “Visa-se, com isso, à não…

    • Fernando da Costa Correa

      Questão 7 esta errada, o próprio manual de redação diz: O uso de pronomes e locuções pronominais de tratamento tem larga tradição na língua portuguesa. De acordo com Said Ali, após serem incorporados ao português os pronomes latinos tu e vos, “como tratamento direto da pessoa ou pessoas a quem se dirigia a palavra”, passou-se a empregar, como expediente lingüístico de distinção e de respeito, a segunda pessoa do plural no tratamento de pessoas de hierarquia superior. Prossegue o autor:

  • GUILHERME PASSERO

    Não seria o correto “Excelentíssimo Senhor Corregedor” no lugar de “Senhor Corregedor”?

    O que há de errado na questão em que se cita ” Penso que as pessoas não torceram apenas pela condenação dos principais suspeitos, tendo torcido também – e principalmente – para que a versão que inculpou o pai e a madrasta fosse verdadeira.”?

  • GUILHERME PASSERO

    Perdão pelo comentário anterior. Favor desconsiderar. Há vários documentos na internet com o uso de “Excelentíssimo Senhor Corregedor”, mas está errado este tratamento segundo o manual citado na questão.

  • gUTEMBERGUE

    …..de crimes das comunidades menos favorecidas…
    Esse termos das não significa que a comunidade está cometendo crimes? O correto não seria nas?

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *