O governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou ontem, dia 5 de julho, um pacote inédito de medidas para o ensino paulista. Entre as medidas anunciadas está um concurso para 59 mil novos educadores, a maior contratação da história do ensino paulista.

“Autorizamos o concurso público para a contratação de 59 mil professores para a Educação Básica. O concurso será no segundo semestre e os professores devem assumir as salas de aula já no próximo ano”, disse o governador, ao lembrar que o concurso é uma ótima oportunidade para os estudantes que estão concluindo a universidade e também para os professores temporários da Rede Estadual.

Além disso, a partir de agora, os 181,5 mil professores efetivos e estáveis da rede estadual de ensino paulista poderão acumular o cargo com a contratação temporária. O que permitirá, por exemplo, que ele substitua um outro professor em horário distinto de sua jornada, além de aumentar a carga horária de acumulação para 65 horas semanais. As medidas reforçam a política da Secretaria pela ampliação do quadro de docentes efetivos na rede estadual.

O edital, previsto para ser publicado ainda no segundo semestre, trará também mudanças na convocação para agilizar o ingresso dos novos professores na sala de aula. Após serem selecionados, os servidores passarão por formação específica na Escola de Formação e Aperfeiçoamento do Estado de São Paulo “Paulo Renato Costa Souza” (EFAP), simultaneamente ao estágio probatório. Antes, a formação e o estágio aconteciam em fases distintas.

A formação é uma etapa importante para o ingresso dos novos docentes. Por meio dela, os professores conhecem o currículo adotado pelo Estado, as metodologias de trabalho da rede pública paulista e a rotina pedagógica das mais de 5 mil escolas.

Outra novidade é que os novos ingressantes não precisarão mais cumprir os três anos de atuação obrigatória na unidade de ensino (estágio probatório) para só então participarem do processo de remoção.

No pacote de valorização da rede, também foram contemplados outros servidores que compõem o quadro da Educação. A Secretaria anunciou a nomeação de 973 agentes de organização escolar, a criação de 127 cargos de oficial administrativo e 87 de executivo público.

Novos cargos

O governador anunciou ainda a criação de mais de 800 cargos na rede estadual de ensino. Os profissionais atuarão nas Diretorias Regionais de Ensino e nos órgãos centrais da pasta, a fim de desburocratizar ainda mais as atividades da escola e permitir maior dedicação à sala de aula.

Serão 400 cargos de analista de tecnologia, função inédita na Pasta, que será focada nos núcleos de informática e execução das obras, e 418 novos postos de trabalho para analistas administrativos, responsáveis por auxiliar na gestão de recursos humanos, além da gestão financeira.

Fonte: Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

 

Publicado em 06/07/2013 | Atualizado em 06/07/2013 às 14:10

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *