Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Concurso para Analista MPU 2013 – Gabarito comentado da prova de Português

Publicado em 21 de maio de 2013 por - 3 Comentários

Confira abaixo o gabarito das questões de Português, referente à prova aplicada para o cargo de Analista do concurso do MPU (Ministério Público da União), comentado e revisado pelo professor Odilei França.

  • Concurso Público: Ministério Público da União
  • Data: 19 de maio de 2013
  • Cargo: Analista
  • Instituição elaboradora: Cespe/UnB
  • Disciplina: Português
  • Professor: Odilei França
  • Modalidade de questão: Certo ou Errado

Português

Questão 1. Com base nos dados apresentados no texto, é correto concluir que a situação do Brasil, no que diz respeito ao número de promotores existente no Ministério Público por habitante, está pior que a Guatemala, mas melhor que a do Peru.

CORRETA – Pois na Guatemala é de 6,9, no Brasil, de 4,2 e no Peru, 3,0.

Questão 2. Seriam mantidas a coerência e a correção gramatical do texto se, feitos os devidos ajustes nas iniciais maiúsculas e minúsculas, o período “É correto (…) o Brasil” (l.11/12) fosse iniciado com um vocábulo de valor conclusivo, como logo, por conseguinte, assim, ou porquanto, seguido de vírgula.

ERRADA – Logo, por conseguinte e assim são para conclusão, mas porquanto é para explicação.

Questão 3. O objetivo do texto é provar que o número total de promotores no Brasil é menor que na maioria dos países da América Latina.

ERRADA – O objetivo do texto é apresentar a singularidade do MPU no Brasil com relação a outras Nações.

Questão 4. No primeiro período do terceiro parágrafo, é estabelecido contraste entre a maior extensão das obrigações do Ministério Público brasileiro, em comparação com as de órgãos equivalentes em outros países, e o número de promotores em relação à população do país, o que evidencia situação oposta à que se poderia esperar.

CORRETA –  Os elementos coesivos “entretanto” e “apesar de” justificam a afirmativa

Questão 5. No último  período do texto, a palavra “atribuições” está submetida logo após o vocábulo “as” (l.13), que poderia ser substituído por aquelas sem prejuízo para a correção do texto.

CORRETA –  Poderiam assim ser reescritas: No entanto, as atribuições do Ministério Público brasileiro  são muito mais extensas do que aquelas dos Ministérios Públicos desses países. / No entanto, as atribuições do Ministério Público brasileiro são muito mais extensas do que as atribuições dos Ministérios Públicos desses países.

Questão 6. Seriam mantidas a correção gramatical e a coerência do texto se o primeiro parágrafo fosse assim reescrito: Quando se examina o contexto internacional, concluímos que não há situação como a do Brasil, no que se refere a existência e desempenho do Ministério Público.

ERRADA – Pois ocorre crase em “no que se refere à  existência…”.

Questão 7. Os dados expostos no terceiro parágrafo indicam que os profissionais do Ministério Público brasileiro são mais eficientes que os dos órgão equivalentes nos demais países da América do Sul.

ERRADA – Apresenta a extensão: o fato de ser maior, e o fato de ser desfavorável pela quantidade de promotores.

Questão 8. De acordo com o texto, a justiça é um ideal de impossível realização, o que é comprovado pela história humana.

ERRADA – Cada grupo tem sua maneira de realizá-la.

Questão 9. Conclui-se da leitura do texto que a dificuldade de se definir a justiça decorre, ter outras causas, da diversidade própria dos grupos humanos.

CORRETA – Segundo e terceiro parágrafos.

Questão 10. Pela organização sintética do segundo período no texto, pode-se interpretar o trecho “uma quimera merecedora de nossa constante atenção” (l.7-8) como uma ampliação do sentido da expressão “mera suposição” (l.6-7).

CORRETA – A presença da vírgula justifica.

Questão 11. Sem prejuízo para as idéias originais do texto ou para sua correção gramatical, o último parágrafo do texto poderia ser dividido em dois períodos, substituindo-se a vírgula logo após “concreto” (l.28) por ponto final e reescrevendo-se o trecho subsequente da seguinte forma: Isso leva à seguinte conclusão: em lugar de buscar uma idéia universal de justiça, é melhor tentar definir os atos justos no plano concreto de ação.

ERRADA – Não ocorre crase antes da palavra “seguinte”, o “a” que aparece antes é apenas a preposição da forma verbal “leva”.

Questão 12. No terceiro parágrafo, a partícula “se” é empregada, em ambas as ocorrências, como índice de indeterminação do sujeito, o que confere maior formalidade ao texto.

ERRADA – A palavra “SE” nos dois casos é pronome apassivador.

Questão 13 . A forma adjetiva “histórico-culturais”(l.25) poderia estar flexionada corretamente também como históricos-culturais.

ERRADA – A formação do adjetivo composto, formado de dois adjetivos, só varia o segundo elemento, o correto é como está no texto.

Questão 14  (EM ANÁLISE)

Questão 15 (EM ANÁLISE)

Questão 16. A palavra “nebulosas” (l.7) é empregada, no texto, com função adjetiva, podendo ser substituída por obscuras, enigmáticas.

ERRADA – No texto ela é substantivo.

Questão 17. A oração “quinhoar desigualmente aos desiguais na medida em que se desigualam”(l.9-10) exerce a função de complemento indireto da forma verbal “consiste” (l.9).

CORRETA – Objeto Indireto da forma verbal “consiste”.

Questão 18. Não haveria prejuízo para o sentido original e nem para a correção gramatical do texto caso se inserisse quando ou se for imediatamente antes de “executada” (l.17).

ERRADA – Se eu acrescentar “se for” provocará alteração verbal na forma verbal “faria” para FARÁ.

Questão 19. No texto, que se classifica como dissertativo-argumentativo, o autor constrói, por meio de recursos que incluem o uso de exemplos e repetição de estruturas e elementos lexicais, os argumentos que sustentam a ideia de igualdade por ele defendida.

CORRETA – O autor começa a falar de desigualdades para justificar seu argumento a favor da igualdade.

Questão 20. Na linha 7, a forma verbal “espanta” flexiona-se no singular para concordar com o sujeito oracional “Ao que nele penetrou”.

ERRADA – O sujeito é oracional, mas são as seguintes orações “apenas encontrar formular, só ouvir formular e só encontrar fórmulas”.

Questão 21. Na linha 20, o emprego do sinal indicativo de crase é facultativo em “à labuta” e “às alturas”; por isso, sua omissão não traria prejuízo para correção gramatical do período.

ERRADA – A ocorrência de crase justifica-se nos dois casos por se tratar de locução adverbial de lugar.

Questão 22. Segundo o autor do texto, a justiça pode ser alcançada pela aplicação mais equânime do direito.

EM ANÁLISE

Questão 23. No terceiro parágrafo do texto, o autor enfatiza a tradição romanística do direito brasileiro ao mesmo tempo em que faz alusão à existência de fórmulas nacionais inovadoras.

CORRETA – O próprio parágrafo justifica.

As demais questões estão em processo de estudos para justificativas.


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

3 comentários

  • Ângela Silva

    Professor Odilei,
    Em relação à quarta questão tenho dúvidas acerca da correção. É que se observarmos o PRIMEIRO PERÍODO do terceiro parágrafo, e eu entendo que ele se encerra no “quadro latino-americano”, já os dados que se referem ao número de promotores seguem no período subsequente. Eu cri que esta questão estive falsa por isso.
    você pode me explicar onde errei?

  • Na questão 23: a parte inicial da afirmativa considero correta. Entretanto, na segunda parte ao afirmar : “outras mais novas, nascidas no solo pátrio; mas, só isso:fórmulas e fórmulas”.

    Não necessariamente, algo novo é concretamente INOVADOR. Outra feita, se olharmos o parágrafo anterior continua-se apenas no mesmo processo do formalismo, ou seja, fórmulas, fórmulas e nada mais que isso.

    Não concordo com o gabarito.

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *