Aprova Concursos - Blog

Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Concurso para Delegado PC PR – Gabarito comentado da prova de Língua Portuguesa

Publicado em 7 de maio de 2013 por - Comentar

Confira abaixo o gabarito de Língua Portuguesa, referente à prova aplicada para o cargo de Delegado do concurso da Polícia Civil do Paraná 2013, comentado e revisado pelo professor Odilei França. 

  • Concurso Público: Polícia Civil do Estado do Paraná
  • Data: 05 de maio de 2013
  • Cargo: Delegado
  • Instituição elaboradora: COPS/UEL
  • Área: Conhecimentos Gerais
  • Disciplina: Língua Portuguesa
  • Professor: Odilei França
  • Quantidade de questões: 10
  • Modalidade de questão: Múltipla Escolha (5 alternativas)

Leia o texto, a seguir, e responda às questões de 1 a 10.

A repercussão sobre o tratamento ofensivo dispensado a um menino negro de 7 anos que acompanhava os pais adotivos em uma concessionária de carros importados no Rio de Janeiro, há algumas semanas, jogou luz sobre uma discussão que permeia a história do Brasil: afinal, somos um país racista? Apesar de não haver preconceito assumido, o relato dos negros brasileiros que denunciam olhares tortos, desconfiança, apelidos maldosos e tratamento “diferenciado” em lojas, consultórios, bancos ou supermercados não deixa dúvidas de que são discriminados em função do tom da pele. Estatísticas como as divulgadas pelo Mapa da Violência 2012, que detectou 75% de negros entre os jovens vitimados por homicídios no Brasil em 2010, totalizando 34.983 mortes, chamam a atenção em um país que aparentemente não enfrenta conflitos raciais.

A disparidade entre o nível de escolaridade é outro indicador importante. De acordo com o Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre os brasileiros com nível superior completo há 9,8 milhões de brancos e 3,3 milhões de pardos e pretos. Já entre a população sem instrução ou que não terminou o Ensino Fundamental os números se invertem: são 40 milhões de pretos e pardos e 26,3 milhões de brancos. “O racismo no Brasil é subjetivo, mas as consequências dele são bem objetivas”, afirma o sociólogo Renato Munhoz, educador da Colmeia, uma organização que busca despertar o protagonismo em entidades sociais, incluindo instituições ligadas à promoção da igualdade racial.

Ele enfatiza que os negros, vitimizados pela discriminação em função da cor da pele, são minoria nas universidades, na política, em cargos de gerência e outras esferas relacionadas ao poder. “Quando chegam a essas posições, causam ‘euforia”’, analisa, referindo-se, na história contemporânea, ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa e ao presidente dos EUA, Barack Obama. Munhoz acrescenta que o racismo tem raiz histórica. “Remete ao sequestro de um povo de sua terra para trabalhar no Brasil. Quando foram supostamente libertados, acabaram nas periferias e favelas das cidades, impedidos de frequentar outros locais”, afirma.

Esse contexto, para ele, tem sido perpetuado através dos tempos, apesar da existência da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, que define como crime passível de reclusão os preconceitos de raça ou de cor. “A não aceitação de negros em alguns espaços é evidente”, reforça. A subjetividade do racismo também se expressa no baixo volume de denúncias nas delegacias. No Paraná, de acordo com dados do Boletim de Ocorrência Unificado da Polícia Civil, de 2007 a 2012 foram registrados 520 crimes de preconceito, o que resulta em uma média de apenas 86 registros por ano. Por todas essas evidências, Munhoz defende a transformação da questão racial em políticas públicas, a exemplo das cotas para negros nas universidades. “Quando se reconhece a necessidade de políticas públicas, se reconhece também que há racismo”, diz. Ele acrescenta, ainda, que os desafios dessas políticas passam pela melhoria no atendimento em saúde à população negra e no combate à intolerância religiosa.
“Não reconhecer as religiões de matriz africana é outro indicador de racismo”.

 (Adaptado de: AVANSINI, C. Preconceito velado, mas devastador. Folha de Londrina. 3 fev. 2013, p.9.)

Questão 1

O título da reportagem traz duas qualificações para o termo “preconceito”. No 2º parágrafo do texto, há
uma terceira qualificação.

Assinale a alternativa que correlaciona, corretamente, essas qualificações.
a) Preconceito assumido é o contrário de preconceito velado.
b) Preconceito velado é o contrário de preconceito devastador.
c) Preconceito assumido e preconceito velado são sinônimos.
d) Preconceito assumido e preconceito devastador são sinônimos.
e) Preconceito velado e preconceito devastador são sinônimos.

Resposta: A

Comentário:

Velado quer dizer encoberto, escondido: um preconceito  velado é aquele que é escondido ou oculto.

Assumido quer dizer o que é aceito, o que não está escondido, o que é revelado.

Portanto preconceito assumido é o contrário de preconceito velado.

 

Questão 2

Quanto à concordância, a forma verbal

a) “jogou”, no 1º parágrafo, concorda com “tratamento”.
b) “denunciam”, no 2º parágrafo, concorda com “olhares”.
c) “deixa”, no 2º parágrafo, concorda com “relato”.
d) “chamam”, no 2º parágrafo, concorda com “mortes”.
e) “enfrenta”, no 2º parágrafo, concorda com “atenção”.

Resposta: C

Comentário:

a) Errada concorda com repercussão

b) Errada concorda com negros brasileiros.

c) Correta

d) Errada concorda com estatísticas.

e) Errada concorda com país.

 

Questão 3

Sobre as referências, no texto, ao ministro Joaquim Barbosa e ao presidente dos Estados Unidos da
América, Barack Obama, assinale a alternativa correta.

a) O presidente dos EUA, Barack Obama, é citado como uma das vítimas de discriminação racial que chegou ao poder para contornar as vicissitudes dos negros.
b) O ministro Joaquim Barbosa é apontado como um exemplo de que o racismo no Brasil interfere pouco sobre as possibilidades de ascensão social dos negros.
c) O ministro Joaquim Barbosa e o presidente dos EUA, Barack Obama, são referidos como exemplos malogrados da inacessibilidade dos negros a cargos poderosos.
d) O ministro Joaquim Barbosa e o presidente dos EUA, Barack Obama, são mencionados como exemplos de que a ascensão social dos negros é uma marca da contemporaneidade.
e) O ministro Joaquim Barbosa e o presidente dos EUA, Barack Obama, são expostos como negros que atingem altos postos nas esferas do poder, estimulando uma espécie de orgulho racial.

Resposta: E

Comentário:

O excerto do texto  abaixo justifica a resposta.

“Quando chegam a essas posições, causam ‘euforia”’, analisa, referindo-se, na história contemporânea, ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa e ao presidente dos EUA, Barack Obama.

 

Questão 4

Sobre as referências à história que aparecem a partir do sexto parágrafo, assinale a alternativa correta.

a) O sociólogo faz referência a dois momentos da história brasileira: o período do tráfico de escravos e a libertação de negros com a implementação da lei que entrou em vigor em 1989, extinguindo o racismo.
b) O sociólogo faz alusões a períodos da história brasileira para contrastar passagens de séculos anteriores ao atual com a situação contemporânea, em que os problemas raciais já arrefeceram muito.
c) O sociólogo reconhece um momento central da história brasileira – a abolição da escravatura – como acontecimento expressivo do final paulatino do racismo, consolidado cerca de cem anos depois com a implementação da lei de 1989.
d) O sociólogo faz menção a momentos da história brasileira em que atos de violência e preconceitos persistem mesmo quando há iniciativas tidas como favoráveis aos negros, como a abolição da escravatura e a implementação da lei de 1989.
e) O sociólogo cita três passagens da história brasileira – o tráfico de escravos, a abolição da escravatura e a lei em vigor desde 1989 – para ilustrar como tais acontecimentos geraram episódios de violência dos quais os negros ainda são vítimas.

Resposta: D

Comentário:

A oração que inicia o sétimo parágrafo justifica: Esse contexto, para ele, tem sido perpetuado através dos tempos, pois e expressão esse contexto retoma o sexto parágrafo.

 

Questão 5

Sobre os termos “evidente” e “evidências”, usados nos dois últimos parágrafos, e seus significados relacionados
ao texto, assinale a alternativa correta.

a) A ideia de “evidência” é muito próxima do sentido presente na expressão “subjetividade do racismo”.
b) A noção de “evidência” é corroborada pelo número de denúncias registradas na Polícia Civil entre 2007 e 2012.
c) O sentido de “evidência” é reiterado pela eficácia da lei, que, desde 1989, pune crimes de preconceito racial.
d) A referência aos preconceitos raciais como “evidentes” está apoiada na ideia da perpetuação do contexto de
discriminação racial.
e) A evidência do racismo está representada pela natureza inequívoca e subjetiva das manifestações de preconceito
que caracterizam os crimes.

Resposta: D

Comentário:

Leia o início do sétimo parágrafo: Esse contexto, para ele,  em sido perpetuado através dos tempos, apesar da existência da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, que define como crime passível de reclusão os preconceitos de raça ou de cor. “A não aceitação de negros em alguns espaços é evidente”, reforça.

 

Questão 6

Assinale a alternativa em que a primeira frase do 5º parágrafo é corretamente reescrita, sem alteração do
sentido original.

a) Ele enfatiza que os negros que são vítimas da discriminação racial nas universidades, na política, em cargos de gerência e outras esferas relacionadas ao poder, são minoria.
b) Ele enfatiza que a minoria dos negros é vítima de discriminação em função da cor da pele nas universidades, na política, em cargos de gerência e outras esferas relacionadas ao poder.
c) Os negros são enfatizados por ele como vítimas de discriminação decorrente da cor da pele e como minoria nas universidades, na política, em cargos de gerência e outras esferas relacionadas ao poder.
d) A ênfase sobre os negros como vítimas da discriminação causada pela cor da pele é minoritária nas universidades, na política, em cargos de gerência e outras esferas relacionadas ao poder.
e) Nas universidades, na política, em cargos de gerência e outras esferas relacionadas ao poder, os negros são minoritariamente enfatizados por ele, como vítimas da discriminação em função da cor da pele.

Resposta: C

Comentário:

Pois apenas ela passa a oração que está na voz ativa para a passiva analítica.

 

Questão 7

A respeito dos números das estatísticas apresentados no 2º e no 3º parágrafos, considere as afirmativas a seguir.

I. Entre os jovens assassinados no Brasil, há um número maior de vítimas negras do que de vítimas brancas.
II. A disparidade entre os números apresentados sobre nível de escolaridade e homicídios de jovens é exibida como surpreendente.
III. A inversão dos números de negros com nível superior completo e com Ensino Fundamental incompleto dificulta a interpretação dos dados.
IV. Os números permitem a leitura segundo a qual, em termos de critérios raciais, quem tem melhor formação escolar corre menos risco de ser vítima de homicídio.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta: B

Comentário:

I. Entre os jovens assassinados no Brasil, há um número maior de vítimas negras do que de vítimas brancas.

Correta: Estatísticas como as divulgadas pelo Mapa da Violência 2012, que detectou 75% de negros entre os jovens vitimados por homicídios no Brasil …

II. A disparidade entre os números apresentados sobre nível de escolaridade e homicídios de jovens é exibida como surpreendente.

Errada: A disparidade entre o nível de escolaridade é outro indicador importante.

III. A inversão dos números de negros com nível superior completo e com Ensino Fundamental incompleto dificulta a interpretação dos dados.

Errada: pois na verdade deixa mais claro.

IV. Os números permitem a leitura segundo a qual, em termos de critérios raciais, quem tem melhor formação escolar corre menos risco de ser vítima de homicídio.

Correta: Estatísticas como as divulgadas pelo Mapa da Violência 2012, que detectou 75% de negros entre os jovens vitimados por homicídios no Brasil …

 

Questão 8

Sobre a locução prepositiva “Apesar de”, no 2º parágrafo, assinale a alternativa correta.

a) A locução tem a finalidade de introduzir um obstáculo hipotético que impede parcialmente a concretização dos acontecimentos descritos no restante da frase.
b) A locução tem o propósito de enunciar uma situação que reduzirá o impacto do conteúdo dos relatos e das denúncias dos negros brasileiros, exposto no restante da frase.
c) A posição da locução logo no início da frase é estratégica para estabelecer o contraste entre as ideias expressas no primeiro parágrafo e o conteúdo exposto na frase inicial do segundo.
d) A situação introduzida pela locução tem sua relevância diminuída diante da apresentação das demais ideias expressas – as denúncias.
e) Há uma relação de equilíbrio, no que se refere à relevância, entre as ideias introduzidas pela locução – a inexistência de preconceito assumido – e o restante da frase: as denúncias e os relatos dos negros.

Resposta: D

Comentário:

Pois a locução determina uma circunstância de concessão, fazendo com que as denúncias que vêm depois, na outra oração, reforcem a existência do preconceito.

 

Questão 9 

Sobre os termos “aparentemente”, no 2º parágrafo, e “supostamente”, no 6º parágrafo, assinale a alternativa
correta.

a) O termo “aparentemente” pode ser substituído por “visivelmente”, sem prejuízo do sentido original da frase.
b) O termo “supostamente” pode ser substituído por “previamente”, sem prejuízo do sentido original da frase.
c) São termos que podem ser deslocados aleatoriamente dentro das respectivas frases, sem prejuízo do sentido
das mesmas.
d) São termos que podem ser substituídos por “pretensamente”, sem prejuízo dos sentidos originais das frases.
e) São termos que podem ser suprimidos das frases que, mesmo assim, elas preservarão seu sentido original.

Resposta:D

Comentário:

Pois a palavra pretensamente por significar por suposição pode substituir, nesse contexto, as duas palavras propostas no enunciado.

 

Questão 10

Sobre o uso de aspas no texto, assinale a alternativa correta.

a) O uso de aspas duplas no segundo parágrafo pode ser substituído pelo uso de parênteses, sem prejuízo da
compreensão e do sentido do trecho.
b) O uso de aspas duplas no início do quarto parágrafo deve-se à identificação do discurso direto, representando
a fala do sociólogo.
c) O uso de aspas simples e duplas no quinto parágrafo decorre da ironia atribuída pela autora do texto às
declarações do sociólogo.
d) O uso de aspas duplas no sexto parágrafo pode ser substituído pelo uso de dois pontos, sem prejuízo do
sentido original do trecho.
e) O uso de aspas duplas no sétimo parágrafo deve-se à necessidade de dar ênfase à declaração do sociólogo.

Resposta:B

Comentário:

Pois o uso de aspas tem por função indicar o discurso indireto e, nesse caso, indica a fala do sociólogo.

 


Inscreva-se

Receba as notícias por e-mail

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *